Consultor Jurídico

Notícias

Pauta do STF

OAB-SP rebate crítica de Joaquim Barbosa a advogados

Comentários de leitores

18 comentários

Caro Walter, Vamos ver se entendi? Meu pirão...

Fábio (Advogado Autônomo)

Caro Walter, Vamos ver se entendi? Meu pirão primeiro e os outros que se danem??!!?? É isso?!?

Caro D´Urso, a maioria dos advogados acham lame...

Fábio (Advogado Autônomo)

Caro D´Urso, a maioria dos advogados acham lamentável a defesa que está sendo feita neste caso. Está na hora de acabar com essa história de uns terem seus processos julgado primeiro do que o processo dos outros. Isso é um descaso e um desrespeito com a maioria dos advogados. Os processos devem ser Julgados na ordem de entrada no Tribunal. Parabéns ao Ministro Joaquim Barbosa, estava na hora de alguém de bom senso se posicionar contra os privilégios de certos membros da advocacia em detrimento da imensa maioria dos advogados. Quanto à Presidência da OAB/SP o fato só demonstra que o nosso Presidente está do lado dos grandes escritórios em detrimento dos pequenos.

Despachar com o magistrado é prerrogativa do ad...

Júnior Brasil (Advogado Autônomo - Consumidor)

Despachar com o magistrado é prerrogativa do advogado. Entretanto, tem colega que não deixa o juiz trabalhar. Os que se manifestam nestem fórum não entendem - ou não querem entender por conivência - que o Min. Barbosa não se referiu aos advogados em geral (os 600.000), mas sim a algumas dezenas de escritórios que querem ditar a pauta do STF. Entenderam? E o D'Urso, imediatamente, não saiu em defesa de todos os colegas, mas sim dos seus apaniguados. Se eu precisar despachar no STF com um Min., vou fazê-lo, como já o fiz no STJ, mas colocar meu pequeno escritório como "orquestrador das pautas judiciais", não o farei, algo que os colegas que advogam para os "colarinhos brancos" deveriam aprender. Não se trata de má condução do mandato. Salutar ter apenas um pouco de educação, só isso! Parabéns ao Ministro!

OS COMENTÁRIOS PODEM SER INFINITAMENTE DIVERSIF...

Pedro Paulo Volpini (Advogado Sócio de Escritório)

OS COMENTÁRIOS PODEM SER INFINITAMENTE DIVERSIFICADOS. MAS EXISTE UMA RAZÃO LÓGICA PARA A CRÍTICA RAZOÁVEL QUE EMANA DA MANIFESTAÇÃO DO MINISTRO JOAQUIM BARBOSA: NÁO SÃO TODOS OS ADVOGADOS QUE TÊM OU CONSEGUEM O NÚMERO DE TELEFONE DA CASA DE UM MINISTRO DO STF PARA LIGAR PESSOALMENTE PARA O MINISTRO RELATOR DE UM PROCESSO PARA "PEDIR AGILIZAÇÃO", APENAS POR TER UMA PROCURAÇÃO NOS AUTOS JÁ EM PAUTA DE JULGAMENTO" - PRINCIPALMENTE SE ESSE ADVOGADO JÁ FOI PRESIDENTE DO STF, COLEGA INTEGRANTE DO STF, ETC. - E NÃO APARECE PARA A SUSTENTAÇÃO ORAL NOS AUTOS NA SESSÁO DO JULGAMENTO DAQUELE PROCESSO. QUE É ESQUISITO, É MESMO! O ADVOGADO DA PARTE CONTRÁRIA, NAQUELES AUTOS, CONSEGUIRIA O MESMO PRIVILÉGIO? SE A PARTE CONTRÁRIA PESSOALMENTE FOR CONSULTADA A RESPEITO DAQUELE TELEFONEMA - A QUE HORAS MESMO OCORREU? NOS AUTOS TEM PETIÇÃO ASSINADA PELO ADVOGADO QUE TELEFONOU PARA A CASA OU APARTAMENTO DO MINISTRO - QUAL SERIA SUA OPINIÃO? Ah! Será que teríamos de fazer uma "modulação" de requerimento, como inspirado paralelamente em assunto diverso, pelo Ministro JOBIM? Pedro Paulo Volpini-OAB-ES-2318.

O princípio da EQUIDISTÂNCIA do Magistrado em r...

