Consultor Jurídico

Artigos

Linguagem jurídica

Textos objetivos prestam serviço ao cidadão

Comentários de leitores

4 comentários

De acordo LUIZ MACHADO GUIMARÃES

abitante (Advogado Sócio de Escritório - Trabalhista)

Desculpe quem pensa diferentemente. mas tenho convicção que complicar a língua é reserva de mercado e tal situação "Feudal" não se justifica em nossos tempos

Devemos zelar pela lingua portuguesa

Antônio dos Anjos (Procurador Autárquico)

O jargão técnico do profissional jurídico deve ser zelado e mantido, a bem da língua portuguesa.
Não é o texto do jurista que é complicado.
É o vocabulário do leigo que está cada vez mais pobre.
Não se preocupam em melhorar o nível de ensino e incentivar a leitura, mas em empobrecer o jargão técnico do direito.
Francamente, quanto aos médicos, nunca vi reclamação nenhuma quanto à caligrafia e ao vocabulário.

Textos objetivos e claros...

Zerlottini (Outros)

E existe? Onde? Se a própria redação das leis é uma encrenca desgraçada... Não existe lei clara e objetiva - não que eu saiba e não neste país. Há sempre uma "brechinha" para o famoso "espírito da lei". Espírito da lei um cazzo! Há que existir clareza, para não haver brechas - que os poderosos SEMPRE usam pra se livrar das encrencas. Enquanto o "Zé das Couves", se roubar um pão, vai pra cadeia, os donos do "pudê" roubam à vontade e nem ficam com a cara vermelha! Veja-se o exemplo atual do Arrudão (que, aliás, FUGIU mais uma vez, pra não ser expulso). E ainda fala em HONRA...
Francisco Alexandre Zerlottini. BH/MG

falar pouco e claro

PAULO FRANCIS (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Ouvi certa feita que LUIZ MACHADO GUIMARÃES, dentre outras coisas belas teria dito: Quem tem razão fala pouco e fala claro...
Creio que é por aí. Concisão e clareza são coisas que caminham junto.
Lembre disto todo santo dia.

Comentar

Comentários encerrados em 18/12/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.