Consultor Jurídico

Comentários de leitores

33 comentários

Já botei muita fé no Dr. Gilmar, mas depois des...

caiubi (Outros)

Já botei muita fé no Dr. Gilmar, mas depois dessa decisão: "...Liminar concedida pelo ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal)...O contrato havia sido declarado nulo pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região). A Econorte, ao recorrer ao Supremo, alegou que tal decisão comprometeu a qualidade do serviço prestado e a segurança dos usuários ao devolver a administração das rodovias ao Estado. Além disso, a concessionária afirmou que a anulação do contrato trouxe para a administração pública despesas não previstas no orçamento. ...". Nem tentem me justificar é realmente uma vergonha. "Fonte - http://ultimainstancia.uol.com.br/noticia/60482.shtml?__akacao=114296&__akcnt=94b94c4a&__akvkey=a36a&utm_source=akna&utm_medium=email&utm_campaign=InfoUI_241208"

EM TEMPO: ONDE SE LE STJ, LEIA-SE "STF".

ZeZe (Servidor)

EM TEMPO: ONDE SE LE STJ, LEIA-SE "STF".

Parabéns senhor Ministro Gilmar Mendes, siga ad...

futuka (Consultor)

Parabéns senhor Ministro Gilmar Mendes, siga adiante nos seus firmes propósitos de renovações aqui divulgados,, gostaria de aproveitar o ensejo para também parabenizar as atuantes repórteres Lilian e Andréa da Fôlha de S.Paulo pela excelente, séria e inteligente entrevista.

Faltou comentar sobre os vergonhosos PRECATÓRIO...

ZeZe (Servidor)

Faltou comentar sobre os vergonhosos PRECATÓRIOS, o que o STJ poderá resolver sobre essa questão, já que, principalmente aqui, no Espírito Santo há décadas morrem idosos e doentes sem receberem o que lhes é de direito e, mais grave ainda, é que no TJ do ES, não se ganha nenhuma causa que vá contra os interesses do governo do estado. Esperamos por socorro!!!

Ofender a honra alheia e'crime e lugar de crimi...

Leila (Outros - Empresarial)

Ofender a honra alheia e'crime e lugar de criminoso e' na cadeia. No mais repito: "O embrião do Estado-Policial estava em pleno desenvolvimento, sendo certo que o Ministro Gilmar Mendes, com toda coragem que lhe é peculiar, o enfrentou, destemidamente, praticamente sozinho e sem se preocupar com questões de menor importância, como "jogar para a platéia". Parabéns ao Ministro. Espero, apenas, que o STF esteja sempre atento a essas irrupções constantes de autoritarismos e arbitrariedades de alguns servidores públicos, que tentam se colocar acima das leis e da ordem, sob os mais diversos pretextos, alguns, até, bizarros, como por exemplo essa de "bem contra o mal" (Bush usou isso também). É bom lembrar que as maiores crimes contra a humanidade foram praticados com esse mesmo pretexto: santa inquisição, cruzadas, Vietnã e, mais recentemente, a invasão do Afeganistão e Iraque, entre outras. Nestes, os "messiânicos do bem" já mataram centenas de milhares de civis...Então, não me venham com essa!"

"Leila (Empresarial 25/12/2008 - 11:46 Ei! ti...

Senhora (Serventuário)

"Leila (Empresarial 25/12/2008 - 11:46 Ei! tico-tico, desista dessa empreitada, faça um favor a você mesmo (e a nós leitores). Ou você não leu o texto ou, se leu, realmente, não entendeu nada. Definitivamente, esta não é sua área. Parabéns ao Ramiro que, mais uma vez, demonstra bom senso e sabedoria acima da média." Um dos comentários que encontrei da "educada" Sra Leila contra o comentarista de apelido Ticão-Operador dos Fatos, que por sinal vive criticando Gilmar Mendes. Se isso é respeitar a opinião alheia e ser educada, prefiro ser mal-educada, obrigada... E já li piores contra mim, pena que não encontrei...

