Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Grampos e filmagens

Advogado de Daniel Dantas, Nelio Machado, diz que é espionado

O advogado Nelio Machado, que integra a equipe de defesa do banqueiro Daniel Dantas, diz que está sendo espionado e pede que a Procuradoria-Geral da República faça uma investigação. Machado suspeita que oficiais da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e agentes da Polícia Federal que participaram da Operação Satiagraha estejam por trás da espionagem, de acordo com reportagem do jornal O Estado de S. Paulo.

A operação investigou suposto esquema de evasão de divisas, lavagem de dinheiro, corrupção e formação de quadrilha envolvendo o controlador do Grupo Opportunity, Daniel Dantas.

O advogado pede a Antonio Fernando de Souza, o procurador-geral, “apuração dos lamentáveis episódios" de que se diz vítima. Nelio Machado cita pelos menos duas passagens para reforçar seus argumentos, a primeira ocorrida na noite de 11 de junho em um restaurante japonês em Brasília, a outra no dia 10 de julho no Aeroporto Internacional de Congonhas, em São Paulo.

Nas duas ocasiões, diz que arapongas o teriam filmado. Machado supõe, ainda, que seus telefones estão sob interceptação clandestina e que até em seus escritórios de trabalho, no Rio de Janeiro em São Paulo, tenha sido instalada escuta ambiental.

O advogado pede que o seu caso seja investigado no mesmo inquérito (Inq 964/2008) aberto por requisição do ministro Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal, que foi grampeado em uma conversa telefônica com o senador Demóstenes Torres (DEM-GO).

Ele entregou cópia de sua petição ao presidente do STF, ao ministro Eros Grau e ao Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil.

A Polícia Federal não se manifestou sobre as suspeitas de Machado. Procuradores da República, ao serem informados da representação, disseram que é "curioso" o fato de apenas agora o advogado de Dantas fazer a denúncia sobre fatos que teriam ocorrido entre junho e julho.

Revista Consultor Jurídico, 4 de outubro de 2008, 13h17

Comentários de leitores

10 comentários

Esse caso do Daniel Dantas FEDE, mas FEDE demais.

Contribuinte Indignado (Advogado Autônomo - Civil)

Esse caso do Daniel Dantas FEDE, mas FEDE demais.

tadinho dele, tão inocente, tão indefeso

Mauro (Professor)

tadinho dele, tão inocente, tão indefeso

Bom, vamos ao raciocínio lógico. Divulgaram que...

Vinícius Campos Prado (Professor Universitário)

Bom, vamos ao raciocínio lógico. Divulgaram que o Nélio estava jantando com assessores de Gilmar Mendes. Nélio diz que está sendo espionado. Então, ele confirmou tacitamente que estava jantando com os assessores, ou, ao invés de espionagem, ele estaria acusando seus detratores de mentirosos.E se estava mesmo jantando com tais assessores_ e com filmagem permitida por decisão judicial_ Gilmar Mendes deve explicar tal fato ( já que providências, como exonerar os asssessores, não tomou). E não ficar falando bobagens, como querer transmitir foro privilegiado a assessores. Além do que a investigação era contra Dantas. Se no decorrer descobriram ligação com Ministro do STF, as provas são lícitas a garantir a prisão do banqueiro, devendo em seguida_ aí, sim_ ser encaminhadas ao Procurador-Geral da República, para que investigue o Presidente do Supremo, já que o próprio entende que a suspeita é sobre ele.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 12/10/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.