Consultor Jurídico

Notícias

Novos agentes

Sociedade protagoniza debate sobre decisão de Gilmar Mendes

Comentários de leitores

18 comentários

Existem decisões do tipo cumpra-se. O resto é ...

Bira (Industrial)

Existem decisões do tipo cumpra-se. O resto é midia.

Excelentíssimo Senhor Ministro Marco Aurélio, ...

Jane Mary Laus Vahldick Cechett (Outros)

Excelentíssimo Senhor Ministro Marco Aurélio, Qualquer ser vivo merece respeito, principalmente outro ser igual a Vossa Excelência. Hoje, obtive plena certeza da cegueira que assola Vossa Excelência, comprovada através da Vossa afirmação: “leigos não podem emitir entendimento sobre o que não conhecem. Deve haver impessoalidade na administração pública e é preciso afastar certas balizas que norteiam a judicatura”. O que nos difere é exatamente o fato de sermos desconhecedores e estarmos aqui em baixo, de olhos e corações abertos, percebendo o que acontece a nossa volta, de pés fincados no chão e sentindo na epiderme as tremendas injustiças praticadas pelos onipotentes e oniscientes. Percepção que Vossa Excelência não é capaz de sentir, porque não tem olhos e muito menos sensibilidade para enxergar o próximo que está sob seus pés. A nossa dessemelhança está, justamente, na cegueira devastadora dos que se sentem em plano superior e tem sérias dificuldades em baixar a cabeça e de sentir a presença de outrem.

Vossas Excelências da Suprema Corte até podem s...

Jane Mary Laus Vahldick Cechett (Outros)

Vossas Excelências da Suprema Corte até podem ser ilustres conhecedores da judicatura, mas infelizmente de cabeça erguida, sentindo-se em um pedestal, é impossível entender de ser humano e de justiça SEM DISTINÇÃO. Vossas Excelências que se encontram em patamar tão superior ao nosso, com notável saber jurídico e reputação ilibada, não tem comprometimento com os leigos que sofrem e pagam o seu salário? Sim, somos leigos com muito orgulho, mas não somos cegos e muito menos hipócritas. A “FALTA DE RESPEITO” a tudo e a todos, avilta o mundo. É a dicção da CF/88: “Art 5º, inciso III – ninguém será submetido a tortura, nem a tratamento desumano ou degradante;” Vossas Excelências fizeram um escarcéu pelo uso de algemas. Vossas Excelências nunca haviam presenciado tal fato e/ou nunca ouviram falar? Vossa Excelência sabe que bateram o recorde no tempo de julgamento de um HC, por ordem de chegada? Vossas Excelências não sabem das situações dos presídios brasileiros, dos postos de saúde, dos menores infratores, etc.. etc.. etc..? Conforme o adágio popular: “pobre tem que morrer tudo”, não é mesmo? Perdoem a falta de entendimento dos leigos... Vossas Excelências não têm nada a ver com esta situação, afinal estão acima de tudo e de todos. A culpa é do juiz federal, da procuradoria, da defensoria pública, dos legisladores, do executivo e dos leigos. STF! Ó STF! Onde estás que não respondes? Em que mundo, em qu'estrela tu t'escondes Embuçado nos céus? Há dois mil anos te mandei meu grito Que embalde desde então corre o infinito... Onde estás, STF?... Que Deus os ilumine para que enxerguem a TODOS SEM DISTINÇÃO Leiga, que aguarda a prática dos direitos fundamentais sem distinção pelo STF

Acompanho o Ministro Marco Aurélio O que me in...

