Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Valores preservados

Ofensa ao pudor é mais justificável em cidades pequenas, diz juíza

Os bons costumes e a moralidade sexual são bens jurídicos protegidos pela lei. Com esse entendimento, a Turma Recursal Criminal dos Juizados Especiais do Rio Grande do Sul condenou um homem por ofensa ao pudor porque ele exibiu o pênis em público.

Uma menor da cidade de Arvorezinha (RS) passava com a sua mãe na frente da casa do homem, quando ele mostrou o pênis pela janela, fez um gesto obsceno e disse “isto é para você”. O réu se defendeu com base no princípio da insignificância e da insuficiência de provas. Os juízes estipularam pena de 10 dias multa. Considerando o salário mínimo, o valor é de R$ 138.

A juíza Cristina Pereira Gonzáles, relatora do caso, salientou que o homem foi denunciado pelo crime previsto no artigo 61 da Lei de Contravenções Penais: “Importunar alguém, em lugar público ou acessível ao público, de modo ofensivo ao pudor”. Para a juíza, a conduta do acusado enquadra-se perfeitamente no tipo contravencional.

Cristina Pereira esclareceu que o fato encontra respaldo no Boletim de Ocorrência e no testemunho da vítima e de sua mãe. Acrescentou que o pudor, entendido como sentimento de vergonha ou recato sexual, encontra proteção legal. Segundo a juíza, ele é mais justificável em cidades pequenas como Arvorezinha, “onde os bens jurídicos da moral e dos bons costumes ainda são preservados e valorizados”.

O réu não teve direito à transação penal porque já recebeu o benefício a menos de cinco anos. Como também não compareceu à audiência de instrução, a proposta de suspensão condicional do processo ficou prejudicada.

Processo 710.01.766.252

Revista Consultor Jurídico, 23 de outubro de 2008, 0h00

Comentários de leitores

3 comentários

Concordo com o Luismar. E mais: deve-se dizer "...

Luiz (Jornalista)

Concordo com o Luismar. E mais: deve-se dizer "O réu não teve direito à transação penal porque já recebeu o benefício há menos de cinco anos", e não como consta.

Nossa, que pena elevada ele pegou: -multa, d...

Nicoboco (Advogado Autônomo)

Nossa, que pena elevada ele pegou: -multa, de duzentos mil réis a dois contos de réis. Traduzindo: R$ 138. That's Brazil!!!

Atenção. Da leitura do texto se infere que a p...

Luismar (Bacharel)

Atenção. Da leitura do texto se infere que a proteção ao pudor é "mais justificável" em Arvorezinha-RS, e não a "ofensa ao pudor".

Comentários encerrados em 31/10/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.