Consultor Jurídico

Comentários de leitores

6 comentários

Queria que este juiz fosse dar um passeio no Mo...

hbonfim (Técnico de Informática)

Queria que este juiz fosse dar um passeio no Morro do Pavão-pavãozinho, ou tirasse umas férias na Bahia ou Pará. Se voltar vivo dou razão. Lugar de bandido é na cadeia.

Gostaria de ter uma trincheira aninhada no meu ...

Ampueiro Potiguar (Advogado Sócio de Escritório)

Gostaria de ter uma trincheira aninhada no meu intelecto(se é que o tenho nos termos do artigo)para entender onde o bravo articulista quis chegar. O mote "viés autoritário" advindo da ditadura não passa de um embuste. Atribuir esse viés ao nosso povinho raia à insanidade. O que significa pensamento etiológico, no contexto do artigo?. Ou seria pensamento etílico? Quais são os pensamentos reacionários que prescisam ser desmascarados para minimizar a escalada da violência? Grupos que auxiliam frentes antiliberais? Quais? O articulista quer mais liberalismo? Não é o povo que apoia a repressão. Reflita-se: a etiologia da repressão é que revelará com toda a crueza. Os grupos liberiais mantêm o Estado como "reserva repressora". A ditadura é a trincheira que está aninhada no pensamento liberal.Tudo é válido. Desde que dê lucro. Se este é ameaçado o surto autoritário surge. Esse surto autoritário é antecedido de falss ou reais ameaças. Criadas cientificamente pelo poder (liberalismo) dominante para que o povo apoie a repressão. Freud justifica e explica. A violência não´surge da metafísica. Surge de condições concretas, historicamente aferíveis. Como na atualidade. Se tudo é permitido aos poderosos, um Beira Mar também quer seu naco (de poder e grana).

Parabéns ao articulista! Infelizmente não pu...

George Rumiatto Santos (Procurador Federal)

Parabéns ao articulista! Infelizmente não pude comparecer à palestra do eminente professor Zaffaroni, mas o caro Mahon mostrou bem a concepção de direito penal do inimigo, inclusive com exemplos brasileiros (como a autoritária Lei de Crimes Hediondos, que não diminuiu o número de crimes hediondos cometidos).

Muito se fala, muito se cria teorias, muito se ...

Igor M. (Outros)

Muito se fala, muito se cria teorias, muito se cria expressões difíceis, muito se critica, muito se expõem em palestras, muito se fala que não tem dados ou correlações, porém, nunca se é pragmático. Às vezes, quando leio certos tipos de artigos ou doutrinas, me sinto lendo um livro de psicologia, mas sem as soluções! Acho interessante se combater a “criminologia midiática” – ora ditos reacionários –, mas o que eu só vejo são críticas e mais críticas sem apresentar qualquer tipo de adequação àquilo que a sociedade tanto clama: combate a criminalidade! Não faço uma crítica aos pensadores de Zaffaroni e Cia., nem aos “abajuladores” [sic – para mim mesmo], muito menos aos “reacionários”, mas falta prática...

Novamente esse senhor? Comentários como o do "P...

Vitor Worter (Outro)

Novamente esse senhor? Comentários como o do "Professor Luizinho", vai lá, agora um operador do Direito com a cabeça repleta de bobagens? Ou seria este uma resposta aos comentários negativos do artigo anterior? Ah, entendi, quem discorda do senhor só pode ser reacionário, racista e discriminatório, não é mesmo?

Parafraseando, diria que a ideologia é o último...

Armando do Prado (Professor)

Parafraseando, diria que a ideologia é o último refúgio dos canalhas. "Disso eles não sabem, mas o fazem".

Comentar

Comentários encerrados em 4/09/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.