Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Retorno à advocacia

Ministro aposentado, Barros Monteiro volta a advogar

Depois de deixar o cargo de presidente do Superior Tribunal de Justiça em abril deste ano, Raphael de Barros Monteiro Filho vai voltar a advogar. Ele escolheu o escritório Machado de Campos, Pizzo e Barreto Advogados, do qual passa a fazer parte.

Barros Monteiro presidiu o STJ de 2006 até abril, quando decidiu se aposentar, faltando um ano para entrar na compulsória. Formado pela Universidade São Paulo na turma de 1962, advogou por quatro anos. Até que, em 1965, ingressou na magistratura.

Fez parte do extinto Tribunal de Alçada Criminal e por seis anos foi desembargador no Tribunal de Justiça de São Paulo. Em 1989, foi nomeado ministro do STJ pelo então presidente da República José Sarney. Também foi ministro do Tribunal Superior Eleitoral e presidente do Conselho da Justiça Federal.

Quem também passa a integrar o Machado de Campos, Pizzo e Barreto Advogados é o advogado Ruy Carlos de Barros Monteiro. Com horários alternados, deverá atender durante uma semana a cada mês, pois ficará em Brasília. Ele irá atender interessados na tramitação dos recursos admitidos e em processamento, sem prejuízo da efetivação de sustentações orais quando cabíveis.

Ruy Carlos de Barros Monteiro foi assessor de ministro do Supremo Tribunal Federal de 1975 a 1982, do Programa Nacional de Desburocratização (integrante da Comissão Revisora do Anteprojeto do Juizado Especial de Pequenas Causas), consultor da República, secretário-geral da Consultoria-Geral da República e consultor-geral da República interino (de 1982 a 1933); além de assessor técnico no Senado Federal (responsável pelo Capítulo Penal do Código de Trânsito Brasileiro – Lei 9.503/1997).

Segundo o sócio José Rubens Machado de Campos, “a nova parceria está voltada para a plena disponibilização, em São Paulo, de assessoramento focado na melhor interposição dos acenados recursos, franqueando-se o intermitente acompanhamento local e em Brasília”.

Revista Consultor Jurídico, 27 de outubro de 2008, 20h18

Comentários de leitores

7 comentários

Mas não são nada bobos esses grandes escritório...

Çidadãozis Hinconformádius  (Outros)

Mas não são nada bobos esses grandes escritórios heim !?1 Ministros e desembargadores aposentados que se recusam a receber advogados em seus pomposos gabinetes são os mesmos que amanhã vão interpor embargos auriculares nos gabinetes dos ex-colegas. Experimente um recém formado tentar fazer o mesmo !?!

Sem dúvida trata-se de excelente escolha do Min...

Lucas Hildebrand (Advogado Sócio de Escritório)

Sem dúvida trata-se de excelente escolha do Ministro Barros Monteiro. A pessoalidade e o profissionalismo da prestação de serviços de Machado de Campos, Pizzo e Barreto Advogados proporcionam o ambiente ideal para o pleno exercício das qualidades de tão experiente e culto jurista.

Parabéns ao Ministro Barros Monteiro pela excel...

Ms. Parker (Advogado Associado a Escritório)

Parabéns ao Ministro Barros Monteiro pela excelente escolha do Escritório Machado de Campos, Pizzo e Barreto - repleto de excelente profissionais e sempre com êxito e brilho em suas complexas causas. Este escritório é a prova de que a advocacia de massa nunca vai superar a ética e a qualidade dos advogados que cuidam pessoal e artesanalmente de suas causas, com todo o respeito merecido aos seus clientes e, principalmente, ao poder judiciário. Com certeza esta parceria renderá bons frutos à advocacia paulista, principalmente perante as Cortes Superiores. É com satisfação que desejo enorme sucesso para todos.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 04/11/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.