Consultor Jurídico

Pacote tributário

Advocacia-Geral da União justifica ao Supremo aumento da CSLL

A Advocacia-Geral da União apresentou informações, no Supremo Tribunal Federal, sobre o aumento da CSLL para as empresas que atuam no setor financeiro. A AGU pediu a improcedência da Ação Direta de Inconstitucionalidade proposta pelo DEM contra o aumento. Para tanto, justifica que o partido usa apenas argumentos políticos na ADI, o que não justifica a declaração da inconstitucionalidade da Medida Provisória 413/08.

A AGU usa também o argumento da inflação para justificar o pacote tributário e confirma que a MP foi criada para diminuir as perdas de arrecadação depois que o Senado não aprovou a prorrogação da cobrança da CPMF. “Neste caso, o setor financeiro se mostra perfeitamente adequado a sofrer uma tributação diferenciada”, diz o documento, “já que todo ano bate novos recordes a nível mundial em matéria de lucros”, afirma.

Na ADI, o DEM argumenta que o aumento da CSLL não poderia produzir efeitos imediatos devido a noventena prevista no artigo 195, da Constituição Federal. Assim, a mudança só poderia valer a partir de 2009, e não quatro meses após a publicação da Medida Provisória que determinou o aumento. O partido pede que a MP seja derrubada até o julgamento final da ação. A aplicação da nova alíquota sobre atos ocorridos antes da vigência da MP afronta a segurança jurídica, segundo o partido.

Clique aqui para ler a inicial da AGU.

ADI 4.003




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 22 de janeiro de 2008, 12h18

Comentários de leitores

2 comentários

CERTO, basta apenas o congresso votar a MP que ...

Ricardo, aposentado (Outros)

CERTO, basta apenas o congresso votar a MP que teria efeitos após a sua publicação no DOU e não alcançaria o lucro de exercício pretérito, retroativamente e ao arrepio da lei, como pretente o Jeito PT de Governar... Daí a importância do assunto ser objeto de manifestção do STF

Oras bolas! não é necessário essa guerra jurídi...

Fogaça (Outro)

Oras bolas! não é necessário essa guerra jurídica. Basta apenas o congresso votar essa Medida Provisória, simples!

Comentários encerrados em 30/01/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.