Consultor Jurídico

Esquema do vestibular

STF mantém prisão de acusado de vender vagas em universidades

A 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal negou, nesta terça-feira (19/8), pedido de liberdade de Olavo Vieira de Macedo, acusado de estelionato por vender vagas nas universidades federais do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro. A posição da turma confirma pedido de liminar negado pelo ministro Eros Grau, relator, no dia 18 de junho.

Eros Grau lembrou o fato de o réu ter “uma função de destaque no grupo criminoso”. O ministro disse que o decreto de prisão afirma que o grupo atuava com violência, ameaçando de morte alguns de seus membros. O grupo também é acusado de falsificar documentos públicos.

O relator rejeitou os argumentos da defesa de que alguns dos supostos membros do esquema já conseguiram liberdade e de que Macedo é réu primário com bons antecedentes e residência fixa. Para o ministro, se ele fosse solto, ele poderia alterar algumas provas.

Os advogados de Macedo alegavam que a prisão cautelar tem excesso de prazo, já que ele foi preso em maio de 2007. “Há mais de um ano ele é mantido preso, mesmo sendo primário e de bons antecedentes.”

A prisão de Olavo Macedo já tinha sido mantida pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região e pelo Superior Tribunal de Justiça.

HC 95.077




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 20 de agosto de 2008, 0h00

Comentários de leitores

2 comentários

Gaudério, acontece que 81 dias: a) para alguns...

Silvio Curitiba (Advogado Associado a Escritório)

Gaudério, acontece que 81 dias: a) para alguns é menos de 81 horas; b) para outros, é mais de 81 semanas. Entendeu?

Comentários encerrados em 28/08/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.