Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Desvio de financiamento

Fraude contra agricultores vira alvo de operação da PF

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (10/6), em Sorocaba, no interior de São Paulo, a Operação Capelinha. Segundo a PF, a operação “tem o objetivo de desarticular uma organização criminosa que, mediante fraude praticada contra associação de agricultores familiares, apoderou-se de investimentos superiores a R$ 1.300.000,00 contraídos perante o extinto banco Terra com recursos do Pronaf”.

Cerca de 80 policiais federais cumprem, desde as 6h da manhã, nas cidades de Sorocaba, Itu, Taquarivaí e Buri, todas no interior de São Paulo, 14 mandados de prisão e 12 ordens de busca e apreensão expedidos pela 2ª Vara da Justiça Federal em Sorocaba.

A investigação foi iniciada há sete meses. De acordo com a PF, ela “mostra que os investigados apoderaram-se da Associação dos Agricultores Familiares de Taquarivaí para desviar em benefício próprio, financiamento obtido junto ao Banco Terra em condições diferenciadas, uma vez que o dinheiro seria destinado exclusivamente à compra de propriedade rural a ser dividida entre os associados, realização de benfeitorias e custeio da atividade rural”.

A Polícia Federal afirma, ainda, que “originalmente, uma vez criada a Associação, parte dos recursos foi utilizada na aquisição da propriedade rural Fazenda Capelinha, e a outra parte para a construção de 29 casas para as famílias que iriam trabalhar na terra, além da obtenção dos meios necessários para fomentar a agricultura familiar”. E, “posteriormente, a organização desmantelada, composta por advogados, empresários e outros, por meio de extorsão e fraude, passou a pressionar os membros da Associação ‘a alienar suas terras por valores módicos’ o que se deu por meio de verdadeira expulsão das famílias da Associação bem como a apropriação dos bens adquiridos por meio do financiamento”.

Os acusados podem responder pelos crimes de extorsão, estelionato e formação de quadrilha. As penas que podem chegar a até 10 anos de reclusão.

Revista Consultor Jurídico, 10 de junho de 2008, 10h44

Comentários de leitores

1 comentário

E a "operação tartaruga" quando é que sai? Aque...

olhovivo (Outros)

E a "operação tartaruga" quando é que sai? Aquela relacionada aos recentes episódios Varig e Bancoop.

Comentários encerrados em 18/06/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.