Consultor Jurídico

Notícias

No bolso do consumidor

Plano de saúde vai aumentar com novas coberturas, diz associação

O presidente da Associação Brasileira de Medicina de Grupo (Abramge), Arlindo de Almeida, afirmou nesta quinta-feira (10/1) que as mensalidades dos planos de saúde podem subir de 8% a 10% este ano por causa da ampliação dos serviços determinada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

“A introdução desses procedimentos vai gerar custos para as empresas. Isso pode causar desequilíbrio financeiro nas empresas e aumento das mensalidades dos planos de 8% a 10%”, afirmou Almeida. Ele diz que o percentual dependerá da operadora.

A Resolução Normativa 167 foi publicada nesta quinta no Diário Oficial da União. A medida determina que, a partir de 2 de abril de 2008, os planos de saúde contratados a partir de janeiro de 1999 deverão ampliar os procedimentos oferecidos.

A lista de procedimentos chegará a 2.973 itens. Estão incluídos a cobertura da mamografia digital para mulheres com menos de 50 anos, a colocação do Dispositivo Intra-Uterino (DIU), a laqueadura de trompas e a vasectomia em pacientes com mais de dois filhos e acima dos 25 anos.

A nova cobertura também vai permitir o parto feito por enfermeira obstétrica e garantir a presença de um acompanhante durante a estadia da gestante no hospital. Ela garante ainda a operação de miopia para quem tem mais de cinco graus.

O diretor-presidente da ANS, Fausto Pereira dos Santos, não acredita que os preços dos planos de saúde aumentem muito. “Nós vamos fazer um estudo sobre isso ao longo do tempo, ao longo de dois, três anos, mas as projeções iniciais da ANS são de que esse impacto é pouco significativo”, afirmou.

Em 2006, o Sistema Único de Saúde (SUS) realizou 21.917 vasectomias e 50.044 laqueaduras.

Revista Consultor Jurídico, 11 de janeiro de 2008, 0h01

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 19/01/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.