Consultor Jurídico

Comentários de leitores

16 comentários

Além de tornar o professor aliado, por que não ...

Zerlottini (Outros)

Além de tornar o professor aliado, por que não passar a respeitá-lo, também? O ensino começa no primeiro grau. Se a base não presta, o alicerce, como construir algo em cima do que é podre? Há que se começar por respeitar os(as) professores(as) do primeiro grau. Há que voltar ao regime de reprovação dos ineptos. Quem não sabe, não pode ser aprovado. Minha mulher tem alunos, nas sétima e oitava séries, que mal e porcamente sabem desenhar o próprio nome. Como foi que chegaram lá? E ainda vem o molusco e dá pontos extras, nos vestibulares, a quem cursou escola pública. Ora, escola pública está uma verdadeira vergonha. Pelo que minha mulher conta que acontece com ela em sala de aula, se eu fosse professor, eu já estaria preso - ou morto. Se um aluno fizer comigo metade do que fazem com ela - e ela nem os pode punir - eu o jogaria pela janela da sala de aula. Mas, é a tal coisa. Neste país, os analfabetos podem chegar à presidência da república... Francisco Alexandre Zerlottini. BH/MG.

como é que o suspeito vai se defender do Estado...

analucia (Bacharel - Família)

como é que o suspeito vai se defender do Estado se estão criando o monopólio de pobre pela Defensoria que é um órgão de repressão do Estado, inclusive quer investigar, processar e prender pobres.

O artigo não é nota 10. É nota 1000. Juízes ...

Sérgio Niemeyer (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

O artigo não é nota 10. É nota 1000. Juízes e promotores da atualidade deveriam ler e reler, não só até decorar, mas até que as palavras fiquem ecoando em suas mentes, o seguinte trecho da entrevista: “O Direito Penal não é um instrumento do Estado para punir o suspeito. É um instrumento do suspeito para se defender do Estado.” Isso basta. Diz tudo. Comparem essa lição de indulgência do Prof. Damásio de Jesus (parece que nada é por acaso; não é à toa que o entrevistado leva o nome daquele que provocou a maior revolução das relações humanas jamais experimentada pelo homem nos fastos da História) com os casos recentes, principalmente os que recebem os holofotes da grande mídia. Os atores da instituição Justiça, principalmente aqueles que a impulsionam e dirigem, fazem exatamente o contrário da lição. Usam o Direito Penal como instrumento do Estado para punir, a qualquer custo, o suspeito, e mesmo quando pelos compêndios legais devessem absolver, condenam invocando a realização de uma justiça que só existe em suas mentes. Há nisso alguma diferença para a justiça praticada por um justiceiro? Sim. A diferença de método, não, porém, de objetivo. (continua)...

(continação)... O justiceiro comum usa uma arm...

Sérgio Niemeyer (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

(continação)... O justiceiro comum usa uma arma fumegante e profere as sentenças que lhe comprazem. Os justiceiros judiciais usam a caneta e o poder da toga para proferir sentenças conforme lhes apetece a mesma sede paladina, mas dão-lhes um contorno legal, muita vez forçado, e quase sempre em dose exagerada. Fazem do Direito Penal um instrumento de mera punição e opressão do indivíduo, alinham-se veladamente contra a defesa, e não têm o pudor nem a coragem de assumir seus anelos publicamente. É como se vivêssemos a era da imoralidade total! (a) Sérgio Niemeyer Advogado – Diretor do Depto. de Prerrogativas da FADESP - Federação das Associações dos Advogados do Estado de São Paulo – Mestre em Direito pela USP – Professor de Direito – Palestrante – Parecerista – sergioniemeyer@adv.oabsp.org.br

um fato ficou incompleto, no fim da Guerra Fria...

Ramiro. (Advogado Autônomo - Criminal)

um fato ficou incompleto, no fim da Guerra Fria a URSS tentou parar os EUA assassinando cientistas. O modelo da URSS historicamente foi seguido no Brasil. O modelo descrito pelo Professor Damásio de Jesus pode ser encontrado aplicado nas melhores universidades de pesquisa dos EUA e Europa. No Brasil só o experimenta quem faz pós-graduação em Universidade de pesquisa, cada vez mais afundadas por cortes de verbas. O Professor Damásio é a pura demonstração de um velho aforismo de que não existem homens à frente de seu tempo, existem os que vivem seu tempo e uma imensa legião daqueles que estão atrasados. E aproveito para perguntar, cadê o MPF? É só pesquisar os grupos estrangeiros que trouxeram "tecnologia de educação" para o Brasil, que querem investir milhões comprando universidades privadas, e verificar como estão sofrendo pressões nos EUA. O modelo do Professor Damásio só funciona em escala maior em Universidade Pública de Pesquisa. Enquanto isso fica restrito aos poucos que possam pagar.

