Consultor Jurídico

Comentários de leitores

8 comentários

Manter-se "tocaiado" e atirando com balas traça...

Bira (Industrial)

Manter-se "tocaiado" e atirando com balas traçantes é terrorismo?

Abaixo a opinião da Igreja acerca da pena de mo...

Richard Smith (Consultor)

Abaixo a opinião da Igreja acerca da pena de morte: Número 2266 do novo "Catecismo da Igreja Católica": "Preservar o bem comum da sociedade EXIGE que o agressor se prive das possibilidades de prejudicar a outrem. A esse título, o ensinamento tradicional da Igreja SEMPRE reconheceu como fundamentado o direito e O DEVER da legítima autoridade pública de infligir penas proporcionadas à gravidade dos delitos, SEM EXCLUIR, em caso de extrema gravidade, a pena de morte. Por razões análogas, os detentores do poder tem o direito de repelir pelas armas os agressores da comunidade civil pela qual são responsáveis. A pena, tem como primeiro efeito compensar a desordem introduzida pela falta. Quando o valor da pena é voluntariamente aceita pelo culpado, tem o valor de expiação. Além disso, a pena tem valor medicinal, devendo, na medida do POSSÍVEL, contribuir para a correção do culpado. Se os meios não-sangrentos bastarem para defender as vidas humanas contra o agressor e para proteger a ordem pública e a segurança das pessoas, a autoridade se limitará a esses meios, poruqe correspondem melhor às condições concretas do bem como e estão mais conformes à dignidade da pessoa humana." (todos os grifos meus)

O que, ANTROPÓLOGO??? Já não bastam Sociólogos ...

Luiz Antonio (Delegado de Polícia Estadual)

O que, ANTROPÓLOGO??? Já não bastam Sociólogos e outros "entendidos" a comentar e as vezes comandar a Seg. Públicas?! Ótimo Glayston, vamos arrumar uma máquina de "teletransporte", só assim para evitar os confrontos. Segurança Pública é coisa séria e se deve buscar cada vez mais PROFISSIONALISMO. Pólicia competente: 1)Boa Seleção de pessoal, escolaridade e VOCAÇÃO. 2)Excelente formação, teórica e prática. 3) Equipamentos, bélicos e de investigação (gravadores, filmadoras, cameras etc). 4)Constante Capacitação, Reciclagem e Aperfeiçoamento. 5) Constante Fiscalização, Corregedoria atuante (repressiva mas tb com ações preventivas). 6) SALÁRIO DIGNO, DESCENTE, APTO A VALORIZAR ÀQUELES Q ARRISCAM A VIDA DIARIAMENTE E NÃO ARREMEDOS DE SALÁRIOS OU MIGALHAS como ocorre. Não adianta nada belas viaturas, pistolas, fuzis e metralhadoras, rádios, coletes, helicópteros se não se INVESTIR NO HOMEM, na pessoa q vai utilizar tais equipamentos. Enfim, enquanto não se valorizar verdadeiramente a pessoa que usa a Farda ou o Distintivo ficará tudo como está, ou pior, ficará pior. Espero sinceramente que esta mentalidade mude LOGO.

Mudanças: 1) Pagar melhor os policiais (fogu...

Carlos (Advogado Sócio de Escritório)

Mudanças: 1) Pagar melhor os policiais (fogueteiro do tráfico ganha mais que PM) 2) Ter uma corregedoria séria, que investiga e expulsa maus policiais 3) Fazer o preso trabalhar na prisão e não ficar extorquindo por meio de celular e ficar fumando maconha o dia todo etc. 4) Família do preso não tem mais direito a auxílio reclusão. Este auxílio vai para a família do que foi lesado ou sofreu o dano. 5) Celular dentro da cadeia dobra a pena 6) Matar policial, é o dobro da pena de matar um cidadão que não seja policial. 7) Terá progressão de regime somente aquele que trabalhar. Mas para isso tem que dar condições. 8) Dependendo do crime, prisão perpétua. 9) Bens imóveis ou móveis que forem pegos em nome de familiares do bandido, e que não conseguirem comprovar a origem do dinheiro que conseguiu comprar o imóvel, PERDE O BEM (hoje o traficante coloca apartamento etc no nome de parentes, fica preso 5 anos e depois vai administrar a furtuna que conseguiu com o tráfico). Implantem estas normas e depois veremos.

O “antropólogo” especialista em “segurança públ...

GLAYSTON (Delegado de Polícia Federal)

O “antropólogo” especialista em “segurança pública”, diz que falta “inteligência” e eficiência a Polícia. Como ele espera que a polícia apreenda armas em um paiol no morro do Rio de Janeiro, ou faça apreensão de drogas, que ela se “teletransporte” para dentro do local? Tem que subir o morro, e os traficantes não vão ficar olhando, vão atirar. Essa é a razão dos tiroteios atualmente. Se fizer como no tempo do queridinho Brizola, em que a polícia não subia o morro e o tráfico imperava a vontade, vão ter que construir um muro e isolar o Rio de Janeiro do resto do Brasil, por que aí não tem jeito. Ah sim, tem também a questão do consumo, ou será que aquela população pobre que vive no morro é que consome toda a cocaína e maconha que é vendida ou apreendida lá?

sergio cabral esta pagando um preço alto por en...

acs (Advogado Assalariado)

sergio cabral esta pagando um preço alto por enfrentar o problema, ao contrario dos seus antecessores que enfiavam a cabeça no buraco como avestruzes.os defensores dos direitos humanos ou são safados mesmo ou na melhor das hipoteses, inocentes uteis manobrados pelo pcc.por mais politicamente incorreto que possa parecer, ainda não inventaram uma forma de enfrentamento a bandidos armados com fuzis que não seja o uso da força letal e danos colaterais ,infelizmente, são uma consequencia indesejada porém inevitavel.o ponto fulcral da questão é que a responsabilidade pelos danos não é da polícia nem do governador e sim dos facinoras que afrontam o estado democratico de direito.

Gostaria de sugerir a seguinte tarefa aos pseud...

ACUSO (Advogado Autônomo - Dano Moral)

Gostaria de sugerir a seguinte tarefa aos pseudos intelectuais que defendem , há mais de 30 anos, a bandidagem: subam os morros com flores para os atiradores do trafico e me digam, ( depois quando voltarem ) o resultado!

Ok! E qual é a tal "política de segurança" ...

Richard Smith (Consultor)

Ok! E qual é a tal "política de segurança" mesmo? Desde que o safsado falecido brizola, respeitando compromisso anteriormente assumido, proibiu o acesso da polícia aos morros do Rio para não atrapalharem (cobrarem propina, leia-se) o "movimento" do bicho é que começou a gestar o autêntico descalabro que flagela a conivente população da antiga "Cidade maravilhosa". Isso lá pelos idos de 1982. Será que alguém de bom senso, reputa como inverídicas as situações de corrupção explícita mostradas no tal filme? Conheci de perto a polícia no Rio, na década de 70 e fatos já denunciados no filme "Lúcio Flávio o Passageiro da Agonia" autor este aliás, da celebérrima e lapidar frase: "Bandido é bandido e polícia é polícia". No Rio de Janeiro, que atravessa há décadas a maior prostituição entre esses dois conceitos - a começar pelos seus governantes! - o que se esperar da polícia? Nunca se viu sair uma girafa de dentro de uma vaca e nem um coelhinho do ventre de uma leoa, não é?

Comentar

Comentários encerrados em 23/03/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.