Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Fusão de partidos

TSE decide se é infiel quem troca sigla após fusão de partidos

Chegou ao Tribunal Superior Eleitoral recurso do deputado estadual do Paraná, Francisco Noroeste Martins Guimarães, que trocou de partido após o período permitido pela lei e corre o risco de perder o mandato para o qual foi eleito.

A Resolução 22.610 determina que o mandato é do partido político e não do candidato eleito e, por isso, quem se desfiliar do partido sem justa causa (depois do dia 27 de março para deputados federais, estaduais, distritais e vereadores e 16 de outubro para senadores, prefeitos, governadores e presidente da República), poderá perder o mandato por infidelidade partidária.

No caso do deputado paranaense, ele pede que o TSE reconheça que houve justa causa, já que ele teria sido automaticamente filiado ao PR, depois da fusão entre o Prona e o PL que gerou o PR.

De acordo com o recurso do deputado, a fusão, “configura, por si só, justa causa que permite a desfiliação partidária”. O ministro Arnaldo Versiani é o relator do caso.

Respe 35.248


Revista Consultor Jurídico, 21 de dezembro de 2008, 0h00

Comentários de leitores

2 comentários

Tenho que o recorrente está assistido de razã...

Moacyr Pinto Costa Junior (Advogado Associado a Escritório)

Tenho que o recorrente está assistido de razão. No caso, quando da filiação, ele teve a opção de escolher o Partido ao qual desejaria ser filiado. Não se trata de infidelidade partidária, posto que, sua manifestação não fora volitiva, ao contrário, a fusão dos partidos se deu por conveniência de interesses entre as siglas. MOACYR PINTO COSTA JUNIOR Advogado e Professor Universitário http://mpcjadv.blogspot.com

Se o deputado alcançou o mandato num partido po...

A.G. Moreira (Consultor)

Se o deputado alcançou o mandato num partido político, não poderá mudar de partido e continuar exercendo o mandato. Se não concorda com a "fusão" , aguarde o término do mandato para mudar de partido ou renuncie antes de se filiar a outro partido . Aliás, o partido político que recebe a filiação de um político, por causa do mandato, deveria receber uma "severa punição" ! ! ! Porque comete crime tanto o que se apodera do que não lhe pertence, quanto quem recebe e se beneficia do mesmo ! ! !

Comentários encerrados em 29/12/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.