Consultor Jurídico

Comentários de leitores

6 comentários

O debate é salutar e via de regra produtivo des...

Augusto J. S. Feitoza (Estudante de Direito)

O debate é salutar e via de regra produtivo desde que conduzido com a razão e não com o coração. Espero, portanto, que as críticas não estejam sendo feitas às pressas. Quando se aborda assunto desta magnitude deve-se deixar de lado o jogo de interesses e os preconceitos. Ou de nada e a ninguém servirá.

Caro Citoyen. O senhor diz que “tenho boa fibra...

Embira (Advogado Autônomo - Civil)

Caro Citoyen. O senhor diz que “tenho boa fibra na entrecasca”, embora nem me conheça. Não vou duvidar de seus conhecimentos sobre caules, já que não sou do ramo. Passar bem.

A minha parte eu quero em simplicidade, justiça...

RMSS (Outros)

A minha parte eu quero em simplicidade, justiça e resultado eficaz. Pago o quanto puder com minhas forças, desde que seja simples saber o quanto, a carga seja distribuída com justiça a todos (sem "caronas" injustificadas) e os resultados apareçam onde tem que aparecer (educação, saúde e segurança). Seria quase nota dez pro governo, mas quem é perfeito?

Rio, 26/02/08 Pois é, volto-me, antes da refor...

Citoyen (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

Rio, 26/02/08 Pois é, volto-me, antes da reforma tributária, para o nosso leitor "Embira". É que a investida raivosa do referido leitor, bem assinala sua similitude com a "espécie arbustiva ..., de flores inconspícuas, e que se caracterizam por produzir boa fibra na entrecasca." Estou convencido,pois, que nosso Opinante, de "..boa fibra na entrecasca.." produz textos de flores inconspícuas, sem perfume, forma e de idéia dificilmente perceptível. A grande questão, para a REFORMA TRIBUTÁRIA, é que TRIBUTOS, no ORÇAMENTO, são RECEITAS. Mas, o mais elementar, é a questão: PARA QUE AS RECEITAS? __ Se não se definiu, até o presente, no interesse da NAÇÃO, a que se destinarão os RECURSOS ARRECADADOS com os TRIBUTOS, haverá, sim, REFORMA TRIBUTÁRIA para a "burra do Governo", mas jamais para os ANSEIOS dos CIDADÃOS. Destarte, se é verdade que há países que mais arrecadam, também é verdade que em tais países o CIDADÃO recebe em SERVIÇOS e UTILIDADES aquilo que corresponde ao que paga. Aqui NÃO. Portanto, não haverá qualquer reforma tributária, mas certamente um meio de ARRECADAR mais para o Tesouro do Governo! Felizmente, ainda que mirando exclusivamente nos objetivos do seus EGOÍSMOS, poderão os GOVERNOS ESTADUAIS acertar no que NÃO VIRAM e, assim, talvez escapemos, mais uma vez, da fúria ensandecida do Governo Central, ainda sem políticas de progresso, mas voltado somente para as beneces de um ano eleitoral.

As discrepâncias regionais talvez seja a maior ...

J. Ribeiro (Advogado Autônomo - Empresarial)

As discrepâncias regionais talvez seja a maior dificuldade da reforma tributária constitucional. Não obstante, São Paulo e Minas Gerais ainda são os maiores entravee dessa reforma. Acabar de vez a tributação interestadual. Esta é a grande celeuma. Melhorar, integrar e simplificar os sistema de tributação.

O Dr. Sacha Calmon aponta como principal óbice ...

Embira (Advogado Autônomo - Civil)

O Dr. Sacha Calmon aponta como principal óbice à reforma tributária “a falta de vontade política de todos os entes da federação”. Nenhum deles estaria disposto a perder receitas. Pode ser verdade, mas, não é toda a verdade. O maior óbice é o formidável lobby nacional dos tributaristas, que tem a seu dispor todos os holofotes da mídia. Quem opina sobre tributo, no Brasil? Claro que só os especialistas. Os “leigos”, como eles dizem, têm de calar a boca e ouvir os iluminados. E a quem eles defendem? Diz a doutora Cláudia Petit: “A reforma tributária ideal seria aquela em que o cidadão conseguisse enxergar retorno econômico”. Então eles defendem o cidadão, o povo? Não acredito. Talvez defendam, sim, aqueles que pagam seus honorários, ou seja, o empresariado. Alguns clichês sempre vêm à baila quando se fala em reforma tributária: 1) o Brasil tem uma carga tributária muito elevada; 2) precisamos reduzir a arrecadação porque o governo gasta mal. Primeiro, há países que arrecadam muito mais que o Brasil, como a Suiça e o Canadá. Segundo, se o país gasta mal, precisamos corrigir essa distorção ou diminuir a arrecadação? O governo que não se iluda – a batalha será ciclópica. O grande lobby tem a certeza da vitória. Em outras oportunidades, o governo já recuou diante de resistências empedernidas. Se tivessem “vontade política”, na época FHC, já teriam derrubado a CPMF. Não quiseram, então. Agora, são capazes de derrubar até o que não foi ainda criado.

Comentar

Comentários encerrados em 2/03/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.