Consultor Jurídico

Notícias

Farra do grampo

Juiz diz que colegas são coagidos para autorizar grampo

Comentários de leitores

  • Página:
  • 1
  • 2

34 comentários

No filme "OS INTOCÁVEIS" O INVESTIGADOR, PARA P...

Pedro Paulo Volpini (Advogado Sócio de Escritório)

No filme "OS INTOCÁVEIS" O INVESTIGADOR, PARA PRESSIONAR UM JUIZ A TROCAR DE JURADOS PARA UM JULGAMENTO, INSINUOU PARA AQUELE MAGISTRADO QUE ELE TAMBÉM ESTARIA NA LISTA DE SUSPEITOS QUE TERIA SIDO APREENDIDA COM ALGUÉM QUE TAMBÉM SERIA INTGEGRANTE DA "ORGANIZAÇÀO CRIMINOSA" SOB INVESTIGAÇÃO, NAQUELE FILME. Interessante, não? A Vida copiando a Arte?

DR. GILMAR MENDES, SE PUDESSE, ACABARIA COM A P...

Antonio (Outros)

DR. GILMAR MENDES, SE PUDESSE, ACABARIA COM A POLÍCIA FEDERAL E COM TODOS QUE "OUSAREM" SEQUER TENTAR INVESTIGÁ-LO. ELE, COMO OUTROS, SE JULGAM "ACIMA DO BEM E DO MAL". AS LEIS DOS "SIMPLES MORTAIS", QUE ROUBAM UM POTE DE MARGARINA, POR EXEMPLO, NÃO SERVEM PARA PESSOAS "DO NÍVEL DELE".

O povo tem que temer, quando pessoas com o pass...

Antonio (Outros)

O povo tem que temer, quando pessoas com o passado do Dr. Gilmar Mendes ocupam um dos mais altos cargos da "IN"JUSTIÇA BRASILEIRA. Quem tem telhado de vidro e tem nas mãos tanto poder, jamais fará justiça ao desempregado que roubou um pote de margarina ou um pedaço de carne. As cifras, lá em cima, são bem mais altas do que isso.

A manutenção dos direitos fundamentais do cidad...

Antonio Carlos BELLINI JÚNIOR (Advogado Sócio de Escritório)

A manutenção dos direitos fundamentais do cidadão deve ser a regra maior. O direito ao sigilo de seus dados, à intimidade, devem ser prestigiadas e protegidas. O juiz somente deve permitir escutas em situações limites, onde esteja bem demonstrada a necessidade e indícios razoáveis que permitam adentrar à vida privada do cidadão sob investigação. Contudo, o que temos visto é uma farra das escutas. Têm sido concedidas quebras de sigilo NO ATACADO, muitas vezes sem nenhuma fundamentação ou sob a falha fundamentação de é preciso se combate a criminalidade, sem mostrar os MOTIVOS que, no caso concreto, mostram a necessidade da violação de um dos direitos máximos do cidadão. É preciso combater a criminalidade, mas isso não pode ser feito às custas das garantias individuais, conquistadas historicamente a custa do sangue, dos gritos e dos ataques a milhares de inocentes. O risco se isso acontecer? Voltarmos a um regime de excessão.

Eis ai a faceta obscura do governo stalinista p...

amigo de Voltaire (Advogado Autônomo - Civil)

Eis ai a faceta obscura do governo stalinista petista. Policia prato feito ministério publico federal pensando que é o reduto da justica e do correto cheio de petelhos e juizes bajuladores e tementes........ Eis a face da justica brasileira sob o governo petista. Deus nos ajude!!!!!

Caro Manoel, se a ignorância não julgasse a cul...

Sunda Hufufuur (Advogado Autônomo)

Caro Manoel, se a ignorância não julgasse a cultura uma piada, não seria ignorante. E piadas divertem não? E..vc. disse que está se divertindo, não é isso? a qua qua qua qua....E o mais engraçado é a polícia devassar a vida de todo mundo e vc. dize rque eu é que sou o prepotente! a qua qua qua qua qua

Caro prof.Manuel, em "À você" não há crase. Um ...

olhovivo (Outros)

Caro prof.Manuel, em "À você" não há crase. Um abraço.

