Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Cargo estratégico

Depois de Lacerda, número 2 da Polícia Federal também cai

Depois da exoneração do delegado Paulo Lacerda da direção da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e do diretor-geral adjunto José Milton Campana, na segunda-feira (29/12), o Diário Oficial traz a informação de que o diretor-executivo da Polícia Federal Romero Meneses também foi demitido do cargo. Ele foi preso em setembro como suspeito de vazamento de informações da Operação Toque de Midas. Em seu lugar assume Luiz Pontel de Souza.

Segundo a PF, a decisão de exonerar o número dois da PF ocorre pelo fato de Menezes ocupar um “cargo estratégico” na instituição e não ser de interesse da administração pública manter um dos maiores níveis hierárquicos sob o comando de um interino.

Nesta terça-feira (30/12), também foram desligados do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) o assessor especial da Abin Renato Halfen da Porcíúcula e o diretor do Departamento de Contra-Inteligência Paulo Maurício Fortunato Pinto. A informação é do portal O Globo.

Romero Meneses estava afastado de suas funções desde que teve seu nome envolvido em suspeitas de vazamento de informações da Operação Toque de Midas para beneficiar seu irmão, um dos investigados na denúncia de que o governo do Amapá beneficiou a MMX, de Eike Batista, durante a licitação da Estrada de Ferro do Amapá.

Demissão e promoção

A exoneração de Paulo Lacerda, na segunda-feira (29/12), se deu para que ele pudesse ser nomeado adido policial na embaixada brasileira em Portugal, cargo criado na semana passada. A direção da agência será ocupada interinamente por Wilson Roberto Trezza, conforme nota divulgada pelo Gabinete de Segurança da Presidência de República.

O adido policial é responsável por todas as negociações que envolvam forças ou ações policiais do Brasil. O país já tem adidos policiais na Argentina, no Paraguai, no Uruguai, na Colômbia, na França, na Bolívia e no Suriname. Também foram criados os cargos de adidos policiais na França e nos Estados Unidos, mas ainda não foram indicados os titulares.

Lacerda vai receber em dólares, e seu salário será maior do que o que recebia para chefiar a Abin.

O delegado foi afastado do cargo no início de setembro após suspeita de que a Abin fez escutas telefônicas clandestinas para monitorar conversas de autoridades, como o presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, no curso da operação batizada como Satiagraha pela Polícia Federal. A operação resultou na prisão do banqueiro Daniel Dantas, do ex-prefeito Celso Pitta e do investidor Naji Nahas – todos conseguiram liberdade.

Um inquérito foi aberto pela PF para investigar a autoria do grampo na conversa entre Gilmar Mendes e o senador Demóstenes Torres (DEM-GO), mas a conclusão do procedimento foi adiada para 2009. Em agosto, reportagem da revista Veja informava que agentes da Abin foram os responsáveis pelo grampo.


Revista Consultor Jurídico, 30 de dezembro de 2008, 16h41

Comentários de leitores

13 comentários

O que informo abaixo longe de ser apologia ao c...

Ramiro. (Advogado Autônomo)

O que informo abaixo longe de ser apologia ao crime, e sim proteção aos escritórios de advocacia contra investigações de espetáculo. A questão política, há tempo, e política sempre muda. Neste meio tempo parece melhor a advocacia se prevenir de invasões arbitrárias em seus espaços. Há meses eu falava de criptografia. Para celular, parece não existir nada melhor que a SecVoice com garantia em contrato. http://www.secvoice.com.br/pt/ Para criptografia em 256 bits (proibida para civis em muitos países) o Icon Lock-It XP é a boa pedida. Uma versão trial é disponível no www.baixaki.com.br E para não haver risco de sobrarem rastros no HD de arquivos apagados, embora seja um programa que exige cuidados, pois pode apagar coisas que não se queira e quando apaga não há quem recupere, o Amic Privacy Guard 5.0 http://www.amicutilities.com/privacy-guard/ Há uma configuração, que considero interessante, DOD 5015-2-STD desenvolvida pelo Departamento de Defesa dos EUA para apagar dados com segurança, um número mínimo de 11 passagens. Depois que apagou vai ser difícil alguém recuperar os dados. E por que esta informação? A Policia quer prender gente? Vai para rua trabalhar. Aprende a usar tecnologia de verdade. Que coisa linda, invadir um escritório de advocacia, ter acesso aos arquivos pessoais, saber quais petições estão sendo formatadas, quais linhas de defesa, etc. O Privacy Guard é importante passar depois de criptografar, opções de limpar espaços não usados do HD, para não haver risco de a senha ficar guardada no HD, o programa primeiro encripta e depois sobrescreve os arquivos. Acrescento o BCWIPE, que tem opção de encriptar a memória RAM e memória virtual. http://www.jetico.com/

Ouvi dizer que todos os serviços da polícia fed...

futuka (Consultor)

Ouvi dizer que todos os serviços da polícia federal fora do país o cálculo é feito em dólares mesmo. Já pensaram se fosse em euros, não é!rs

Só mesmo uma quadrilha poderosa como esta do Da...

Helena Fausta (Bacharel - Civil)

Só mesmo uma quadrilha poderosa como esta do Dantas para haver alguma mudança na outra quadrilha ão poderosa quanto a dele....

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 07/01/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.