Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Força maior

Roubo de caminhão afasta dano pela não entrega de mercadoria

O motorista de caminhão José Reinaldo de Melo não deverá pagar R$ 8 mil de indenização por não entregar mercadorias que foram roubadas durante o transporte. A decisão é da 3ª Câmara de Direito Civil do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, que reformou a sentença da Comarca de Blumenau (SC).

“O contrato de transporte de mercadorias, rege-se pelas normas da responsabilidade civil objetiva. Porém, ao reconhecer um caso fortuito ou força maior, fora do alcance das partes e sem a contribuição do prestador de serviços é afastado o dever de indenizar”, entendeu o desembargador substituto Henry Petry Júnior. A decisão foi unânime.

A empresa Corsini Embalagens contratou o motorista para transportar embalagens de isopor de São Paulo para Blumenau (SC). Como o produto não foi entregue, a empresar entrou na Justiça.

O motorista argumentou que foi roubado por dois homens encapuzados na rodovia Anhangüera (SP). No Detran de Santa Catarina, havia o registro de roubo do veículo em junho de 2005.

Apelação Cível 2008.007.462-1

Revista Consultor Jurídico, 29 de junho de 2008, 0h00

Comentários de leitores

1 comentário

Com este entendimento, as empresas aéreas, não ...

A.G. Moreira (Consultor)

Com este entendimento, as empresas aéreas, não causam dano e terminam as suas responsabilidades, sempre que haja um "caso fortuito" e o avião não possa sair ou tenha que fazer escala em locar diferente ou, ainda, caia e não chegue a lugar nenhum ! ! !

Comentários encerrados em 07/07/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.