Continuo achando que Gilmar Mendes não enfrenta...

Senhora (Serventuário)

Continuo achando que Gilmar Mendes não enfrenta sozinho o Estado Policialesco, até porque esse pretenso estado não existe assim como afirmou o Min. Marco Aurélio.

Cara Leila, Não seja hipócrita, por favor. Lei...

Senhora (Serventuário)

Cara Leila, Não seja hipócrita, por favor. Leio vários comentários seus e a maioria é de uma "extrema" educação contra mim, ou contra qualquer um que fale mal do seu ídolo Gilmar Mendes. Apenas respondo de acordo com seu baixo nível. E quem é Vossa Senhoria p/ falar que me escondo no anonimato? Leila por acaso é um nome que se possa identificar. É um nome comum como qualquer outro, assim como Geórgia.

"Lucky" Luciano dizia que o única preocupação n...

Armando do Prado (Professor)

"Lucky" Luciano dizia que o única preocupação no exercício do poder era manter-se vivo. Mutatis mutandis, jornalistas e operadores do direito pretendem manter-se vivos, muito vivos, e especialmente com contas recheadas.

Sim, Dra. Leila, a senhora profere seus comentá...

Vinícius Campos Prado (Professor Universitário)

Sim, Dra. Leila, a senhora profere seus comentários de maneira elegante e respeitosa, o que é sempre louvável e o que se espera em um espaço dedicado a pessoas de nível. E parabenizo-a por isso. Minha discordância foi sobre aspectos pontuais e nada impede que estejamos defendendo a mesma bandeira amanhã. Realmente não concordo com a propalada " coragem" de Gilmar Mendes. Afinal, não há necessidade de coragem nenhuma para um Presidente do Supremo Tribunal Federal combater um juiz federal de 1ª Instância e um delegado de Polícia. Quem tem o poder maior é ele, e teve auxílio da grande imprensa, cujos donos ainda mantêm o conservadorismo como opção de pensamento, para todos os assuntos. Houve, inclusive, autoritarismo, quando sugeriram no STF denunciar ao CNJ os Juízes Federais que assinaram lista de desagravo ao juiz. Ou seja, o próprio Guardião da Constituição tentando vedar a liberdade de expressão. Como se dizia, magistrado bom é aquele que não aparece diariamento no JN. E justamente por fazê-lo ( segundo o ombudsman da Folha, Carlos Eduardo Lins e Silva) é que Gilmar Mendes ficou com o troféu " Mala do Ano", batendo inacreditavelmente Luana Piovani. Assim, a defesa do Estado Democrático de Direito deve dar-se diariamente, e sem estardalhaço. O Presidente não conseguiu exercer a primeira e nem evitar o segundo. Desculpe, é minha opinião. Mas concordo com você sobre a necessidade de só discutirmos personalidades e não atos quando elas influenciarem diretamente a vida jurídica, objeto de nossas postagens neste espaço. Atenciosamente, Vinícius.

Veja Vinícios, veja o pior exemplo do que me re...

Leila (Outros - Empresarial)

Veja Vinícios, veja o pior exemplo do que me referi. Essa georgia sempre insultando as pessoas e escondendo-se covardemente atrás do anonimato. Penso que até a bestialidade deveria ter limites. Já imaginou essa moça num órgão julgador colegiado?

"O colegiado é um somatório de forças distintas...

