Consultor Jurídico

Comentários de leitores

7 comentários

A unificação interessa não só aos procuradores ...

danicamara (Advogado Autárquico)

A unificação interessa não só aos procuradores da carreira, como também ao país, que custeia estruturas triplicadas (um prédio para AU, outro da PRF, outro da PFN). Resta saber se interessa aos ocupantes de cargos de chefia a serem extintos ou às associações que não querem perder a "boquinha".

Prezado Murillo, Eu, pessoalmente, achava a ...

Carlos André Studart Pereira (Procurador Federal)

Prezado Murillo, Eu, pessoalmente, achava a unificação algo utópico. No entanto, hoje, com a conscientização (inclusive de Advogados da União e Procuradores da Fazenda Nacional) de que unidas (formal e materalmente)as carreiras terão maior facilidade para alcançar os seus pleitos, tal acontecimento passou a ser mais plausível. Deixemos, então, de preconceitos e vaidades, para, assim, viabilizar o nosso objetivo maior: VALORIZAÇÃO DA ADVOCACIA PÚBLICA, colocando-a no seu merecido lugar, já apontado pela própria Constituição da República. Isso dependo apenas de nós. Carlos André Studart Pereira Procurador Federal

O pleito dos advogados de empresas públicas ape...

DANILO LACERDA (Advogado Autárquico)

O pleito dos advogados de empresas públicas apesar de compreensível, pois traria uma melhor condição financeira aos seus integrantes, não é legítima e muitos menos legal. Não é legítima, pois a finalidade da unificação é uma melhor gestão dos recursos humanos e logísticos, caso estes profissionais viessem a integrar a AGU não poderiam atuar nas causas em defesa das pessoas jurídicas de direito público, posto que celetista não pode exercer atividade fim na administração pública, ou seja, não poderia haver um remanejamento ou mobilidade desse pessoal pelo chefe da procuradoria; e ainda, o governo não economizaria com os recursos físicos, pois não mantém estas procuradorias que são administradas com recursos das próprias empresas. Não é legal, pois como funcionários de pessoas jurídicas de direito privado, são regidos pela CLT, não sendo estatutários, e como já disse antes celetista não exerce atividade fim na administração pública, salvo quando ocupante de cargo de confiança. Já no caso dos procuradores do banco central é imperioso que os mesmo passem a integrar os quadros da AGU, inclusive em uma futura unificação, pois seria uma contradição em termos falar em unificação sem os mesmos estarem incluídos.

Já houve, na AGU, duas unificações: a das carre...

Manuel de Medeiros Dantas (Advogado da União)

Já houve, na AGU, duas unificações: a das carreiras de Procuradores Autárquicos e Fundacionais, hoje membros dá carreira de Procurador Federal; e, mais recentemente, as carreiras de Asssitente Jurídico da AGU e de Advogado da União foram unificadas, com a chancela do STF, no julgamento da ADI 2713. Praticamente ninguém duvida da correção das duas medidas para o interesse público, pois dinamiza e dá mobilidade necessária a uma Instituição multifacetária como a AGU, além de provocar uma necessidade menor no quantitativo de membros, notadamente quando a unificação das carreiras é associada a uma unificação das estruturas administrativas, principalmente. O processo de unificação é uma conseqüência natural do amadurecimento da Instituição e necessária á sua consolidação como instrumento da sociedade.

Prezado DKW, As carreiras a serem unificadas já...

Lucas Freire (Procurador Federal)

Prezado DKW, As carreiras a serem unificadas já possuem estrutura remuneratória idêntica. São todos advogados públicos federais remunerados por meio de subsídio. Só mudam os nomes dos cargos e as atribuições. Parece que preferiram deixar de fora os Procuradores do Banco Central, que também ganham o mesmo tanto que os outros, além de possuírem as mesmas prerrogativas processuais.

É engraçada essa história de "unificar as carre...

Luiz Fernando (Estudante de Direito)

É engraçada essa história de "unificar as carreiras...", sejam quais forem. Fazem os concursos sabendo de antemão que há vários níveis salariais, optam por concorrer a um deles e depois querem NIVELAR SEMPRE POR CIMA. Se o objetivo é unificar, equiparar, nivelar, seja o que for, porque é sempre por cima ? Porque não unificam pelo vencimento médio ? A sociedade não aguenta mais bancar essa festa com dinheiro público. Gastar mal, gerir mal, desviar a finalidade, substituir investimentos em infra-estrutura por gastança pública, isso tudo também são formas de malversação do dinheiro do povo.

Não esqueçam de engrandecer a Advocacia Pública...

Mauro Garcia (Advogado Autônomo)

Não esqueçam de engrandecer a Advocacia Pública com os nobres advogados integrantes da empresas públicas. Aí sim, teremos a advocacia dos sonhos do Estado Brasileiro.

Comentar

Comentários encerrados em 6/11/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.