Felippe Mendonça (Professor Universitário)

Acompanho o Ministro Marco Aurélio O que me indignou nesse caso todo foi a ordem de investigação ao Conselho Nacional da Magistratura. O que Marco Aurélio afirma nesse momento é exatamente que o juiz tem liberdade de decidir de acordo com suas convicções. A segunda decisão de liberar Daniel Dantas eu não tenho como analisar pois não sei qual foi a forma que chegou a matéria ao Supremo. Se por novo Habeas Corpus, discordo do ministro, pois vira uma supressão de instância e, principalmente, de ente federativo. Se foi por via de reclamação de descumprimento de ordem conferida pela Egrégia Corte Suprema, realmente lhe caberia a análise do mérito e, dessa forma, tem a liberdade de decidir de acordo com as suas convicções. Portanto, se é certa a decisão do juiz ou a decisão do ministro, só quem tem vista aos autos, com capacidade analítica, pode se manifestar. Quanto ao artigo, ontem gritei aos quatro ventos que o ConJur estava sendo parcial ao noticiar apenas os posicionamentos favoráveis ao Ministro. Parabenizo o site por rever essa situação e noticiar as manifestações contrárias. Discordo de um apoio total por parte da advocacia, pois faço parte dela e não apoiei o Ministro. Mas essa matéria demonstra que existe ampla manifestação contrária aos seus atos. Felippe Mendonça advogado

Caro articulista Daniel Roncaglia: parabéns pel...

JAAG (Advogado Sócio de Escritório - Criminal)

Caro articulista Daniel Roncaglia: parabéns pelo lúcido comentário! Essa deve ser a verdadeira motivação da imprensa: o argumento ao lado da lei. Nunca o estereótipo midialesco do sensacionalismo barato, gerador de posições precipitadas de incautos, que se aventuram em um barco furado, achando que o direito se resguarda no arbítrio policialesco. Corretíssima a decisão do Minstro do STF, digna de um homem probo e jurisconsulto. Impossível pactuar com manifestos a favor de uma decisão confusa (?), que desrespeita o decisum da uma instância superior! Ainda bem que temos um Constituição demcrática e juízes do naipe de Gilmar Mendes. Parabéns pelo artido, nobre jornalista!

Como diz lá o ministro Marco Aurélio, paga-se u...

Felipe Lira de Souza Pessoa (Serventuário)

Como diz lá o ministro Marco Aurélio, paga-se um preço para se viver em um Estado de Direito Democrático, quem é acusado injustamente por qualquer coisa na vida sabe reconhecer a verdade e substância contida na presunção de inocência.

"De verdade em verdade eu vos digo : uma onça n...

acdinamarco (Advogado Autônomo - Criminal)

"De verdade em verdade eu vos digo : uma onça não come a outra." acdinamarco@aasp.org.br (PS: criticar Presidente do STF pode ; repórter, não).

Às autoridades devia bastar os gritos de indign...

J.Marcos (Estudante de Direito)

Às autoridades devia bastar os gritos de indignação popular, não deviam se incomodar com os "palpites" dos leigos. Deviam aplicar seu "notável saber jurídico", adquirido pela ampla maioria, em universidades públicas à custa do dinheiro dos leigos pobres (que proporcionalmente mais pagam tributos) para por em prática a isonomia da justiça. O recado está dado e ao bom entendedor meia palavra basta: ninguém aguenta mais ver seu dinheiro roubado pelos "do colarinho branco" sem que ninguém seja punido. É simples assim!!!!!!

A prisão, ferramenta muito utilizada pelas dita...

GMOREIRA (Advogado Sócio de Escritório - Tributária)

A prisão, ferramenta muito utilizada pelas ditaduras, precisa ser analisada tecnicamente, não importa a forma de concessão de HC, se ausentes seus requisitos, esta deve ser imediatamente revogada sob pena de retorno de um Estado não democrático.

O Ministro Gilmar Mendes não pautou suas ações ...

Castro Maia (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

O Ministro Gilmar Mendes não pautou suas ações como um Magistrado. Desautorizou, em rede nacional e de forma generalizada, as ações de uma instituição séria e necessária, que é a Polícia Federal. Já havia criticado, em outras oportunidades e também de forma generalizada, ações do Ministério Público. Ora, se tem conhecimento de algum abuso específico (frise-se: específico e concreto), que adote as providências de sua competência ou oficie a quem de direito, a fim de que possa adotá-las. Estas manifestações, constantes e genéricas, em divesos canais de televisão são o cúmulo a irresponsabilidade e comprometem a imparcialidade que se espera de um Magistrado. Lastimável.

Tá faltando escola...especialmente na cadeira d...