Pedro Paulo Volpini (Advogado Sócio de Escritório)

O princípio da EQUIDISTÂNCIA do Magistrado em relação às PARTES (POLARIZADAS ATIVA E PASSIVAMENTE NUM MESMO PROCESSO); o da MORALIDADE; o da TRANSPARÊNCIA, e o da IMPARCIALIDADE, passam evidentemente nas artérias desse debate entre o Ministro Joaquim Barbosa e o Presidente da OAB-SP. Qualquer solicitação referente ao julgamento de um processo, seja de PRIORIDADE, seja de PREFERÊNCIA, ou de recebimento de um advogado de parte, deveria ser comunicado AO ADVOGADO DA OUTRA PARTE, PARA FAZER-SE PRESENTE AO PEDIDO, SEJA VERBAL, SEJA POR ESCRITO, SEJA INFORMAL SEJA FORMAL. É MUITO SUSPEITO OU DESCONFORTÁVEL UM EXCLUSIVO E PRIVILEGIADO FRANCO ACESSO DE UM ADVOGADO OU DE UMA ÚNICA DAS PARTES POLARIZADAS NUM PROCESSO(PRIVILEGIADOS NA RELAÇÃO JULGADOR OU ASSESSORIA) AO GABINETE DE UM MAGISTRADO - DE QUALQUER INSTÂNCIA. POR MAIOR QUE SEJA A BOA-FÉ DO MAGISTRADO, FICA SEMPRE A CONTAMINAÇÃO UNILATERAL DE UMA VERSÃO OU DE UM INTERESSE. QUE SE INSTAURE UMA AUDIÊNCIA PARA APRESENTAÇÃO DE PEDIDOS DE PREFERÊNCIA OU DE PRIORIDADE. A INTENÇÃO DO MINISTRO JOAQUIM BARBOSA HÁ DE SER RECEBIDA - PELA SUA VITAMINADA OPORTUNIDADE - PARA ESTUDO E APRIMORAMENTO DA LISURA DA PRESTAÇÃO JURISDICIONAL, COM RESPEITO AO PRINCÍPIO DA IMPESSOALIDADE. PEDRO PAULO VOLPINI-OAB-ES-2318.

O que este infeliz pseudo ministro do S.T.F. f...

Jose Antonio Dias (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

O que este infeliz pseudo ministro do S.T.F. fala não deve siquer ser conhecido, quanto mais, rebatido. É um racista revoltado que caiu de paraquedas no S.T.F. para satisfazer o ego do Lula em alardear que foi o primeiro presidente a nomear um negro para o S.T.F.

Sou advogado e, no exercício da profissão, me d...

Walter A. Bernegozzi Jr (Advogado Autônomo - Administrativa)

Sou advogado e, no exercício da profissão, me dirijo quando quiser a qualquer Corte do país para conversar com assessores, Desembargadores ou com quem quer que seja. Isto é prerrogativa da advocacia. O advogado que não sabe disso que vá estudar. O advogado que não faz isso quando necessário, que mude de profissão, porque está traindo o mandato. O Juiz que não atende o advogado, que vá estudar a lei 8906-94 e a recente decisão do CNJ sobre o tema, ou que se prepare para a representação por quebra de prerrogativa profissional do advogado, por ofensa à lei. PS: e eu, que já admirei o JB, agora penso que deveria pedir aposentadoria. PS2: já adianto, Sr. Ministro, que não há qualquer conotação racista em minha manifestação.

O DOMÍNIO DA PALAVRA este é sem dúvida um dom e...

futuka (Consultor)

O DOMÍNIO DA PALAVRA este é sem dúvida um dom e um grande fenômeno, quem tem mais quem tem menos domínio sobre ela. BLÁ, BLÁ E BLÁ.. Então assim é a vida, não importa o que tenha ou faça se não aprender a dominá-la (mesmo) como todo profissional (para ser bem sucedido) não resta a menor dúvida que estará sempre um 'passo atrás'. Este é o meu pensamento!

O Min. Joaquim Barbosa tem inteira razão. Os ad...

Gilson Raslan (Advogado Autônomo - Criminal)

O Min. Joaquim Barbosa tem inteira razão. Os advogados da elite, geralmente renomados no meio jurídico, usando e abusando de sua fama, impõem a sua vontade, sobretudo na primeira instância. O Dr. D´Urso faz a defesa desses medalhões, porque é um deles.

maiores para argumentar e tentar convencer a qu...

Quinto ano na Anhanguera-Uniban Vila Mariana. (Estudante de Direito - Criminal)

maiores para argumentar e tentar convencer a quem de direito pela necessidade urgente de julgamento do caso de seu cliente. Sds.

Como mero estudante de Direito, e que lê tudo s...

Quinto ano na Anhanguera-Uniban Vila Mariana. (Estudante de Direito - Criminal)

Como mero estudante de Direito, e que lê tudo sobre o judiciário e os tribunais, atuando informalmente também (inclusive já consegui três audiências no STJ com duas Ministras e um Ministro), digo que certas coisas não deveriam ser expostas publicamente. Essas diversidades de opiniões, e mesmo quirelas existentes entre um e outro Ministro de Corte Superior deveriam ser resolvidas entre eles, dentro do ambiente da Corte, e não jogadas ao ventilador para que o mundo saiba que os Ministros da Suprema Corte do País se desentendem. Aliás, desentender-se é uma coisa, mas os ataques e manifestações do Exmo. Min. JB, "concessa maxima venia", são inaceitáveis, mormente em caráter público. Isso leva a entender que a intenção dele era desmoralizar seus pares da Corte. No mínimo anti-ético. E me estranha que pessoa com tamanha serenidade ao atuar no caso do mensalão, sendo tão erudito, direto e escorreito, mude radicalmente seu modo de agir e externar sentimentos e opiniões em detrimento do respeito à Corte e a seus Eminentes Pares da judicatura máxima do País. Quanto às preferências de julgamento, apesar do excesso de trabalho que há nos tribunais, é obrigação de cada advogado tentar agilizar o méximo possível o que seja do interesse de seu cliente, e como o trabalho advocatício resume-se, essencialmente, na força da argumentação, quem melhor argumentar, melhores resultados conseguirá. Quando o cliente tem condições de mandar o advogado a Brasília para tentar acelerar o julgamento de seu caso, tanto melhor. Quem não tem condições, tem de esperar. Não é injusto, somente desigual, e é nisso que se explica a diferença de condições financeiras. Não que se compra ministros e/ou juízes, mas sim que o dinheiro possibilita ao advogado locomover-se a distâncias...(cont)

