Consultor Jurídico

Notícias

Troca de comando

Interventor da VarigLog é afastado pela Justiça paulista

O juiz José Paulo Magano, da 17ª Vara Cível de São Paulo, afastou o engenheiro José Carlos Rocha Lima da administração judicial da VarigLog. Ele foi nomeado interventor da empresa no início do mês.

O advogado Alfredo Luiz Kugelmas, especialista em falência, o administrador Luis Gaj e o engenheiro Oscar Spessoto foram nomeados para compor uma comissão que irá averiguar quais as condições da empresa. Rocha Lima fica na VarigLog até dia 28 de março.

O pedido foi feito pela Volo Logistics LLC — empresa do fundo norte-americano Matlin Patterson. Ela é sócia da Volo do Brasil que controla a VarigLog. O fundo diz que Rocha Lima não tinha condições de administrar a empresa. Na época em que foi presidente da VarigLog, ele foi demitido por suspeita de irregularidades. De acordo com a ação, haveria ainda conflito de interesses, já que Rocha Lima tem participações em empresas que atuam no mesmo ramo que a VarigLog.

A sentença informa que a empresa ficou nessa situação por causa da “péssima gestão e administração de Marco Antônio Audi, Marcos Haftel e Luiz Eduardo Gallo da Varig Logística (aquisição de vários veículos caros importados blindados, gastos absolutamente desarrazoados com consultoria jurídica e constituição suspeita de pessoa jurídica no exterior)". Os três sócios brasileiros (Audi, Haftel e Gallo) foram afastados da empresa por levá-la a um quadro pré-falimentar.

A VarigLog enfrenta problemas como suspensão de serviços e arresto de aviões por falta de pagamento a fornecedores e prestadores de serviços. Os funcionários também estão com salários atrasados.

Revista Consultor Jurídico, 19 de março de 2008, 17h16

Comentários de leitores

8 comentários

Não sei o que falar 3. Conclusão 3.1 Assim ...

veritas (Outros)

Não sei o que falar 3. Conclusão 3.1 Assim sendo, voto pela aplicação de multa no valor de R$ 50 mil a Marcelo William Bottini, em razão do descumprimento do art. 3º da Instrução 358/02, na forma do art. 11 da Lei nº 6.385/76. É como voto. Rio de Janeiro, 2 de outubro de 2007. MARCOS BARBOSA PINTO Diretor-Relator http://www.cvm.gov.br/port/inqueritos/2007/rordinario/inqueritos/10_02_RJ2006-9068.asp

Não se precisa saber, que as aparências enganão...

André Zauza (Consultor)

Não se precisa saber, que as aparências enganão..Devem, saber, que a sabedoria e inteligencia está acima de tudo...Obviamente, já era esperado esta situação juridica que a empresa enfrata, fato, que se incorporada administrativamente a administradores inidóneos....Isto, não era visto..Risos.. André Zauza Consultor Financeiro/Tributário/administrativo e criminal empresarial..

A VENDA DA UNIDADE PRODUTIVA VARIG As suspeita...

veritas (Outros)

A VENDA DA UNIDADE PRODUTIVA VARIG As suspeitas levantadas na CPI versam sobre a origem dos recursos utilizados pelo grupo controlador da VARIG LOG para compra da unidade produtiva VARIG. Conforme foi levantado, os sócios brasileiros que compõem a empresa apresentam pouca idade para terem no seu patrimônio os ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 71 valores utilizados na compra da empresa, havendo indícios, não comprovados por esta comissão, de que pode ter havido a utilização de testas de ferro, os populares “laranjas”, nesse processo. Nos seus depoimentos não houve o devido esclarecimento da origem desses recursos, o que deverá ser matéria de análise por parte do Ministério Público Estadual, já que existiriam indícios que esses recursos seriam do fundo estrangeiro de investimentos, contrariando a legislação pertinente ao setor, que determina que apenas 20% (vinte por cento) do capital de empresa de aviação podem pertencer a estrangeiros. O investigado também deverá ser a própria VARIG LOG, já que essa vedação incluiu as suas atividades. A importância dessa investigação é que ela põe todo esse processo em dúvida, pois a participação de um fundo de investimentos estrangeiro – Fundo Matlin Paterson - no controle de uma empresa de aviação, adquirida através de um leilão público e que poucos meses depois vende essa empresa por um valor muito superior para a GOL, é merecedor de uma análise mais apurada, inclusive com a quebra de sigilo fiscal e financeiro dos participantes. relatorio da cpi http://www.acvar.com.br/acvarnews/relatorio_final_rg.pdf

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 27/03/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.