Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Balanço do ano

PF aponta aumento no número de prisões durante operações

A Polícia Federal divulgou, na quarta-feira (17/12), o balanço das ações executadas em 2008. Ao todo, foram trinta operações a mais que o último ano, que resultaram quase 4 mil prisões, mil a mais que 2007. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Neste ano, foram 218 operações especiais, enquanto em 2007 o número foi de 188. No relatório, a PF também mencionou as principais operações feitas este ano. Entre elas, a Satiagraha – que prendeu o banqueiro Daniel Dantas.

A operação batizada como João de Barro partiu de uma auditoria feita pelo Tribunal de Contas da União e investigou 29 municípios do leste mineiro, onde foi apresentado indícios de desvio de verba na construção de casas populares.

E por último a operação batizada como Naufrágio, que cumpriu mandados de prisão e busca e apreensão para um grupo composto por funcionários públicos, desembargadores e juízes capixabas que são suspeitos de venda de sentenças, fraude em concurso público e nepotismo. As investigações afastaram do cargo de presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo, desembargador Guilherme Pimentel.

Em entrevista para a Folha de S. Paulo, o ministro da Justiça, Tarso Genro, elogiou o trabalho da instituição, mas criticou as "investigações políticas". De acordo com o ministro, é preciso regular a forma de atuação da Abin – Agência Brasileira de Inteligência.

O diretor-geral da PF, Luiz Fernando Corrêa, aponta que o trabalho com mais foco produziu provas de mais qualidade. Como resultado deste foco ele mostra os 60% das prisões pedidas pela PF e concedidas pela Justiça forma preventivas, contra 40% temporárias.

Revista Consultor Jurídico, 19 de dezembro de 2008, 18h42

Comentários de leitores

2 comentários

É isso aí PF...quanto mais prisões melhor e o r...

Ruberval, de Apiacás, MT (Engenheiro)

É isso aí PF...quanto mais prisões melhor e o risco errar é inerente ao mister constitucional... melhor pecar pela exagero do que pela omissão. Em frente e avante!!!

Avante PF!

Armando do Prado (Professor)

Avante PF!

Comentários encerrados em 27/12/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.