Com toda razão, pertinência e oportunidade se m...

joão gualberto (Advogado Autárquico)

Com toda razão, pertinência e oportunidade se manifesta o presidente da OAB/SP. Não há dúvida que os Ministros do STF tem feito um trabalho monumental para cumprir e até limpar a pauta. Mas ainda há causas que não caminham. Mormente quando alguns Ministros (não todos) pedem vista de processos e depois relegam estes processos às suas prateleiras. Que devem fazer os advogados senão pleitear a continuidade do processo, e em alguns casos, inclusive, pedir a aplicação de prioridade prevista na Constituição e no Estatuto do Idoso, visto que, enquanto o Ministro ou Ministra não devolve o processo para julgamento padecem e morrem os servidores aposentados e pensionistas na espera do julgamento sem jamais usufruirem dos direitos que muitas vezes são clamorosamente negados pelo Estado. Esta é uma patologia ainda encravada no STF, o pedido de vista, quando não volta o processo em tempo razoável ao julgamento final, inclusive, ao arrepio da Lei Procesual e do Regimento Interno do STF.

Parabenizo o Flavio D'Urso pela iniciativa de p...

Habib Tamer Badião (Professor Universitário)

Parabenizo o Flavio D'Urso pela iniciativa de por os pingos nos is... O MInistro Joaquim Barboza tem demonstrado pouco ocnhecimento do dia a dia de um Tribunal, vez que as decisões quanto a pauta de julgamento é'de única e exclusiva competência da presidencia dos trabalhos e a presidencia dos trabalhos é sempre ocupada por um MInistro ou Desembargador!! Assim, registro meus protestos e lamento que tenhamos que chegar a este ponto...A TV Justiça mostra ao vivo tudo e é preciso lavar roupa suja em casa...

Tem razão a OAB e tem razão o Ministro Joaquim...

dinarte bonetti (Bacharel - Tributária)

Tem razão a OAB e tem razão o Ministro Joaquim Barbosa. O presidente da OAB paulista, Luiz Flávio Borges D’Urso, afirmou que há causas e casos emergenciais que justificam a inversão da ordem de julgamentos no Supremo Tribunal Federal. Isso é correto. Entretanto, o que o Min. JB contesta, é o critério dos ministros ao administrarem tal inversão. Quem ainda não sabe o poder dos grandes escritórios de advocacia, junto ao Supremo? Ou de clientes especiais, que são mais iguais que os outros? Admitir tais fatos é complicado, mas bem faz o Ministro ao trazer à baila tal situação, pois casos recentes de inversão de ordem prejudicaram em muito o conceito da Suprema Corte junto ao povo que ele pretende defender. Decisões emocionais, não podem pautar jamais membros do Supremo. Nem a importância do réu.

Mais uma vez, ponto para o ministro Barbosa.

Armando do Prado (Professor)

Mais uma vez, ponto para o ministro Barbosa.

Seria interessante saber se o min. Barbosa aten...

João G. dos Santos (Professor)

Seria interessante saber se o min. Barbosa atende membros do MPF, enquanto parte em processo penal.

Nunca precisei ir até um ministro do STF, mas p...

 (Advogado Autônomo - Civil)

Nunca precisei ir até um ministro do STF, mas preciso for irei sim e, ainda, caso seja necessário, pedirei que atenda o meu cliente. Para isso estou sendo pago. Não pedirei que seja dado jeitinho, mas celeridade pedirei. A Justiça é nossa, do povo brasileiro, ninguém é senhor dela, portanto, quando dela precisamos nada mais justo que a provoquemos.

É isso aí ! Avante Advocacia. Não queiram imped...

Rossi Vieira (Advogado Autônomo - Criminal)

É isso aí ! Avante Advocacia. Não queiram impedir o acesso do cidadão no Judiciário , sempre representado pelo Advogado, único legitimado a representá-lo individualmente em juízo. Calar o advogado é tapar a boca do jurisdicionado. Salvem os magistrados, sempre maioria, que recebem advogados em seus gabinetes de trabalho. A troca de energia entre os profissionais do direito é fundamental a boa tramitação de idéias que fazem nascer excelentes decisões. Otávio Augusto Rossi Vieira, 41 Advogado Criminal em São Paulo

Comentar

Comentários encerrados em 5/09/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.