Consultor Jurídico

Notícias

Modus operandi

Fenapef critica Protógenes e apóia decisão do Supremo

Comentários de leitores

19 comentários

Tanto o MP (Promotores e Procuradores) quanto a...

Domingos da Paz (Jornalista)

Tanto o MP (Promotores e Procuradores) quanto a Policia (Delegados e agentes) são males necessários a sociedade, ambos são educados nas “escolinhas patrocinadas pelo Estado” para alimentarem a desobediência ao Estado Democrático de Direito neste país. Tal são os métodos truculentos apenas empregados durante o Regime de Exceção (Regime Militar), mas que, estão em plena atividade destes “monstros”, haja vista que ambos desrespeitam os mais elementares direitos constitucionais dos cidadãos tais como: I - homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos desta Constituição; - II - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa se não em virtude de lei; - III - ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante; - XXXVII - não haverá juízo ou tribunal de exceção; - XL - a lei penal não retroagirá, salvo para beneficiar o réu; - LIV - ninguém será privado da liberdade ou de seus bens sem o devido processo legal; - LV - aos litigantes, em processo judicial ou administrativo, e aos acusados em geral são assegurados o contraditório e ampla defesa, com os meios e recursos a ela inerentes; - LVI - são inadmissíveis, no processo, as provas obtidas por meios ilícitos; -LVII - ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória; - Portanto, ambos os “poderes do MP e Policia” são males necessários a sociedade até o dia em que essa mesma sociedade resolver colocar a “casa em ordem”, enquanto isso é bom que estes “empregados do povo” se calem e passem a respeitar os seus patrões, o povo e os cidadãos que tem constantemente seus direitos constitucionais maculados por estes “grupelhos” que se julgam autoridades, e tenho dito.

Afinal de contas, qual é realmente o signif...

Bellbird (Funcionário público)

Afinal de contas, qual é realmente o significado de FENAPEF?. Estão abertas as sugestões.

ENFIM ALGUÉM LÚCIDO NA HISTÓRIA. CLARO QUE ESSA...

Luiz Fernando (Estudante de Direito)

ENFIM ALGUÉM LÚCIDO NA HISTÓRIA. CLARO QUE ESSA É A POSIÇÃO MAIS SENSATA, APESAR DOS GRITOS DOS DESCABELADOS.

É lamentável ler opinioes como do investigador ...

Sérpico (Estagiário)

É lamentável ler opinioes como do investigador Almir. A policia tem que ser BURRA entao??? Meros cumpridores de ordens?? Titeres nas maos de outro orgao?? Vá estudar e evoluir na vida.

Mais uma vez evidencia-se que o inquérito polic...

Almir Sobral (Funcionário público)

Mais uma vez evidencia-se que o inquérito policial é uma peça anacrônica que propicia o abuso da chamada autoridade policial. É necessária a extinção do abominável Inquérito policial abolindo o cargo de delegado que só intumesce a organização policial, a exemplo dos demais países onde tais figuras inexistem e as respectivas polícias apenas investiga os delitos, cumprindo o seu verdadeiro papel, deixando as inquirições formais para a Justiça e o Ministério Público. Enquanto houver essa “autoridade policial” e as necessárias modificações não emergirem em nosso regime jurídico, o clima será sempre favorável para o abuso policial e a violação indevida das garantias individuais.

Dois "habeas banqueiro" em menos de dois dias d...

Lauro Caversan (Professor)

Dois "habeas banqueiro" em menos de dois dias dispensam qualquer comentário a respeito de quem deveria ser censurado. Dentro em pouco é provável que o delegado pegue 20 anos de cadeia(sem habeas corpus) e o banqueiro ainda receba uma polpuda indenização.

lufesc, Estou começando a achar que você é b...

Mauricio_ (Outros)

lufesc, Estou começando a achar que você é bacharel em outra ciência que não a jurídica. Mas, tudo bem, mesmo assim, vou lhe explicar. As palavras, quando empregadas em um vocabulário comum, podem carregar vários significados. Isso não ocorre quando um termo é empregado de modo científico, onde as palavras exprimem conceitos e valores dessa ciência. Evidente que o dicionário Aurélio é uma grande obra, mas quando empregada à linguagem comum, do dia-a-dia. O Direito é uma ciência e, como tal, possui um vocabulário próprio, onde os termos empregados possuem significados específicos, que, muitas vezes, não coincidem com o senso comum das palavras. Assim, não será o dicionário Aurélio que nos dará o significado científico de uma terminologia jurídica, mas as obras jurídicas que buscam interpretar os conceitos do Direito.