Me parece mais próximo da realidade hoje o bach...

futuka (Consultor)

Me parece mais próximo da realidade hoje o bacharel Ramiro, além de 'cutucar' a realidade com muita propriedade deu nos uma aula de conhecimento 'in locum' principalmente quando diz no trecho onde se lê: "Aqui em Pindorama investigar é ficar com traseiro sentado numa cadeira ouvindo a conversa dos outros, editar o que interessa, montar fitas editadas que em geral não passam por perícia isenta." Parabenizo o 'jovem bacharel', entre outros que visívelmente estão comprometidos com as ações sérias que devem firmar a atuação do agente público que se envolve através das escutas em fatos irreais, pois, não diligenciam ou investigam profundamente - tão sómente (como diz um outro comentarista) prospectam,, pasmem!!..02 anos de interceptação de uma linha telefônica-R$30milhões ..não é uma piada(?)rs Essa cpi não tem que fazer DEVE FAZER!

No Brasil, todos são inocentes. Mesmo após prov...

Vladimir Aras (Procurador da República de 1ª. Instância)

No Brasil, todos são inocentes. Mesmo após prova em contrário.

Caro Ramiro, por lei, o réu tem direito de aces...

www.professormanuel.blogspot.com (Bacharel)

Caro Ramiro, por lei, o réu tem direito de acesso à todo o conteúdo da interceptação. E, na prática, você verá, ele tem. Um abraço.

Caro Félix, você não me ofende. Estou acostumad...

www.professormanuel.blogspot.com (Bacharel)

Caro Félix, você não me ofende. Estou acostumado e sempre dou boas risadas com a sua prepotência e com as bobagens que você escreve. À você dou conselho contrário: não estude! Se o fizer, perderei meu divertimento. Um forte abraço.

Está sendo decretada a falência do aparato poli...

Ramiro. (Advogado Autônomo)

Está sendo decretada a falência do aparato policial brasileiro e a inépcia de certos setores do MP. Em qualquer país sério a escuta coloca a polícia no lugar do crime, para realizar o flagrante, com filmagens, apreensões. Aqui em Pindorama investigar é ficar com traseiro sentado numa cadeira ouvindo a conversa dos outros, editar o que interessa, montar fitas editadas que em geral não passam por perícia isenta. O problema não é a escuta em si, é o tipo de uso que se faz deste método no Brasil, como único meio de persecução e de sustentação de acusações. Se fosse num país sério sobrava Policial, começando por delegados, e Procuradores e Promotores fora do serviço público. E ainda tem os que tentam ridicularizar os peritos sérios. A única impunidade que estou vendo é em favor do abuso de poder. Corrupção se prova por registros contábeis de movimentação de contas, rastreamento de dinheiro sujo e afins. Se a Polícia e o MP não tem competência para fazê-lo, coloquem-se no seu devido lugar, de ineptos. As degravações de escutas tão-somente como únicas, absolutamente única provas. Coragem do Dr. Molina de dizer que se fosse em países sérios as provas que aqui colocam gente nas prisões seriam desconsideradas, descartadas como nulas. E fica a história do MP querer ser polícia e a polícia querer ser MP, e dá nessa escatologia de métodos.

Parabéns ao Conjur por tornar público o que tod...

Cecília. (Outros)

Parabéns ao Conjur por tornar público o que todos os atuantes na área penal já sabiam: a lei de interceptação telefônica é desvirtuada invariavelmente pelos órgãos persecutórios.

Atos da ditadura MPF-SP move ação contra ex-ch...

HERMAN (Outros)

Atos da ditadura MPF-SP move ação contra ex-chefes do DOI-CODI Revista Consultor Jurídico, 15 de maio de 2008. Veja que o MPF pede na ação 1) O reconhecimento do dever das Forças Armadas de revelar o nome de todas as vítimas do DOI-CODI de São Paulo (não apenas de homicídio e desaparecimento, uma vez que o órgão deteve mais de 7.000 cidadãos), circunstâncias de suas prisões e demais atos de violência que sofreram, bem como tornar públicos todos os documentos relacionados ao funcionamento do órgão; 2) A declaração de que Ustra e Maciel comandaram um centro de prisões ilegais, torturas, homicídios e desaparecimentos forçados no DOI-CODI de São Paulo; 3) Que Ustra e Maciel sejam obrigados a reembolsar à União os custos das indenizações pagas na forma da lei 9.140/95 (lei de mortos e desaparecidos políticos) às famílias das 64 vítimas daquele destacamento durante a gestão dos demandados; 4) Que ambos sejam condenados a não mais exercerem qualquer função pública. A matéria acima define bem o que acabará acontecendo com os grampos abusivos. E vejam bem, de iniciativa do Ministério Público.

