Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Criatividade policial

Marco Aurélio diz que continuará a usar nomes de operações da PF

O ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal, afirmou que não irá acatar a recomendação do Conselho Nacional de Justiça para que juízes evitem utilizar em seus despachos os nomes dados pela Polícia Federal nas suas operações. O ministro esclareceu sua posição sobre o tema na sessão plenária em que o Supremo confirmou Habeas Corpus ao banqueiro Daniel Dantas, na quinta-feira (6/11).

O CNJ aprovou a recomendação na terça-feira (4/11) sob alegação de que os nomes de determinadas operações da PF já seriam uma espécie de pré-julgamento. A tese é do ministro Gilmar Mendes, presidente do Supremo.

“Até fico admirado com a criatividade no campo das nomenclaturas. Não me cabe atuar administrativamente. Se isso merece ser coibido, e eu penso que não merece, quem deve atuar é o Executivo, o diretor-geral da Polícia Federal, o ministro da Justiça e o presidente da República”, afirmou Marco Aurélio, segundo informações da Agência Brasil.

Bem humorado, o ministro citou como exemplo a Operação Hurricane. “Se eu tivesse que ser contra, seria em primeiro lugar contra o fato de dar a furacão nome de mulher”, ironizou.

Segundo o ministro, a espetacularização das operações da PF não ocorre em virtude dos nomes, mas sim dos vazamentos para veículos de comunicação. “O grande problema é acompanhamento pela imprensa de diligências porque isso ofende a dignidade do envolvido e o submete à execração pública. É aí que está o erro”, avaliou.

Revista Consultor Jurídico, 8 de novembro de 2008, 11h52

Comentários de leitores

16 comentários

Eu admiro o Min. Marco Aurélio porque para ele ...

Mauro Branco (Estudante de Direito - Civil)

Eu admiro o Min. Marco Aurélio porque para ele não existe DEMAGAGOGIA e HIPOCRISIA, sempre em alta neste país. Se em cada Tribunal tivesse um Marco Aurélio, com toda certzea, este País seria outro. O que tem a ver nomeação de operação com o fato ocorrido. Ou os defensores não querem que nomes de "pessoas sérias" nao fiquem ligados a elas? PENA QUE O BRASIL SÓ TENHA UM MARCO AURÉLIO, sério, competente, probo e que nao se curva aos donos do Poder Executivo e ecônomico com muitos. ESTE ENTRARÁ PARA A HISTÓRIA. PARABÉNS, MINISTRO.

O problema não é o uso do nome. A meu ver o pro...

Célio Rosa (Advogado Autônomo)

O problema não é o uso do nome. A meu ver o problema é elas não darem em nada. Os presos são soltos, principalmente os ricos e famosos e agora com a inovação "banqueiro". É triste ver todo o trabalho sério, investigativo da Polícia Federal ir por água abaixo.

Caro João, as decisões judiciais, principalment...

PJMPSP (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

Caro João, as decisões judiciais, principalmente do STF, são definitivas. Todavia, não são imunes a discussão, principalmente em espaço próprio para tal. Este, aliás, o fundamento pulsante do direito, como bem se referiu o Marcelo. Aliás, infelizmente, pensamentos como o que seu, de aceitaçào das fórmulas prontas, pricipalmente no ensino jurídico, está fazendo com que se diminua, e muito, a qualidade dos novos bacharéis, os quais não aprendem o raciocínio pelo qual se chegou às posições hoje dominantes na doutrina e jurisprudência, compromentendo, assim, a capacidade destes em formar, no futuro, os novos posicionamentos.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 16/11/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.