Um trecho da entrevista, sobre o método de ensi...

Ramiro. (Advogado Autônomo - Criminal)

Um trecho da entrevista, sobre o método de ensino, salta aos olhos. "Trazemos um caso concreto e o discutimos, como se fosse uma aula prática. O aluno tem de dizer se existe crime e qual é o crime. Nossa faculdade não admite salas com mais do que 50 alunos. Tem muita sala com 17 alunos. É um método quase manual.” Inevitável uma remissão ao Relatório Flexner que mudou a educação médica nos EUA e depois se estendeu, por aplicabilidade, a diversas áreas do ensino dos EUA, levando à vitória acachapante na guerra tecnológica contra a URSS. Não adiantou, na dita "Era Reagan", as injeções nas nádegas de cientistas ligados aos projetos de defesa dos EUA, por que as universidades dos EUA repunham novos talentos formados à altura dos perdidos. Alunos de uma faculdade do Rio recém comprada foram investigar o grupo controlador. Valha-nos Deus. No site o grupo americano que eles afirmam que transferiu a "tecnologia para formarem as faculdades no Brasil" foi condenado em mais de 280 milhões por fraude ao mercado, e está sob cerrada investigação do Departamento Federal de Educação dos EUA. Aqui no Brasil terão bolsas do PROUNI. As S/A da educação nos EUA estão sob fogo pesado das autoridades. No Brasil são bem vindas... O Professor Damásio reconhece um fato, pouquíssimos tem condições de pagar o valor das mensalidades de suas faculdades. Pergunto eu, o Governo do PT teria coragem de encomendar para o ensino jurídico alguma coisa como foi o relatório Flexner no início do século XX nos EUA para ensino médico? O método do Professor Damásio sobreviveria com louvor e poderia inclusive se tornar modelo e paradigma.

Prof. Damásio: Grande Penalista, Estudioso e de...

Moacyr Pinto Costa Junior (Advogado Associado a Escritório)

Prof. Damásio: Grande Penalista, Estudioso e dedicado ao Direito. Quanto a ser empresário/empreendedor, está muito certo. É competente, capaz e eloquente. Parabéns. Prossiga sempre assim. MOACYR PINTO COSTA JUNIOR Advogado e Professor Universitário http://mpcj.adv.blog.uol.com.br

É vergonhoso ver que a educação universitária b...

Luís Guilherme Vieira (Advogado Sócio de Escritório - Criminal)

É vergonhoso ver que a educação universitária brasileira (para não falar na não-universitária) tenha se rendido, principalmente em decorrência dos Anos de Chumbo, ao malfadado mercado. Esse abjeto mercado, que tudo pode, não tem qualquer compromisso com a educação humanística do homem e fez/faz impulsionar esses milhares de cursinhos preparatórios de concursos públicos (com o advento dos exames da OAB, a praga foi alastrada) que estão a se multiplicar em progressão geométrica; e se multiplicarão cada vez mais, com a profusão dos também abjetos ‘ensinos’ telemidiáticos. Neles nada se ensina, exceto as odiosas fórmulas aritméticas de como devem fazer-agir – pensar para quê?! – para passar nos concursos. Não sou contra o concurso público. Sou contra essa máquina que foi inventada depois que os cursos de Direito, no Brasil, começaram a ser abertos sem qualquer forma de critério e controle. Claro que não são todos; mas maioria é desprezível. É preciso reagir. O ensino público há de ser prestigiado e fortalecido, como hão de ser prestigiados e fortalecidos as carreiras/missões dos professores universitários e dos pós-universitários (os dos ensinos fundamental e médio idem); a questão salarial é importantíssima, mas não é o fator primordial. Com a valorização dos professores, a valorização salarial virá na correnteza. Os cidadãos brasileiros devem ter o direito de acesso ao ensino de excelência (inclusive aos não-universitários), independentemente de suas castas sociais. Enfim, triste assistir gerações se formarem totalmente despreparados para exercer suas missões sociais, inclusive as públicas (aliás, não se fala mais em vocação; é o concurso público pelo concurso público). Isso tem de mudar. Luís Guilherme Vieira, advogado.

Respeitando a competência do professor, resta a...

Armando do Prado (Professor)

Respeitando a competência do professor, resta a florescente indústria dos cursinhos, por única e direta incompetência das fábricas de bacharéis.