Leila (Outros - Empresarial)

"O colegiado é um somatório de forças distintas. Não estamos ali para concordar um com o outro. Não somos vaquinhas de presépio. Cada qual deve revelar o seu convencimento. Só que com respeito mínimo.". Acho que isso responde suas questões. Devemos respeitar opiniões divergentes, sem que, por conta disso, tirarmos conclusões absurdas, inclusive sobre a honra e a dignidade das pessoas. O Ministro Marco Aurélio votou pela liberdade do Cacciola...e daí! Assim, apesar de não concordar com uma série de coisas, respeito o Ministro e suas opiniões. No mais, é evidente o Estado-policialesco que ainda se desenvolvia, mas em plena atividade. Tanto que o Ministro Marco Aurélio concordou com a existência do que chamou de excessos e espetacularização das operações. O Ministro também concordou com a ilegalidade da participação da Abin nas investigações criminais. Diante de tudo isso, repito: "o Ministro Gilmar Mendes, com toda coragem que lhe é peculiar, o enfrentou (o Estado-Policial), destemidamente, praticamente sozinho e sem se preocupar com questões de menor importância, como "jogar para a platéia". Parabéns ao Ministro."

O único ser que tem competência para falar sobr...

Senhora (Serventuário)

O único ser que tem competência para falar sobre determinados assuntos é Gilmar (de lama) Mendes?. Gilmar (de lama) enfrentou sozinho os destruidores do Estado Democrático de Direito? Ele é realmente um super-homem mesmo. O iluminado!

E no que tange a maniqueísmos, de fato são bast...

Vinícius Campos Prado (Professor Universitário)

E no que tange a maniqueísmos, de fato são bastante presentes neste espaço. Se alguém exerce uma postura de defesa de uma instituição, é " servidor público", " petralha" ou qualquer designação que consideram pejorativa. Já se ocorre o oposto, e a figura pública personagem de algum caso representa determinada classe social ou corrente ideológica, deve ser defendido, independentemente de ter cometido ou não crimes. O que não se vê é alguém esperando a efetivação da Justiça. O processo, que é meio, virou fim. O mérito, que é o objetivo final, não virou nada. E as mesmas pessoas que procedem dessa forma tendenciosa são as que falam de radicalismos e intransigências. Realmente, como afirmou um compositor contemporâneo, " o que está acontecendo? O mundo está ao contrário e ninguém reparou."

Parece-me que o equívoco não foi por mim perpet...

Vinícius Campos Prado (Professor Universitário)

Parece-me que o equívoco não foi por mim perpetrado. Se, nas palavras de Gilmar Mendes, já vivíamos em um estado policialesco_ entenda-se, em plena atuação_ este não poderia ser um embrião. Por outro lado, o Ministro Marco Aurélio, que foi por sua senhoria chamado de " sempre justo, sensato e ponderado" entendeu que NÃO estamos em um Estado policialesco, embora devamos evitar excessos. A propósito, o mesmo Marco Aurélio, sempre justo e prudente, votou contra o habeas corpus deferido por Gilmar Mendes, com pitadas de fina ironia sobre a utilização de " defesa do Estado de Direito" para garantir a tranquilidade de poderosos. Assim, como já diziam as Escrituras Sagradas, não se pode servir a dois senhores. Marco Aurélio votou a favor do Estado Policialesco? Gilmar Mendes votou contra a defesa da moralidade, da lei e do interesse público efetivo, conscientemente ou não? No mais, a discussão é sobre a legitimidade de defender interesses alheios de forma remunerada ou opiniões como se fossem fatos inequívocos, deturpando a informação limpa e clara dos fatos em primeiro lugar, para que o leitor já saiba de antemão a postura do autor do texto e exerça seu senso crítico sobre o mesmo. E, nesse tema, não reconheço autoridade moral nos diretores do Conjur para tecer críticas a Luís Nassif por fatos que "sequer chegaram à primeira instância", como se ouviu outro dia.

Mais um grande equívoco seu. O embrião do Estad...