Habib Tamer Badião (Professor Universitário)

Tá faltando escola...especialmente na cadeira de Direito Constitucional. Os manifestantes em favor de um ou de outro na sua maioria o fazem sob o viés de concordar ou não com tal decisão. Deve-se levar em conta que o STF ao decidir pautou estritamente no texto constitucional. Ambos, estam corretos nas suas competencias como bem analisou o Min. Marco Aurélio. Deve-se afastar, pela absoluta falta de objeto a tal denúncia no CNJ... Falta escola...e muitos estudos por parte da comunidade forense!

O que adianta ser aplaudido por uma platéia de ...

Espartano (Procurador do Município)

O que adianta ser aplaudido por uma platéia de criminalistas se na vida civil se é vaiado pelo povo? até entendo que operadores do Direito defendam que leigo não pode palpitar. Mas a noção de certo e de errado não pode ser exclusiva de uma classe. Os valores morais emanam da sociedade e devem ser refletidos no campo legal. O Direito é operado por alguns, mas é dirigido a todos e se os valores do mundo jurídico estão dissonantes daquilo que almeja a sociedade, a justiça cai no descrédito. E se ninguém acredita na justiça, o Estado se enfraquece. Aí passa valer a lei do mais forte, sem ninguém para zelar pelo indivíduo.

Concordo com o Ministro Marco Aurélio:leigo não...

Neli (Procurador do Município)

Concordo com o Ministro Marco Aurélio:leigo não deveria palpitar,só que Ministro ou Juiz não deveria explicar na mídia a decisão e nem "passar sabão" no juiz de primeiro grau. A imparcialidade pressupõe-se a serenidade.

Acho engraçado o modo generalizado com que algu...

Thiago Pellegrini  (Professor Universitário)

Acho engraçado o modo generalizado com que alguns escritos tratam a matéria. "Os advogados ficaram do lado do Ministro". Quais? Eu não fiquei! E muitos advogados que se manifestam aqui também não ficaram. Eu fico do lado do juiz. Mesmo porque, a supressão de instância no caso Dantas foi flagrante. Quem deveria ser acionado no CNJ era o Ministro Mendes. Por que surpimir instância? E duas vezes? Por qual pretexto? E ver nomes majados de advogados também manjados na lista de apoio à Mendes, não me surpreende nem um pouco. Arnoldo Wald e Ives Gandra? Os mesmos que subscreveram ação da Federação dos Bancos (salvo engano) contra o Código de Defesa do Consumidor sendo aplicado contra as Instituições Financeiras? Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, que, salvo engano, já defendeu (e ganhou rios de dinheiro) Paulo Maluf? Mas é verdade... o dinheiro não era do Maluf... ERA NOSSO!!! DO POVO!!! Assim como o do Dantas, que, por alguma razão absurdamente intrigante, tem muita gente defendendo por via oblíqua. Vergonhoso.

E também, a Sociedade Brasileira, fez a sua SEN...

Zito (Consultor)

E também, a Sociedade Brasileira, fez a sua SENTENÇA, em condenar aqueles que dão asas para o maior crescimento "DAS ASAS DA CORRUPÇÃO". Portanto, a Nação quer acabar de uma vez por toda com a CORRUPÇÃO e outros NÃO.

...a história recente deste país pode ser divid...

Robespierre (Outros)

...a história recente deste país pode ser dividida em: AD e DD (Antes e Depois de Dantas). E é preciso uma colonoscolpia no país, pois quase "tudo está tomado".

Concordo plenamente com o Francisco Lobo, além ...

Juarez Araujo Pavão (Delegado de Polícia Federal)

Concordo plenamente com o Francisco Lobo, além de enfraquecer a instituição, Judiciário, passou a sensação para a sociedade com grau de certeza maior, que, rico não vai para a cadeia e que o crime compensa. Assim, estamos na era do vale tudo, salve-se quem puder.

O juiz proferiu sua decisão e o Ministro a dele...

Francisco Lobo da Costa Ruiz - advocacia criminal (Advogado Autônomo - Criminal)

O juiz proferiu sua decisão e o Ministro a dele, cada qual de acordo com sua convicção. A imprensa cuidou de criar a intriga, que só serviu para enfraquecer a instituição.

Comentar

Comentários encerrados em 23/07/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.