Delpol. Tenho que permanecer lamentando ao me ...

lufesc (Bacharel)

Delpol. Tenho que permanecer lamentando ao me deparar com estouvamento dessa natureza, ainda não consegui digerir a seguinte locução: “Quanto ao dicionário Aurélio, sinto lhe informar que essa obra não se aplica às questões jurídicas, que carecem de uma terminologia científica e não apenas de um mero vocabulário comum.” (sic) Diante disso gostaria de lhe fazer a seguinte indagação: Em qual das línguas o senhor relata os Inquéritos? Em Português ou Delegadês?. Se o senhor me responder que é a segunda, o senhor tem toda razão em afirmar que o Dicionário do Mestre AURÉLIO BUARQUE DE HOLLANDA não se aplica as suas conclusões postas em juízo marciano ou saturniano.

lufesc, Para você ver como esses sindicalist...

Mauricio_ (Outros)

lufesc, Para você ver como esses sindicalistas estão perdidos. Vivem escrevendo artigos, divulgando notas, em que defendem o acesso de agentes ao cargo de delegado, o que é flagrantemente inconstitucional na atualidade, e se posicionam contra a PEC 549, que abriria uma exceção a essa regra. Talvez essa recalcitrância se deva ao fato de a PEC 549 beneficiar apenas os agentes bacharéis em Direito, sendo que desejam que um agente formado, por exemplo, em educação física, ou até mesmo agentes da época do concurso de nível médio possam se tornar autoridades policiais e exercer as funções jurídicas de delegado de polícia. Quem sabe não seja essa a questão. Quanto ao dicionário Aurélio, sinto lhe informar que essa obra não se aplica às questões jurídicas, que carecem de uma terminologia científica e não apenas de um mero vocabulário comum. No lugar do Aurélio, fico com Plácido e Silva. Quanto ao conceito de autoridade policial e sua distinção de seus agentes, lhe recomendo uma simples leitura do Código de Processo Penal. Caso você não compreenda o CPP, pode consultar o link abaixo, onde há uma explicação mais minuciosa sobre o conceito de autoridade policial: http://www.sindepodf.org.br/modules/news/article.php?storyid=1576

Depol. É lamentável ver um Delegado de Polícia...

lufesc (Bacharel)

Depol. É lamentável ver um Delegado de Polícia pondo o prolongamento da coluna vertebral embaixo do tapete, conforme se vê na risível conjectura: “É mais do que sabido que a FENAPEF pretende ressuscitar o instituto do acesso ou da transposição de cargos, vedado pela CF de 1988, para que agentes da autoridade possam ser "promovidos" a autoridades policiais, sem a exigência de concurso público.” Gostaria que os DELEGADOS DE POLICIA assumissem a paternidade da nefasta PEC 549/2006 que em seus termos ADMITE O PROVIMENTO DERIVADO, ou o senhor sabe o que significa Provimento Derivado? Assim diz o eixo principal da PEC 549: “Art. 251. Os Delegados de Polícia organizados em carreira, no qual o ingresso depende de concurso público de provas e títulos, com a participação da Ordem dos Advogados do Brasil, admitido o provimento derivado na forma da lei, são remunerados de acordo com o disposto no art. 39, § 4º e o subsídio da classe inicial não será inferior ao limite fixado para o membro do Ministério Público que tenha atribuição para participar das diligências na fase investigatória criminal, vedado o exercício de qualquer outra função pública, exceto uma de magistério.” Onde o senhor achou esse impropério gramatical de que: “AGENTES DA AUTORIDADE POSSAM SER PROMOVIDOS A AUTORIDADES POLICIAIS” (sic). Ora senhor Depol, faço questão de propiciar-lhe um melhor conhecimentos, onde o MESTRE AURÉLIO BUARQUE DE HOLLANDA em seu Dicionário de Língua Portuguesa assim sintetiza: “ AUTORIDADE é aquele que tem por encargo fazer respeitar as leis; Portanto, vejo em suas palavras um ranço de ditadura ainda preexistente, onde a Única Autoridade é a de Delegado os quais de deleitaram no regime pretérito.