Leila (Outros - Empresarial)

Mais um grande equívoco seu. O embrião do Estado-Policial estava em pleno desenvolvimento, sendo certo que o Ministro Gilmar Mendes, com toda coragem que lhe é peculiar, o enfrentou, destemidamente, praticamente sozinho e sem se preocupar com questões de menor importância, como "jogar para a platéia". Parabéns ao Ministro. Espero, apenas, que o STF esteja sempre atento a essas irrupções constantes de autoritarismos e arbitrariedades de alguns servidores públicos, que tentam se colocar acima das leis e da ordem, sob os mais diversos pretextos, alguns, até, bizarros, como por exemplo essa de "bem contra o mal" (Bush usou isso também). É bom lembrar que as maiores crimes contra a humanidade foram praticados com esse mesmo pretexto: santa inquisição, cruzadas e, mais recentemente, a invasão do Afeganistão e Iraque, entre outras. Nestes, os "messiânicos do bem" já mataram centenas de milhares de civis...Então, não me venha com essa!

A toda evidência, um dos preceitos éticos mais ...

Vinícius Campos Prado (Professor Universitário)

A toda evidência, um dos preceitos éticos mais difundidos na imprensa é o de que os leitores tem direito à informação completa. A publicação, depois de suprir essa sua obrigação social_ afinal, não simplesmente instituições destinadas a lucro, têm um papel dentro da sociedade_ pode, evidentemente, exprimir seu posicionamento ideológico. Mas não deve fazê-lo de forma travestida ou obnubilada. Se quem tem o dever de informar, tem o direito de fazê-lo pela metade, o conceito de imprensa e informação é realmente condizente com tempos de individualismo e salve-se quem puder. Não é, evidentemente, o conceito de informação que compartilhavam Rui Barbosa e Barbosa Lima Sobrinho, entre outros ilustres brasileiros. A parte contrária são as partes acusadas pelo Ministro do STF, que poderiam muito bem ser ouvidas pelo Conjur. Mas tanto o site como alguns leitores guardam um medo inconfessável de dar a voz a quem não pensa como eles. É preciso criar uma verdade absoluta e manter os protegidos em uma blindagem intransponível. As carapuças foram vestidas há muito tempo. Mas por integrantes de outro tipo de combinação. Que está sendo diariamente derrotada na Justiça. Sintomático, não?

A toda evidência, deve-se entrevistar quem tem ...

Leila (Outros - Empresarial)

A toda evidência, deve-se entrevistar quem tem competência para falar sobre um determinado assunto. No caso o Presidente do Supremo é a pessoa mais indicada para falar sobre os assuntos em tela. No mais, não há que se falar em parte contrária, salvo se alguém vestir a carapuça da combinação juiz-delegado-promotor...

E para que mais uma entrevista com Gilmar Mende...

Vinícius Campos Prado (Professor Universitário)

E para que mais uma entrevista com Gilmar Mendes? Não concedeu uma outro dia mesmo ao Conjur? Será que o site não tem um manual de redação para explicar que se ouve a outra parte sempre, antes de divulgar a notícia? Afinal, citaram o Juiz de Sanctis, a Abin. Gostaria de ter o prazer de ouvir o Conjur fazer uma entrevista com o magistrado, o qual, aliás, recebeu do nosso grande cineasta Fernando Meirelles o troféu que este havia recebido como brasileiro notável. Não li uma linha sobre o assunto no Conjur. Isso é que é jornalismo de informação? Ou é jornalismo de direcionamento. O que o site esqueceu de avisar no artigo sobre " Minocarthismo" é que, embora não haja a necessidade de imparcialidade, a função precípua da imprensa é informar o fato e as versões existentes sobre ele. Márcio Chaer tem a coragem de afirmar que ele publica todas as notícias e denúncias contra ambas as partes aqui? Ou só as que há contra o juiz e o delegado?

Essa de "jardim da infância jurídico" é ótima. ...

olhovivo (Outros)

Essa de "jardim da infância jurídico" é ótima. E olha que a Banânia está infestada de gente que não passou por aquela etapa, haja vista o teor dos comentários desconexos nesse espaço. Mas democracia é isso, é conviver pacificamente com todo o tipo de asneiras.

Comentar

Comentários encerrados em 1/01/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.