Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Passagem de gasoduto

Concessionária não pode cobrar taxa por uso de seu subsolo

O Superior Tribunal de Justiça colocou fim na discussão entre uma concessionária de ferrovia no Rio de Janeiro e a Companhia Distribuidora de Gás do estado (CEG) sobre a cobrança pela passagem de gasoduto na faixa de domínio da concessionária. A 1ª Turma concluiu que uma concessionária de transporte ferroviário não tem capacidade tributária para cobrar taxa pelo uso do subsolo.

A MRS Logística pretendia cobrar da CEG taxa anual de R$ 6 mil pelo uso do subsolo. O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro já tinha vetado a cobrança. No STJ, o ministro José Delgado, relator da matéria, acompanhou a decisão e observou que a concessionária só poderia cobrar por serviço público de transporte de carga e pessoa, mas isso não se discute no recurso. A decisão da 1ª Turma do STJ foi unânime.

A concessionária afirmava que, como a faixa de domínio está entre os bens arrendados por ela da União, sucessora da Rede Ferroviária Federal (RFFSA), e como pagou por esse arrendamento, teria o direito de também cobrar pelo uso do solo por terceiros. O argumento não foi aceito pela Justiça.

A CEG entrou com ação para que fosse declarada a ilegalidade da cobrança por parte da concessionária. A tese foi aceita levando-se em conta o artigo 11 do Decreto 1.832/1996, que regulamenta os transportes ferroviários e, segundo o qual “a administração não poderá impedir a travessia de suas linhas por tubulações, anterior ou posteriormente estabelecidas, observadas as instruções específicas de proteção ao tráfego e às instalações rodoviárias”.

Ao julgar o caso, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro entendeu que o arrendamento à concessionária inclui a ressalva do decreto, independentemente de constar no contrato. A decisão foi mantida pelo STJ.

Resp 954.067

Revista Consultor Jurídico, 2 de junho de 2008, 13h28

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 10/06/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.