Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Promessa é dívida

Drogaria é condenada por depositar cheque antes da data combinada

A drogaria Village, de Porto Velho, deve pagar indenização por danos morais e materiais a um consumidor que teve seu cheque pré-datado depositado antes da data combinada. A determinação é do juiz João Luiz Rolim Sampaio, do 1ª Juizado Especial Cível de Porto Velho. Cabe recurso.

No dia 15 de março de 2007, o consumidor pagou R$ 157,08 com um cheque pré-datado. O combinado foi para que o cheque fosse depositado no dia 3 de abril. No entanto, o dono da drogaria apresentou o cheque ao banco nos dias 20 e 30 de março.

A conta do consumidor estava sem fundo naqueles dias. Ele só ficou sabendo do que aconteceu quando foi impedido de fazer compras em um supermercado porque seu nome estava inscrito na Serasa. Além de perder o limite do cheque especial, ele ficou sem crédito no banco.

O consumidor pediu 20 salários mínimos (R$ 8,3 mil) por danos morais. No entanto, o juiz fixou em R$ 4 mil a indenização. Para Sampaio, o valor deve estar de acordo com os princípios da proporcionalidade, da razoabilidade e do caráter punitivo-pedagógico.

O juiz fixou, ainda, indenização de R$ 105,08 por danos materiais, já que o consumidor teve que pagar o cartório para retirar o seu nome da Serasa.

Segundo Sampaio, a drogaria não negou a apresentação antecipada do cheque. Apenas argumentou que o cheque é ordem de pagamento à vista e que somente houve a restrição de crédito porque o consumidor demorou a fazer o pagamento.

Revista Consultor Jurídico, 23 de junho de 2008, 16h12

Comentários de leitores

1 comentário

Putz vale muito apena ser picareta neste país. ...

ERocha (Publicitário)

Putz vale muito apena ser picareta neste país. Nos EUA as empresas tem US$ 5k caso um sensor dispare e você tenha pago a compra. O dinheiro é para que você não entre na Justiça. Se for para o tribunal o estrago é muito maior.

Comentários encerrados em 01/07/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.