Consultor Jurídico

Serviço essencial

Direito à saúde prevalece sobre direito aduaneiro, diz TRF-4

O regulamento específico do direito aduaneiro sucumbe diante do direito à saúde pública. Com este entendimento, a 2ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região determinou a liberação de equipamento de radioterapia importado para o Hospital de Clínicas de Porto Alegre, antes da conclusão do desembaraço aduaneiro. Em outubro de 2007, ao analisar o pedido de liminar, a desembargadora Luciane Amaral Corrêa Münc já havia determinado a liberação do equipamento.

A Receita Federal exigia do hospital universitário a apresentação do Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social (Ceas), necessário, segundo o Fisco, para afastar a exigência do PIS-Importação e da Cofins-Importação.

Após a Justiça Federal de Novo Hamburgo (RS) ter negado o pedido, o hospital recorreu ao TRF-4, alegando a necessidade do aparelho para atender à população, principalmente aos segurados do Sistema Único de Saúde. Para o hospital, o atraso na implementação dos serviços médicos em oncologia que serão proporcionados pelo equipamento importado causaria grave prejuízo para a prestação de um serviço público essencial — a saúde.

Para a 2ª Turma, “o regulamento específico do direito aduaneiro sucumbe diante do direito à saúde pública”, salientando que o hospital é empresa pública federal, “cujo patrimônio é público, protegido e mantido por dotação orçamentária da União”.

Assim, na eventual obrigação de pagar PIS-Importação e Cofins–Importação, a verba tributária está garantida até por mecanismo orçamentário interno, ressalta a decisão. A relatora do processo na Turma foi a juíza federal Vânia Hack de Almeida, convocada para atuar como desembargadora no tribunal.

AI 2007.04.00.037365-0/TRF




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 15 de janeiro de 2008, 0h01

Comentários de leitores

2 comentários

Corrigindo: posição.

George Rumiatto Santos (Procurador Federal)

Corrigindo: posição.

Como sempre a Justiça do Sul toma posção de van...

George Rumiatto Santos (Procurador Federal)

Como sempre a Justiça do Sul toma posção de vanguarda - aliada ao interesse público em primeiro lugar. É assim que tem que ser no país inteiro!

Comentários encerrados em 23/01/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.