E continua a campanha do CONJUR contra a interc...

MUDABRASIL (Outros)

E continua a campanha do CONJUR contra a interceptação telefônica. Não se conhece país sério que proíba esta forma de investigação. Aqui no Brasil, há uma estranha movimentação para impedir a atividade repressiva do Estado, de várias formas. E repressão ao crime, em estado de direito, é proteção à sociedade.Punir os abusos, sim, acabar com a possibilidade de escuta legal é favorecer a impunidade. Quem não viu, deve ver a reportagem na Record News onde, em vídeo gravado por investigador suspeito de utilizar interceptações legais com interesses escusos (está preso pela atuação do MP estadual), advogada ligada ao PCC diz que depois do grampo, 'ninguém mais teve sossego'. Quem quer dar sossego ao PCC??

O caso específico que envolve o Magistrado Mazl...

HERMAN (Outros)

O caso específico que envolve o Magistrado Mazloum, o grampo iniciou através de mero ofício de n.° 02/2002-SAI/DI/DPF, de 15 de abril de 2002, da lavra do Delegado da Polícia Federal, Dr. EMMANUEL HENRIQUE BALDUÍNO DE OLIVEIRA, na cidade de Maceió/Al, é iniciado um grampo prospectivo do Delegado da Polícia Federal aposentado, JLB., tendo, como único fundamento para referida medida excepcional, a notícia, através de fontes confiáveis, de que o Sr. JLB estaria tentando corromper policiais federais com vistas a receber informações privilegiadas. Houve, indiscutivelmente, um “grampeamento” de prospecção indiscriminado e abusivo de uns e outros, sem base legal alguma, sem fundamentação, sem dignidade, ouso dizer, criminosamente, ou seja, houve, verdadeira investigação de prospecção que, como salientado alhures, é rechaçada pelo ordenamento jurídico pátrio. Os fins não justificam os meios. Ademais, é sabido que, para a concessão da medida excepcional de interceptação telefônica pelo Poder Judiciário é indispensável que exista, ao menos, inquérito policial instaurado e segura e firme notitia criminis, sem o que, a medida não pode ser concedida, repita-se, não havia inquérito ou processo crime em andamento. In casu, o que criou foi tão-somente um procedimento de investigação intitulado de “MEDIDA CAUTELAR CRIMINAL DIVERSA”, não havendo instauração de inquérito ou processo, tipificando os fatos e as pessoas. Passaram então, a fazer grampos sem ordem judicial e abusos de toda espécie. Chegando ao absurdo, através de um juiz singular, grampear, outros juízes, desembargadores, deputados federais e subprocuradores da república, gastando em dois anos R$ 30.000.000,00, autorizado pela Casa Civil da Presidência da República.

Não, sr. José (outros). Do jeito que está indo ...

Cecília. (Outros)

Não, sr. José (outros). Do jeito que está indo - escutas deferidas sem existência de inquérito, edições nas conversas captadas, dentre tantos outros absurdos - não existe é lei no Brasil. Espero que a CPI dê um jeito nessa bagunça, porque o Judiciário parece mesmo acovardado diante dos órgãos persecutórios. É óbvio que há exceçoes.

Do jeito que esta indo, não existe corrupção no...

jose brasileiro (Outros)

Do jeito que esta indo, não existe corrupção no Brasil. Entao como não havera mais criminosos nobrasil, sugira, aos advogados, começarem a pensar em fazer outra faculdade. Porque o campo de trabalho sera reduzido. O brasil não e corrupto. Quando os crimes eram de autoria dos pobres, ninguem estava nem aih, agora que o negocio esta mais acima. Querem dizer e antidemocratico. O pau que bate em chico, bate em francisco.

..."medo, venalidade, paixão partidária, como q...

José R (Advogado Autônomo)

..."medo, venalidade, paixão partidária, como quer que te chames, ó prevaricação judiciária, não escaparás ao ferrete de Pilatos. Salvou-se o bom ladrão (crucificado), mas não há perdão para o JUIZ COVARDE..." (RUY) Cumprimentos ao Juiz Ali Mazloum, que não é covarde.

Acho que o douto magistrado, depois do que ele ...

Antônio Macedo (Outros)

Acho que o douto magistrado, depois do que ele sofreu na pele a injustiça decorrente da malfadada operação anaconda, é exemplo de juíz que enobrece a magistratura federal.

  • Página:
  • 1
  • 2

Comentar

Comentários encerrados em 24/05/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.