Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Esquema Dantas

É Natal! Queremos a lista de jornalistas de Daniel Dantas

Por 

A Fenaj — Federação Nacional dos Jornalistas, atirou na mosca: nada é mais importante para nossa categoria profissional, neste momento, do que saber quem são os jornalistas que, conforme palavras do delegado Protógenes Queiroz, da Polícia Federal, "abastecem Daniel Dantas ou faziam manifestação de mídia a favor dele". A denúncia, da maneira como foi formulada na entrevista do delegado, coloca todos sob suspeita — amigos de Dantas, inimigos de Dantas, jornalistas que jamais lidaram com esse tema. A Fenaj pediu esclarecimentos à Polícia Federal e ao ministro a que a PF está subordinada, Tarso Genro, da Justiça.

O repórter Daniel Roncaglia, do Consultor Jurídico, procurou o delegado Protógenes Queiroz, que comandou a Operação Satiagraha e considera Daniel Dantas um bandido. Queiroz se recusou a falar; de acordo com o ConJur, disse que o repórter que o procurou "é um idiota" e bateu o telefone.

Resta, portanto, o caminho procurado pela Fenaj para saber quais são os acusados (e ouvir sua defesa). Dizem os ofícios da Fenaj:

"(...) a não divulgação dos nomes de eventuais culpados, se existirem de fato, coloca sob suspeição toda a categoria (...). Esta federação tem o dever de se opor a qualquer tentativa, por mais dissimulada que seja, de enlamear a imagem dos jornalistas brasileiros, fazendo supor que todos fossem corrompíveis, razão porque vem a V. Excia. pleitear a divulgação urgente da referida lista de nomes, se existir, com as devidas provas do suposto envolvimento, sob pena de todos pagarem por alguns".

A lista de jornalistas que o delegado considera envolvidos no "esquema Dantas" seria o melhor presente de Natal para a profissão. Primeiro, por tirar as acusações do lamacento terreno da fofoca e do diz-que-diz-que e levá-las à luz do Sol, onde o mau procedimento profissional pode ser julgado pelos colegas jornalistas e pela Justiça; segundo, por expor os acusadores à defesa de quem foi acusado. É fácil dizer que há muita gente ligada ao crime — fácil e óbvio. Difícil é dizer quem são e provar seu envolvimento. Os jornalistas podem contribuir para esclarecer essa história — e melhor o farão se puderem trabalhar livres de suspeitas e de suspeitos.

[Artigo originalmente publicado no site Observatório da Imprensa]

 é jornalista, consultor de comunicação e especialista em gerenciamento de crises.

Revista Consultor Jurídico, 24 de dezembro de 2008, 13h49

Comentários de leitores

21 comentários

O delegado Protógenes, na entrevista, afirmou q...

Issami (Advogado da União)

O delegado Protógenes, na entrevista, afirmou que no "meio policial" seria usual a designação do termo "bandido" a quem simplesmente responde inquérito, ainda que não haja julgamento pelo Judiciário. Aliás, ele sempre se referiu a DD - mesmo antes da sentença de primeiro grau quanto à corrupção - por esse termo: "banqueiro bandido". Bom, se é assim, pelos seus critérios, ele mesmo, Protógenos, poderia receber a mesma alcunha, porquanto se encontra investigado no âmbito de outro inquérito, sob a suspeita de vazamento de dados e otras cositas más. Tal incoerência, entre tantas outras, apenas revela que o seu compromisso maior parece ser com sua própria ideologia política (e partidária, percebe-se agora), o que lhe confere uma particular noção do que seja "justiça".

Protógenes, dê logo essa lista e deixa a co...

Júnior Brasil (Advogado Autônomo - Consumidor)

Protógenes, dê logo essa lista e deixa a corja de honestos jornalistas se defender. Depois da CF de 88 a regra é a seguinte: sou corrupto, sou safado, não valho nada, MAS SE VOCÊ DISSER ALGO PARECIDO COM ISSO, SOBRE MIM, SEM PROVAS MATERIAIS, MOVO A MÁQUINA JUDICIAL CONTRA VOCÊ, POIS TEREI UM BABACÃO DENOMINADO "JUIZ" QUE VAI DEFENDER O MEU DIREITO DE SER "SAFADO SEM PROVAS" CUSTE O QUE CUSTAR. E VIVA A LIBERDADE, COM DEMOCRACIA SEM OPORTUNIDADE!rs (vixi, até rimou!) Pois é, amigão Protógenes, o sistema é esse, e como bom policial você não pode falar de listinhas e não dar nomes. Dê nomes, por favor!

Caro "Dr." Gilson: O senhor tem certeza de...

Richard Smith (Consultor)

Caro "Dr." Gilson: O senhor tem certeza de que é advogado, mesmo? Isso porque a sua afoiteza em dizer "[os] jornalistas COMPROVADAMENTE comprados pelo DVD [são]: Diogo Mainardi, Reinaldo Azevedo, Andrea Mechael e outros". Ainda que o senhor não seja advogado, deve talvez conhecer os crimes de difamação e de calúnia, imagino. O senhor não teme um ou dois ou mais processinhos, nos quais o senhor teria de provar o "comprovado"? Ou, vergonhosamente, se retratar, o que certamente não o livraria de uma(s) eventual(is) ação de reparação por danos morais. Veja então, caro sr., que andar em más companhias, como a de "jornalistas de serviços" (que pelo menos recebem para difamar uns e outros) e de "fessores" que abundam neste espaço, pode ser uma roubada, hein? Passar bem.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 01/01/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.