Parabens ao senhor que ora se encontra a frente...

futuka (Consultor)

Parabens ao senhor que ora se encontra a frente da fenapef quando diz que a pf não rachou. Sem dúvida nós cidadãos ficamos mais tranquilos. Me recordo de haver sido informado que a pf foi criada na década de 60, muito novinha ainda para que hajam problemas crônicos, pois, também me disseram que a disciplina administrativamente falando sempre foi muito rigorosa, quando idealizada por um grande mestre e ADVOGADO (J.B.V.M.)foi me parece aos moldes do FBI americano, se soltou mais na região sul a partir da década de 80, onde passou a atuar mais de perto em assuntos que eram cuidados pelo Estado. Mesmo sendo os agentes muito bem treinados pela laboriosa academia nacional de polícia, o serviço de inteligencia sempre mesclado a outros setores de informação e ou agencias públicas trouxe a suas respectivas superintendencias a total gerencia regional que se reporta ao diretor geral. Entre outras me pergunto porque haveria um "desgarrado"('com seu próprio time') não tem lógica nem conseqüência para a grande Polícia Federal brasileira,, e sim para algum terceiro interessado. É preciso não gostar da profissão para seguir só numa campanha em que voce está representando o quê(?)quem(?).. o Estado(??)..qual??? - QUEM COMANDA A PF NÃO É O MPF, PARA SEU CONHECIMENTO. Realmente a pf não está e nunca esteve 'rachando', só se for alguma cabeça do crime organizado. Reitero portanto os meus votos de congratulações ao senhor que preside atualmente a fenapef que seja vitorioso em sua missão.

É mais do que sabido que a FENAPEF pretende res...

Mauricio_ (Outros)

É mais do que sabido que a FENAPEF pretende ressuscitar o instituto do acesso ou da transposição de cargos, vedado pela CF de 1988, para que agentes da autoridade possam ser "promovidos" a autoridades policiais, sem a exigência de concurso público. Então -- sabe-se lá por que lógica -- pensam que o caminho para isso é a critica constante aos senhores delegados de polícia federal, profissionais que chegaram onde eles pretendem chegar, não por manobras jurídicas, mas por esforço, dedicação e muito estudo. Ora, senhores sindicalistas, querem ser delegados, cursem uma faculdade de Direito e submetam-se, como qualquer cidadão, ao respectivo concurso público.

Pelos comentarios provindos destes sindicalista...

Sérpico (Estagiário)

Pelos comentarios provindos destes sindicalistas frustrados da FENAPEF, pode-se claramente perceber que os mesmos tem uma BAITA inveja dos Delegados Federais. Querem ser Delegados sem concurso e no entanto vivem pixando os Delegados, ou seja, cospem no prato que querem um dia comer. Que pobres de espírito! Por isto estou estudando e um dia vou ser Delegado Federal.

O gente, muda o disco, ficar dando cartaz para ...

Francisco Lobo da Costa Ruiz - advocacia criminal (Advogado Autônomo - Criminal)

O gente, muda o disco, ficar dando cartaz para esse delegado é a mesma coisa que ficar batendo palmas para doido dançar.

É isso aí... Parabéns à Fenapef! E que o ...

Comentarista (Outros)

É isso aí... Parabéns à Fenapef! E que o delegado responda legalmente pelos eventuais excessos cometido e, caso sejam comprovados, que seja exemplarmente punido. E viva Gilmar Mendes, que colocou "ordem na casa" e demonstrou, numa canetada, que o estado democrático de direito ainda vige na nossa republiqueta das bananas.

Parabéns ao Marcos Vinícios pela nota, mas os A...

Frankil (Agente da Polícia Federal)

Parabéns ao Marcos Vinícios pela nota, mas os Agentes esperam por ações mais contudentes da Federação.

Li o texto e a nota. "Data venia", não vi na...

kELSEN (Outros)

Li o texto e a nota. "Data venia", não vi nada que justifique o título dado ao artigo. O que o sindicalista disse é que cabe à sociedade debater, não à Polícia Federal. Dizer, a partir daí, que o sidicato apóia a decisão do Supremo é forçar muito a barra conjur.

Hamil, Não desvie o foco da matéria. O que est...

Cecília. (Outros)

Hamil, Não desvie o foco da matéria. O que está sendo discutido é a forma pela qual o DPF investigou os fatos. Se até mesmo seus colegas de instituição não estão referendando seus atos é porque alguma coisa deve estar errada. Veremos.

Vamos santificar ou pedir a beatificação do Sr....

Hamil MT (Bacharel)

Vamos santificar ou pedir a beatificação do Sr. Daniel Dantas e do Sr. Heráclito Fortes, pobres vítimas; ainda vimos um gesto tão "lindo" do professor, que pegou parte de seu patrimônio pessoal, R$ 1.250.000,00 e queria comprar os delegados, agentes do mal que investigavam os homens de bem deste país: Daniel Dantas e os demais, isso por admiração pelo belo trabalho desenvolvido em favor da nação.

Comentar

Comentários encerrados em 1/08/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.