Consultor Jurídico

Comentários de leitores

5 comentários

Uma Solução !!

Andre Luis Augusto da Silva (Advogado Autônomo)

Foi informado que os gastos para pagamento de benefícios já superam R$ 6,1 milhões mensais.
A nossa CPA, ainda é financiada pela taxa de instrumento de mandato, sendo que, a receita mensal da referida taxa é de R$ 1,7 milhão e da contribuição do advogado inscrito de R$ 2,9 milhões, totalizando R$ 4,6 milhões mensais.
Assim, o déficit é de 1,5 milhões mensais.
Lembrar que o repasse da taxa de mandato é de somente 15% a CPA, 5% a CAASP e os restantes 80% ao Estado, conforme artigo 52 da Lei Estadual 10.394/70.
Acredito que aumentando a alíquota de repasse da taxa de mandato a CPA, acabaria de vez com o déficit “de imediato”, como também, dando uma sobrevida a CPA em longo prazo, eis que se arrecadamos R$ 1,7 milhão com 15%, multiplicando por 5 vezes, ou 75% de repasse, alcançaríamos uma arrecadação de R$ 8,5 milhões mensais, somando aos R$ 2,9 milhões de arrecadação de contribuintes inscritos, chegaríamos ao total de R$ 11,4 milhões.
Um superávit de R$ 5,3 milhões, com absoluta folga, acabando com qualquer argumentação de cálculo atuarial que seja desfavorável, não concordam ????

Ingenuidade X Leis

amigo de Voltaire (Advogado Autônomo - Civil)

Pois é Neli, acho que acreditar nas leis e nos homens públicos no Brasil é sempre uma grande ingenuidade. Ingenuidade achar que o governo fosse cumprir uma lei de que participou e aderiu há muitos anos. Somos todos ingênuos neste paisinho achando que alguma coisa é séria!. Ingenuidade achar que o governo nao inviabilizaria a carteira ao retirar seus aportes em 2004 no dia 29/12, e passar todos os recursos para sustentarmos o poder judiciário esse dinossauro faminto com suas benesses sem fim - e ainda querem mais - para sustentarmos juízes e promotores. Na verdade Neli, todos somos ingênuos em acreditar nos poderes constituídos no Brasil. Quanto ao Dr. D'Urso desferiu na classe um abraco bem apertado e revelou-se um cara de pau, pois achar que podemos pagar por muito mais tempo R$600,00 todo mês é muita ``ingenuidade``!Decente seria a OAB vir em socorro financeiro da carteira já que revelou-se muito mais ingênua do que realmente é.

Ingenuidade X Leis

amigo de Voltaire (Advogado Autônomo - Civil)

Pois é Neli, acho que acreditar nas leis e nos homens públicos no Brasil é sempre uma grande ingenuidade. Ingenuidade achar que o governo fosse cumprir uma lei de que participou e aderiu há muitos anos. Somos todos ingênuos neste paisinho achando que alguma coisa é séria!. Ingenuidade achar que o governo nao inviabilizaria a carteira ao retirar seus aportes em 2004 no dia 29/12, e passar todos os recursos para sustentarmos o poder judiciário esse dinossauro faminto com suas benesses sem fim - e ainda querem mais - para sustentarmos juízes e promotores. Na verdade Neli, todos somos ingênuos em acreditar nos poderes constituídos no Brasil. Quanto ao Dr. D'Urso desferiu na classe um abraco bem apertado e revelou-se um cara de pau, pois achar que podemos pagar por muito mais tempo R$600,00 todo mês é muita ``ingenuidade``!Decente seria a OAB vir em socorro financeiro da carteira já que revelou-se muito mais ingênua do que realmente é.

Precisamos ouvir a opinião e sugestões dos participantes

Eduardo Ramos Dezena (Advogado Autônomo - Tributária)

Realmente é lamentável que até o momento a OAB/SP nada tenha feito para salvar a carteira de previdência dos advogados.
Deve-se considerar, também, que não houve qualquer consulta aos membros da carteira sobre o ocorrido ou se teriam alguma alternativa a oferecer, que não implique na alteração das regras após tantos anos.
Não é crível que, ao constatar a perda de parte da receita, que aliás continua sendo recolhida em guias Gare no código 304-9 - "Carteira de Previdência dos Advogados" - a OAB/SP não tenha adotado nenhuma medida, para resguardar os interesses dos advogados.
A OAB/SP não tem, portanto, legitimidade para decidir qualquer coisa, relacionada à carteira de previdência, em nome dos seus participantes.
Já é hora de perguntar, ouvir e respeitar a nossa vontade, uma vez que diante da inércia da seccional paulista, certamente encontraremos soluções melhores para o imbróglio criado pelo governo estadual.

devolva o dinheiro!

Neli (Procurador do Município)

Já que as regras estão sendo mudadas durante o jogo,não seria melhor devolver o dinheiro(com juros) a quem ingenuamente aderiu a essa carteira?
Político brasileiro é engraçado:pisoteia o contratante durante a vigência do contrato.
Devolva o dinheiro de quem quiser e ponto final.
Finalmente,quero cumprimentar a OAB pela brilhante defesa de quem aderiu a isso...quero meu dinheiro de volta.

Comentar

Comentários encerrados em 8/03/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.