Consultor Jurídico

Comentários de leitores

7 comentários

Curioso. Segundo o tal Nélio, há um complô inte...

Vinícius Campos Prado (Professor Universitário)

Curioso. Segundo o tal Nélio, há um complô internacional contra seu cliente, processado na Itália e no Brasil, investigado nos EUA e cuja decretação de prisão preventiva teve apoio dos magistrados brasileiros, da Polícia Federal em peso e do Ministério Público Federal, além da sociedade. Parece que o causídico pensa que o quadro está na posição correta, a casa é que está torta.

Plagiando o/a 'Santa Inquisição': - Já que não...

Silvio Curitiba (Advogado Associado a Escritório)

Plagiando o/a 'Santa Inquisição': - Já que não há virgem na zona, cadeia prá todo mundo! Com direito a pau de arara, simulação de afogamento e otras cositas más.

O que se deprende com essa notícia, é que esse ...

Luiz Edmundo Germano Alvarenga (Advogado Sócio de Escritório)

O que se deprende com essa notícia, é que esse elemento é um tranbiqueiro internacional. Daqui a pouco será uma "celebridade" e teremos uma matéria da prestigiosa revista Caras com as do Daniel Dantas, homem de muitas caras de pau !

sim... vamos "colar" o processo italiano, diga-...

Thiago Nunes (Estudante de Direito)

sim... vamos "colar" o processo italiano, diga-se de passagem, cheio de nulidades, ao processo brasileiro envolvendo o grupo do DD. Vamos dar uma força para o Dr. Nélio Machado. eheheheh

A circunstância de haver bandidos do outro lado...

kELSEN (Outros)

A circunstância de haver bandidos do outro lado da disputa não confere ao Sr. DD autorização para expionar ninguém no Brasil. Ou será que, por ter muito dinheiro, ele pode fazer tudo aqui no Brasil? O ideal é aprofundar a investigação e pegar todos os picaretas envolvidos, quer os ligados ao PSDB, quer aqueles vinculados ao PT.

O que será que o desobediente pensa disso, héim...

Comentarista (Outros)

O que será que o desobediente pensa disso, héim?!? Hehehe...

Quer dizer que, pelo que se apurou na Itália, a...

olhovivo (Outros)

Quer dizer que, pelo que se apurou na Itália, a hitória não é bem assim? E quem era o João da PF? Não seria o caso de o Judiciário brasileiro pedir cópias dos depoimentos aos italianos? Quem sabe o caso Dantas fica melhor instruído, com a busca da verdade real verdadeira.

Comentar

Comentários encerrados em 30/07/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.