Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

Muito mais do mesmo

DJ Abreu (Outros)

Quando é que alguém vai perceber que o sistema de cotas nada mais é do que DISCRIMINAÇÃO, já que os "agraciados" não teriam entrado na universidade sem este "privilégio", não é?
É como se dissessem: "OK, nós sabemos que você não é capaz de passar no vestibular, mas temos que mostrar inclusão. Não vamos te oferecer melhores condições de aprendizado, vamos colocar um sistema de cotas, que é bem mais fácil. Aí você vai estudar e nós teremos números para mostrar, e todos ficamos felizes! E azar o dos 'não-negros/índios/whatever', pois as vagas daqui pra lá são reservadas para cotistas, sinto muito, tente de novo ano que vem."

Objetivo x Subjetivo

Taz Bravo (Funcionário público)

Pela leitura crua da reportagem, o indeferimento da matrícula, na minha opinião, deveria ser mantido, sendo que parece que a aluna invocou sua descendência apenas neste momento.
Mas, é muito dificil essa decisão, sendo a questão se prevaleceria o aspecto objetivo ou subjetivo? Se for o objetivo, a aluna deveria retomar aos seus estudos. Mas assim, até "branco de olhos azuis" (expressão utilizada recentemente pelo presidente da república) poderia se enquadrar nesse sistema de cotas, não é?

Movimento Negro como juiz racial?

Prof. Dr. Jose Antonio Lomonaco (Advogado Sócio de Escritório)

É alarmante a situação. Um tribunal que define quem é "negro" e quem é "não negro" composto de ...negros, ou de pessoas vinculadas a movimentos negros. E depois o que virá? Um tribunal no qual os juizes sejam "índios" para decidir quem entra na cota dos índios. Depois, um tribuan composto de bibas, para decidir quem entra na cota dos gays. E um de militares, para decidir quem entra na cota dos filhos de militares (isto já existe no RJ, não é?). O holocausto começou justamente com a instalação de tribunais raciais, para decidir quem eram arianos e "não arianos", puros ou impuros. E depois, num assombro e numa região de esquizofrenia ideológica para a qual caminha a situação no Brasil, a regra da Alemanha nazista: "judeu é quem Goebbels diz que é judeu". Triste país. Merece um sonoro "delete" e começar tudo de novo. Triste a sina de quem nasceu branco por aqui, de olhos azuis ou não.

Movimento Negro como juiz racial?

Prof. Dr. Jose Antonio Lomonaco (Advogado Sócio de Escritório)

É alarmante a situação. Um tribunal que define quem é "negro" e

Comentar

Comentários encerrados em 22/04/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.