Sem perdão! Em sentença proferida, o Tribunal ...

Chiquinho (Estudante de Direito)

Sem perdão! Em sentença proferida, o Tribunal do Júri, em Las Vegas (EUA), condenou o ex-jogador e ex-ator O.J.Simpsom a 33 anos de prisão em regime fechado por roubo e sequestro no Hotel Palace Station, sem contar seu envolvimento no assassinato da sua ex-mulher, Nicole Brown e do amigo dela, Ronald Goldman. Diferente daqui, que o STF proibiu o uso de algemas em bandidos, o ex-ator O.J.Simpsom ficou o tempo todo no Tribunal algemado, sem perdão, sem dignidade, porque bandido não tem amor, não tem emoção, não tem comoção, não tem coração, porque seu coração é pura pedra de gelo! Estuprador, sequestrador, corrupto, traficante, não merecem o perdão lhes concedidos pelos Ministros do STF: Serem tratados com dignidade porque eles não conseguem ser dignos consigo mesmos quanto mais com aqueles escolhidos para serem sus vítimas! Que os Ministros do STF se espelhem nesse exemplo de Las Vegas e reflitam melhor sua decisão: Tratar bandidos com dignidade é um mau exemplo, é impunidade letigimada! Cícero Tavares de Melo (chiquinhoolem@yahoo.com.br).

Retificação: Meu avô estudou Direito Penal...

Polly (Estudante de Direito)

Retificação: Meu avô estudou Direito Penal...

Algumas retificações na mensagem abaixo: Direi...

Polly (Estudante de Direito)

Algumas retificações na mensagem abaixo: Direito Penal., Se não me falha a memória., É uma das maiores fontes... Eis aí a maravilha., Entretanto, meu avô continua adotando o crime como um fato típico, antijurídico e culpável, tal como ensinado anteriormente, pelo jurista, naquelas edições as quais as temos em nossa Biblioteca, com muito orgulho, porque são verdadeiras raridades. Abraços cordiais ao digno professor Damásio E. de Jesus da Faculdade de Direito de Baurú, SP.

Meu avô estudou direito penal pelas obras do il...

Polly (Estudante de Direito)

Meu avô estudou direito penal pelas obras do ilustre prof. Damásio Evangelista de Jesus. Seu primeiro livro publicado (se não falha a menória) data de 1967, 1 e 2 edições, editora JALOVI LTDA onde se nota as homenagens a sua mãe, esposa e filhas. è uma das maiores fontes de estudos do Direito Penal. O mais interessante dessas primeiras obras é que o professor Damásio era fiel partidário da Teoria clássica da ação), ou seja entendia o mestre que o crime é um fato típico antijurídico e culpável. Isto se vê, na pág. 149 de seu Curso de Direito Penal, onde no Conceito final ensina o professor: " Defimos o crime, sob o ponto de vista formal, como FATO TÍPICO, ANTIJURÍDICO E CULPÁVEL. Hoje, magistralmente, em sua obra Direito Penal, Parte Geral, Saraiva 15 ed., 1991 pág. 136 diz: "(...) do crime sob o apecto formal: o fato típico e a antijuridicidade". Eis ai a maravilha dos estudo do ilustre prof. Damásio. O que era antes não é mais agora. Entretanto, meu avô continua adotando o crime como fato típico e antijurídico e culpável.

O Brasil só tem que agradecer a este grande hom...

Paulo (Outros - Civil)

O Brasil só tem que agradecer a este grande homem e jurista, Professor Damásio de Jesus. São pessoas como ele que fazem a vida ser diferente e melhor.

Congresso Nacional na nova Pec da Reforma do Ju...

Dr. Marcelo Galvão SJCampos/SP - www.marcelogalvao.com.br (Advogado Sócio de Escritório)

Congresso Nacional na nova Pec da Reforma do Judiciário aumentem o prazo para 10 Anos de Exercicio Jurídico para as carreiras da Magistratura, Procuradores e, inclusive, Delegados de Policia. Fora isso, os donos de cursinhos são pessoas maravilhosas, como o Professor Damasio, meus parabéns.

Fiz Direito numa faculdade do interior de Minas...

Educação Financeira para Todos (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

Fiz Direito numa faculdade do interior de Minas Gerais entre 1988 e 1992. Foi lá que tive meu primeiro contato com as ciências penais com os livros do Professor Damásio de Jesus. Sou muito agradecido ao professor por ter me proporcionado uma leitura fácil, muito agradável e com muitos exemplos do Direito Penal. Parabéns, Professor Damásio.

Comentar

Comentários encerrados em 15/12/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.