Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Declaração de impedimento

Juiz dos EUA que tinha site pornográfico desiste de julgar ação

O juiz federal Alex Kozinski, dos Estados Unidos, resolveu na sexta-feira (13/6) sair de um caso sobre obscenidade. Ele não vai mais analisar a ação contra um distribuidor de DVDs de pornográficos. Motivo: foi revelada a existência de um site do próprio juiz contendo fotos sexo explícito.

Kozinski, de Los Angeles, havia suspendido na quarta-feira (11/6) as audiências até segunda-feira (16/6), quando a Promotoria deveria se pronunciar. Mas ao final decidiu se retirar do caso, que será entregue a outro juiz, informa agência AFP.

O juiz presidia o julgamento contra Ira Isaacs — ambos de 57 anos —, por violação de uma lei federal sobre obscenidade por vender e distribuir DVDs que exibiam práticas sexuais de bestialismo e coprofagia.

Mas, o caso deu uma virada quando o jornal Los Angeles Times revelou o conteúdo sexual do site pessoal do juiz.

Kozinski disse que não sabia que as fotografias no seu site poderiam ser vistas pelo público. Assim que a reportagem foi publicada, ele tirou imediatamente as imagens de mulheres nuas pintadas como se tivessem pêlos de vacas e um vídeo que exibia um homem seminu mantendo relações sexuais com um animal em uma fazenda.

Para o juiz, as fotos não eram obscenas. “É lascívia? Não sei o que dizer. Creio que é curioso e interessante. Faz parte da vida”, afirma.

Revista Consultor Jurídico, 14 de junho de 2008, 13h44

Comentários de leitores

3 comentários

Desnecessário qualquer comentário diante do que...

Thiago (Funcionário público)

Desnecessário qualquer comentário diante do que o juiz já fez: “É lascívia? Não sei o que dizer. Creio que é curioso e interessante. Faz parte da vida”, Cabritas...tremei...

Juiz cretino!

ZÉ ELIAS (Advogado Autônomo)

Juiz cretino!

Tem louco em todo lugar ...

Expectador (Outro)

Tem louco em todo lugar ...

Comentários encerrados em 22/06/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.