Consultor Jurídico

Vaga da Câmara

Advogado Marcelo Nobre é aprovado para o CNJ em sabatina

Por 

A cadeira da Câmara dos Deputados no Conselho Nacional de Justiça, que ficou vazia nos últimos nove meses, está prestes a ser ocupada. O advogado Marcelo Rossi Nobre foi sabatinado nesta quarta-feira (19/3) pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado e aprovado com 20 votos e uma abstenção. A nomeação ainda precisa ser aprovada pelo plenário do Senado para ser confirmada.

Na composição inicial do CNJ esta cadeira foi ocupada por Alexandre de Moraes, ex-secretário da Justiça do estado de São Paulo, que não quis entrar na disputa para continuar na vaga. O espaço no Conselho entrou em disputa política na Câmara e lá rolou por muitos meses, desde junho do ano passado, quando a composição do CNJ foi renovada.

Quatro candidatos disputavam a vaga: Marcelo Rossi Nobre, filho do ex-deputado Freitas Nobre e membro do Conselho Diretor da Associação dos Advogados de São Paulo; Helenilson Pontes, tributarista e ex-procurador da Fazenda Nacional; José Augusto Garcia de Souza, defensor público e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro; e o juiz trabalhista Jorge Berg, de Minas Gerais.

Em dezembro do ano passado permaneciam no páreo Marcelo Nobre e o defensor José Augusto. Marcelo foi eleito pela Câmara com 269 votos. Souza saiu da disputa com 131 votos. Freitas Nobre, pai de Marcelo, morto em 1990, fez história na Câmara e foi muito lembrado como grande líder na sessão da sabatina nesta quarta-feira.

O indicado

Durante a sessão na CCJ, Marcelo Nobre defendeu os diagnósticos, pesquisas e estatísticas do CNJ para aperfeiçoar o planejamento do Judiciário e aparar arestas. “Não há médico que consiga medicar o seu paciente sem um belo diagnóstico, sem saber dos seus sintomas”, afirmou o advogado. Se confirmado no plenário do Senado, Marcelo Nobre terá mandato de dois anos, com a possibilidade de um segundo mandato.

Marcelo Nobre é formado em Direito pelas Faculdades Metropolitanas Unidas e tem pós-graduação em Direito Societário pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo. Ele foi assessor especial da prefeitura de São Paulo na gestão de Marta Suplicy, quando chefiou o gabinete do vice-prefeito, Hélio Bicudo.




Topo da página

 é correspondente da Revista Consultor Jurídico em Brasília.

Revista Consultor Jurídico, 19 de março de 2008, 20h39

Comentários de leitores

5 comentários

Como presidente da CDAP do Rio de Janeiro, espe...

Junior (Outros)

Como presidente da CDAP do Rio de Janeiro, espero, que o nobre colega comece a mudar o cenário jurídico, a começar por tirar a cadeira do MP do lado do Juiz, principalmente quanto aos processo criminais, e, coloque a cadeira do MP como ocorre nos paises de primeiro mundo, pois os representantes do MP se acham donos do processo e ficam requisitando tantas coisas apenas para prolongar os feito quando não conseguem provas contra o réu, então, vamos trabalhar para tirar o MP daquele lugar ao lado do JUIZ, ainda mais, quando JUIZ e MP são muito próximos, temos que tirar o MP dali, espero que o colega use bem a cadeira que irá ocupar.

Marcelo Nobre, filho do saudoso Freitas Nobre, ...

toron (Advogado Sócio de Escritório)

Marcelo Nobre, filho do saudoso Freitas Nobre, é um grande nome para o CNJ. Advogado militante que é, conhece as mazelas do Juidiciário, o empenho da OAB e também os esforços dos juízs na busca de um Poder mais bem constituído. Fico Feliz pela aprovação de seu nome. Será uma grande aquisição para a cidadania. Alberto Zacharias Toron, advogado, Secretário-Geral Adjunto do Conselho Federal da OAB e Presidente da Comissão Nacional de Prerrogativas.

Não apenas conheço o advogado Marcelo Nobre, co...

MS1966 (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Não apenas conheço o advogado Marcelo Nobre, como nutro grande expectitiva e esperança em sua atuação no CNJ. Tenho certeza que sua experiência vai auxiliar no aprimoramento do Poder Judiciário, desde que, é claro, encontre respaldo dos demais membros.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 27/03/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.