Consultor Jurídico

Artigos

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Engano da laicidade

Estado laico não é o que abole as convicções religiosas

Por 

O voto do ministro Carlos Britto calca-se em que o embrião resultante da relação sexual não é o embrião resultante da fecundação in vitro. O primeiro é início da vida, mas a vida só acontece com o nascimento, registrado em cartório. O segundo vida não é.

Ora, o raciocínio equivoca-se, em muito, por definir o conteúdo, pelo continente. Com efeito, o fundamento, o conteúdo, é a fecundação. Se aconteceu, fruto de relação sexual, no quarto, na sala, ou no banheiro, ou se deu em laboratório, o lugar onde aconteceu a fecundação é, por óbvio, irrelevante. A fecundação é que gera a vida.

Aliás, e muito a propósito, disse o jornalista Élio Gaspari: “Achar que só há vida depois que ela é reconhecida em cartório ou autenticada pela OAB equivale a regredir ao período em que o cérebro do nosso macaco mal sabia comandar as pernas”.

O promotor Diaulas, fervoroso defensor das pesquisas com células tronco embrionárias, indispondo-se contra lei local que incentiva a doação de órgãos post-mortem — e a doação dos órgãos é atitude a se aplaudir sempre pelo que significa de gesto concreto e eficaz de solidariedade humana — é textual: “O desenvolvimento da ciência fez surgir a expectativa de um direito fundamental à imortalidade”.

Por certo, o promotor Diaulas encanta-se com o romance: “O retrato de Dorian Gray. Opções literárias não se discutem, havemos de respeitá-las...

Já que estamos, no dia seguinte, em frases de arroubo e encantamento, o ministro Britto brinda-nos com a proclamação: “Chega de Trevas”, emoldurada por gesto largo seu, mãos abertas, olhos ao céu a pedir luz. Ocorreu-me a passagem do Gênesis quando o próprio Deus, prescindindo da linguagem gestual, disse simplesmente: “Faça-se a luz”.

A terminar, reparo à monótona, de tão repetida, afirmação de que com a ação que ajuizei comprometida está a laicidade do Estado brasileiro.

Estado laico não é o que abole as convicções religiosas para consagrar o ateísmo, como opção única. Estado laico, porque democrático e plural, é o que garante a convivência pacífica e respeitosa dos que professam os mais variados credos, inclusive os que credo não tem.

Definitivo é Gomes Canotilho, constitucionalista emérito: “Para além dos momentos emocionais que o laicismo republicano transporta pode dizer-se que ele assenta principalmente em três princípios: secularização do poder político, neutralidade do Estado perante as Igrejas e liberdade de consciência, religião e culto”.

 é professor de Direito Processual Penal do Instituto de Educação Superior de Brasília e subprocurador-geral da República.

Revista Consultor Jurídico, 17 de março de 2008, 0h00

Comentários de leitores

63 comentários

Dogmático amigo Richard. Transcrevo abaixo o...

Mauro (Professor)

Dogmático amigo Richard. Transcrevo abaixo o versículo bíblico de II Timóteo 3.16 "Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para instrução na justiça". Creio que quando o APÓSTOLO Paulo menciona "Escrituras" refere-se à Bíblia hebraica, pois ele era um doutor da lei e profundo conhecedor do judaísmo e principalmente da hermenêutica e da produção literária judaica. E um judeu ortodoxo, mesmo tendo ele se convertido ao cristianismo, normalmente preteria a Septuaginta em relação à Bíblia hebraica. Creio que este foi um dos argumentos usados por Lutero. Se quiser comunicar-se comigo por e-mail é nogueira-mauro@uol.com.br. Os PeTralhas de plantão aqui no Brasil devem estar com saudades de você. Forte abraço.

Caro amigo Mauro: Nem poderia! pois pela hab...

Richard Smith (Consultor)

Caro amigo Mauro: Nem poderia! pois pela habitual afoiteza ao digitar mandei-lhe o endereco (estou fora do Pais e sem um teladoo ABNT) errado. E MONTFORT, com "T" (www.montfort.org.br). no mais, pegunto ao amigo: com que AUTORIDADE lutero fez isso? Sobre os demais temas ora abordados, principalmente as indulgencias (materia muito interessante e proveitosa para a nossa alma!) no site tambem tem Um sincero abraco.

E quanto ao site www.monfort.org.br acho que há...

Mauro (Professor)

E quanto ao site www.monfort.org.br acho que há algo errado neste endereço, pois não consegui acessá-lo.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 25/03/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.