Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Estado de bisbilhotice

OAB cobra resposta do governo sobre grampo ilegal no STF

Em nota divulgada neste sábado (30/8), a Ordem dos Advogados do Brasil exigiu resposta imediata do Poder Público quanto às denúncias feitas pela revista Veja, de que a de que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) está grampeando ilegalmente autoridades do Judiciário e Legislativo.

“Qual o sentido de a Abin espionar o senador Tião Viana? Quer saber sua estratégia de campanha? Para quê? Está a serviço de outro candidato? E por que espiona o líder da oposição, senador Arthur Virgílio? E o ex-ministro José Dirceu?”, pergunta o presidente da OAB, Cezar Britto. Para a OAB, a situação demonstra insegurança jurídica e desmoralização institucional.

A reportagem traz diálogo do presidente do STF, ministro Gilmar Mendes, com o senador Demóstenes Torres (DEM-GO). Segundo a revista, a transcrição foi repassada por um funcionário da própria Abin, que informou a existência de monitoramento de deputados, senadores, ministros de estado e de outro integrante do STF, como o ministro Marco Aurélio.

Gilmar Mendes, que embarcaria para Seul, na Coréia do Sul, neste sábado, acabou cancelando a viagem. No início da próxima semana, todos os ministros do Supremo vão se reunir para discutir a informação de espionagem pela Abin. Pela lei, o órgão, que é subordinado ao Palácio do Planalto, não tem competência para fazer monitoramento telefônico, nem mesmo com ordem judicial.

Leia a nota

É simplesmente intolerável que fatos como esses denunciados na edição que circula a partir de hoje (30) da revista Veja continuem a ocorrer sem que respostas imediatas – e exemplares - sejam dadas à sociedade brasileira pelo Poder Público.

Espionar a mais alta autoridade do Poder Judiciário, o ministro Gilmar Mendes, é um escândalo que dispensa adjetivos. Ultrapassa as piores expectativas. Mas o estado de bisbilhotice, que vem sendo denunciado pela OAB, inclusive na cerimônia de posse do atual presidente do Supremo Tribunal Federal, não pára aí: atinge hoje praticamente todo o espectro político.

Vai da base parlamentar governista à oposição. Espiona ministros, assessores do Presidente da República, o Presidente do Senado e chega ao extremo de se envolver na sucessão à Presidência daquela casa legislativa.

Qual o sentido de a Abin espionar o senador Tião Viana? Quer saber sua estratégia de campanha? Para quê? Está a serviço de outro candidato? E por que espiona o líder da oposição, senador Arthur Virgílio? E o ex-ministro José Dirceu?

São perguntas inevitáveis – e constrangedoras -, que revelam o grau de insegurança jurídica e baixeza institucional que tais aberrações produzem, reeditando os piores momentos da ditadura militar.

A OAB, como tribuna da sociedade civil brasileira, exige apuração rigorosa e imediata dos fatos e responsabilização penal dos envolvidos neste ato criminoso que afronta o Estado democrático de Direito e fragiliza a credibilidade das instituições do Estado.

CEZAR BRITTO

Presidente do Conselho Federal da OAB

Revista Consultor Jurídico, 30 de agosto de 2008, 17h35

Comentários de leitores

6 comentários

É engraçado uma instituição como a OAB, que def...

Senhora (Serventuário)

É engraçado uma instituição como a OAB, que defende tanto o principio da presunção da inocência quando gente poderosa está envolvida, e vir agora dar como certo que agentes da ABIN grampearam o STF, o senado, Deus e o mundo,quiçá...Por que dar tanta credibilidade a uma revista como a Veja? Por que não defender o diretor Paulo Lacerda, que já foi condenado sumariamente sem direito a ampla defesa e ao contraditório? Por que Daniel Dantas tem esse direito e Paulo Lacerda não tem? Eu prefiro acreditar em Paulo Lacerda do que em um quadrilheiro como Daniel Dantas e seus seguidores...

Em se tratando de revista Veja (toc, toc, toc),...

Cananéles (Bacharel)

Em se tratando de revista Veja (toc, toc, toc), TODAS as suas denúncias e "furos" jornalísticos merecem ser confirmados, auditados, contraditados, periciados etc. etc. etc. Conhecendo a figura (a revistinha chinfrin, claro), acredito até na possibilidade de uma "criação literária" do próprio diálogo entre o ministro Gilmar Mendes e o senador Demóstenes Torres, por exemplo.

Acho muito precipitado acusar a ABIN de ter pro...

Émerson Fernandes (Advogado Autônomo - Civil)

Acho muito precipitado acusar a ABIN de ter promovido a "arapongagem". Nisso, a OAB se contradiz, pois, não pode já acusar sem que se tenha um mínimo de esclarecimento sobre os fatos, como exige o bom exercício do direito de defesa... Pela gravidade do tema, a cautela deve ser a tônica dos opositores do estado policial, para não se tornarem instrumento desse mesmo pensamento.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 07/09/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.