Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Sapatada em Bush

Adiado julgamento do jornalista que jogou sapatos em Bush

O julgamento do jornalista iraquiano que jogou os sapatos contra o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, foi adiado até que seja analisado o recurso da defesa. O advogado do repórter iraquiano, Dhiya al-Saadi, apresentou um recurso solicitando a anulação do processo. O início do julgamento estava previsto para o dia 31 de dezembro (quarta-feira). As informações são do portal G1.

“O tribunal adiou o processo do jornalista Muntazer al-Zaidi até que o tribunal de cassação torne pública sua decisão”, afirmou o porta-voz judicial, Abdel Satar Bereqdar.

Muntazer Al-Zaidi, repórter de um canal de TV sunita, responde processo por agressão contra um chefe de Estado estrangeiro em visita ao Iraque. Se condenado, pode pegar até sete anos de prisão, segundo o Código Penal iraquiano.

“Nosso recurso se baseia no fato de que Zaidi expressou apenas seu repúdio à ocupação e à política de repressão contra os iraquianos”, afirmou advogado, para quem “o ato de Zaidi está dentro da liberdade de expressão”.

O episódio

Durante entrevista coletiva de George Bush em Bagdá, no dia 14 de dezembro, o jornalista atirou seus sapatos em direção ao presidente americano. Demonstrando ótimo reflexo, o presidente desviou-se dos dois, enquanto o atirador era imobilizado e preso pela segurança.

O gesto do jornalista foi provocado pela atuação do presidente americano, responsável pela invasão e ocupação militar do Iraque por tropas dos Estados Unidos. Atirar os sapatos contra alguém na cultura iraquiana é a mais grave das ofensas, e neste caso, a sapatada foi largamente comemorada pela população local.

Revista Consultor Jurídico, 30 de dezembro de 2008, 12h48

Comentários de leitores

2 comentários

Áh ..é ..hmmm só ..a sapatada, né! ha ha ha, ...

futuka (Consultor)

Áh ..é ..hmmm só ..a sapatada, né! ha ha ha, que que o iraque vai fazer?! Os 'caras' se matam o tempo todo pelos seus costumes e sua cultura, portanto o 'senhor dos sapatos' vai pagar caro, pelo que não deve! Lá não tem pop star AINDA. Bem, o que tinha foi pras 'cucuias'.rs

Deviam soltar logo o Cara para que pu...

hammer eduardo (Consultor)

Deviam soltar logo o Cara para que pudesse comparecer ao programa do Jo Soares ou do Jay Leno e contar sua deliciosa aventura. Com certeza tambem a Alpargatas deve estar de olho em assinar um contratinho de publicidade com ele.Lembremos que a invasão do Iraque foi uma aventura falsificada desde o inicio quando este BOSTA que felizmente esta saindo , resolveu encerrar o "dever de casa" de seu papaizinho igualmente medicore que tinha lutado contra aquele tiranete de bosta tambem que por fim ganhou uma "gravata de corda" com o laço bem apertado. O governo do Iraque hoje constituido é outra palhaçada pois se compoe unica e exclusivamente de elementos de "confiança" dos Estados Unidos e nada tem a ver com os anseios de um Povo que hoje vive sob ocupação militar , nem mais nem menos. Lembremos tambem que o Jornalista Al Zaidi apenas agrediu simbolicamente o "lider" de uma nação que ocupa de forma ilegal o seu Pais. Não defendo o terrorismo nem a ignorancia mas convenhamos que aquela região do mundo esta condenada a viver na idade da pedra por opção cultural e religiosa, não é inaugurando um Starbucks ou um McDonald's que conseguirão mudar aquele povo.A grande verdade é que os Americanos se arvoraram como a "policia do mundo" e continuarão a meter o bedelho onde quer que possam se apropriar de petroleo barato para financiar a sua juventude dourada que anda de picapes nas estradas americanas sem se preocupar com consumo de combustivel. Lembremos tambem que apenas por "pura coincidencia" , a Marinha americana reativou a quarta frota baseada na Florida que estava desativada desde 1951 para patrulhar aonde?????? Exatamente o Atlantico Sul o que inclui a area em que a Petrobras achou a famosa camada do pre sal .Coincidencia naõ?

Comentários encerrados em 07/01/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.