Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Operação Avalanche

Acusado de extorquir empresários, Marcos Valério é preso

O empresário Marcos Valério foi preso na manhã dessa sexta-feira (10/10) em Belo Horizonte pela Polícia Federal. As informações são da Agência Terra. A prisão de Marcos Valério é parte da Operação Avalanche da PF, que ocorre em Minas Gerais, São Paulo e Espírito Santo. Segundo a PF, Marcos Valério integraria uma quadrilha com policiais, advogados e empresários especializada em usar informações privilegiadas da Receita Federal para extorquir empresas em dificuldades.

Segundo a PF, Marcos Valério será levado para São Paulo onde prestará depoimento. Além do empresário, outras três pessoas foram presas em Belo Horizonte. Também foram apreendidos R$ 500 mil.

A prisão não tem relação com o caso do mensalão, pelo qual Marcos Valério responde processo criminal no Supremo Tribunal Federal. Ele é um dos 40 denunciados por participação em esquema de desvio de verba e compra de apoio político no Congresso Nacional.

Ainda segundo a Polícia Federal, a Operação Avalanche inclui outros 17 mandados de prisão contra policiais federais e civis, despachantes, advogados e empresários. Também são cumpridos 30 mandados de busca e apreensão.

De acordo com a PF, o grupo responde pelos crimes de corrupção ativa e passiva, extorsão, formação de quadrilha, contrabando e descaminho, quebra de sigilo e divulgação de dados sigilosos. As penas somadas ultrapassam 15 anos de prisão.

A PF informou que a quadrilha é acusada de utilizar informação priviliegiada da Receita Federal para extorquir empresas em dificuldades com o fisco. Segundo as investigações, o gurpo se utilizava de contatos nas polícias e receitas tanto da União como dos estados, para obter informações sobre empresários com problemas junto ao fisco. A partir desses dados exigiam dinheiro em troca de possível solução do problema.

A PF acusa o grupo ainda de fraudes fiscais em importações e da tentativa de desmoralização de fiscais do Porto de Santos.

Revista Consultor Jurídico, 10 de outubro de 2008, 13h20

Comentários de leitores

7 comentários

A propósito da matéria em questão eu quero acre...

futuka (Consultor)

A propósito da matéria em questão eu quero acreditar que contribuiu muito o CONJUR em revelar no seu espaço público o desenho em que se encontra a 'operação' da pf denominada 'avalanche'. O interessante é que essa avalanche parece ter sido de neve, a meu ver já 'derreteu'! rs "Senhores FATOS são FATOS e se não INVESTIGADOS BEM ELABORADOS E COMPROVADOS e tão sómente 'denuncias' o diz-que-diz que comumente é criado como todo bom RUMOR - nós não vamos chegar a 'lugar algum' judicialmente!" - É melhor pedir 'penico', ou ..deixa como tá prá ver como é que fica, acredito eu entendeu! O DIFÍCIL SEGREDO: - trabalhar sério com insenção. Nos dias atuais..hmmm

Ei Marcos Valério vê se te emenda, pois, desse ...

Marciano (Estudante de Direito)

Ei Marcos Valério vê se te emenda, pois, desse jeito o Brasil não te aguenta. Mensalão, extorsão, corrupção, até quando vamos ter que aturar Marcos Valérios e cia. Necessitamos urgentemente, sem vir a prejudicar nosso estado democrático de direito, resolver essas situações que afetam e atingem a dignidade de todos nós brasileiros. Necessitamos criar mecanismos que, realmente penalizem pessoas que agem prejudicando toda a sociedade. Concordamos com o principio Constitucional da presunção de inocência até prova em contrário. Porém, quando a prova acontece e o individuo não mais é inocente, deve ser penalizado para que possamos ter a certeza que a máxima - "o crime não compensa" - é correta e verdadeira.

A prisão foi decretada por um juiz federal crim...

Anaximandro (Consultor)

A prisão foi decretada por um juiz federal criminal de São Paulo/SP. Gilmar Mendes, não sei se na qualidade de presidente supremo ou de empresário (acionista de um instituto brasiliense de direito que fatura milhões em convênios com entes públicos sem licitação), disse existirem "milícias" constituídas por juízes, procuradores da república e delegados federais. Talvez a solução para essas "milícias" e prisões espetaculosas seja a promulgação de emenda constitucional que concentre toda a jurisdição do Estado nas mãos do presidente supremo Gilmar Mendes... Assim só ele poderá expedir "mandatos" de prisão, na dicção de ilustre comentarista abaixo... Destarte estariam salvaguardados a democracia e o estado democrático de direita, ou melhor, de direito.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 18/10/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.