Consultor Jurídico

Artigos

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Imagem arranhada

Na maior operação de 2008, a Polícia Federal fracassou

Por 

Não adianta o ministro da Justiça, Tarso Genro, tentar propagandear números positivos sobre as ações da Polícia Federal, aquele blablablá de que aumentou o número de operações e de prisões. O retrato da PF em 2008 foi galvanizado pela Operação Satiagraha, que investiga o banqueiro Daniel Dantas, e essa imagem não é boa para os policiais.

Na mais importante investigação do ano, num caso que junta eventuais crimes financeiros e lavagem internacional de dinheiro, suspeita de corrupção e tráfico de influência na ante-sala do presidente Lula, a PF fracassou.

O maior sintoma desse fracasso foi a decisão da cúpula da Polícia de refazer o inquérito depois de três anos de investigação. Refazer inquérito é coisa de ditadura, de polícia pretoriana. Parece encomenda dos donos do poder para calar desafetos ou evitar que a investigação chegue à ante-sala do presidente.

Culpar o delegado Protógenes Queiroz, como fez a direção da PF, não ajuda a melhorar o estado das coisas. Parece óbvio que delegados não devam ser messiânicos, voluntariosos ou trabalhar com um conceito tão elástico de legalidade que raspa no ilegal. Mas como a PF não sabia que um delegado com essa trinca de predicados tocava a mais delicada investigação do país?

O resultado dessa combinação é um inquérito esquálido em fatos e adiposo em adjetivos. O silêncio do Ministério Público diante de tantos indícios de irregularidades da PF mostra que os fiscais do poder cochilam justamente no momento em que mais se precisa deles.

Dentro da PF, a palavra mais delicada a que se referem ao inquérito de Protógenes é lixo. É conversa corrente entre delegados que boa parte das provas devem ser anuladas pelas instâncias superiores da Justiça por causa das ilegalidades.

A PF das grandes operações é uma das boas novas da República brasileira nos últimos anos (o marketing exagerado e as escorregadas são o preço a pagar por uma Polícia mais ativa). Pela primeira vez na história, banqueiros, empresários e juízes foram presos em investigações com um nível de qualidade que não é a regra. Pela primeira vez o país passou a ter policiais que investigam gente de dinheiro com um objetivo que não é a propina.

É essa Polícia mais republicana e mais técnica que saiu ferida na Satiagraha. A baixa qualidade da investigação mostra que a PF ainda não tem um padrão de qualidade, só para usar uma imagem cara à Globo. Uma polícia errática, com investigações cuja qualidade varia conforme o titular de plantão, é atalho para a impunidade.

Não adianta depois tentar culpar o Supremo, com a fantasia recorrente de que os ministros protegem poderosos. O que se espera da Polícia são investigações de qualidade, não teorias conspiratórias.

[Artigo publicado originalmente no jornal Folha de S. Paulo deste sábado.]

Mario Cesar Carvalho é repórter especial do jornal Folha de S. Paulo.

Revista Consultor Jurídico, 20 de dezembro de 2008, 13h32

Comentários de leitores

19 comentários

Caros leitores, Nivelar o traba...

DPF - MATHEUS (Delegado de Polícia Federal)

Caros leitores, Nivelar o trabalho da Polícia Federal por um episódio isolada é uma leviandade. Atacar gratuitamente uma Instituição para demerecer o trabalho de homens e mulheres que arriscam suas vidas a defesa da sociedade, é uma inominável falta de visão política e social. Não adianta senhores formadores de opinião atacarem, por que a Polícia Federal não é um Instituição isolada, é um conjunto de pessoas com várias cabeças e pensamentos trabalhando numa só direção, se falhas existiram, esta é uma oportunidade de melhorar. Gostaria de saber o que o nosso articulista iria "dizer" se a operação que é tão decantanda por ele tivesse sido um sucesso e DVD estive preso, o corruptor estivesse preso? Aposto que não se manifestaria, ficaria no seu lugar o esquecimento. Obrigado pelo sua atenção.

Não foi a Polícia Federal que fracassou, foi a ...

Roger (Bacharel)

Não foi a Polícia Federal que fracassou, foi a sociedade.

Boa Mario Cesar..siga assim, são os votos deste...

futuka (Consultor)

Boa Mario Cesar..siga assim, são os votos deste também tupiniquim

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 28/12/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.