Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Sob investigação

Senador Lobão Filho será investigado por crimes contra fé pública

O senador Edison Lobão Filho (PMDB-MA) vai responder inquérito por crimes contra a fé pública (falsidade ideológica e uso de documento falso) e formação de quadrilha. A decisão é do ministro Menezes Direito, do Supremo Tribunal Federal, que autorizou a abertura do inquérito a pedido do Ministério Público Federal.

De acordo com as investigações do MPF, Edison Lobão Filho era sócio dos irmãos Marco Antônio e Marco Aurélio Pires Costa em empresas de distribuição de bebidas, que usavam “laranjas” na composição social de diversas empresas para sonegar impostos.

Ao transformar o pedido do MPF em inquérito, o ministrou autorizou a quebra do sigilo bancário de Lobão Filho e dos irmãos Marco Antônio e Marco Aurélio Pires Costa. O ministro permitiu, ainda, que a Superintendência da Polícia Federal do Distrito Federal ouça, a convite, o senador, e que a PF no Maranhão ouça os demais investigados.

O parecer da Procuradoria-Geral da República cita diversos depoimentos de testemunhas. De acordo com o documento, um ex-gerente da empresa Itumar, que seria também de Lobão e dos irmãos Pires Costa, contou à Justiça, em um processo trabalhista, uma série de irregularidades na administração, incluindo supostas “vendas frias” e “cobertura de cheques frios”. Outros depoimentos falariam em “procurações falsas” para administrar as empresas e fazer transferências de recursos.

Já um relatório da Receita Federal concluiu que uma suposta alteração contratual na Bemar Distribuidora de Bebidas, de propriedade de Lobão e dos irmãos Costa, feita em outubro de 1988, teria sido “uma farsa, com o intuito deliberado de transferir para pessoas humildes e sem poder econômico para responder, perante o fisco, pelo pagamento de impostos e contribuições”.

Petição 4.322

Revista Consultor Jurídico, 18 de agosto de 2008, 20h28

Comentários de leitores

4 comentários

Não tenho vergonha de ser brasileiro. Sinto-me ...

LUCIANO (Servidor)

Não tenho vergonha de ser brasileiro. Sinto-me envergonhado em ver todos os dias esses larápios na mídia, na câmara(deputado e senado dizendo que são acusações infundadas. Fico cabisbaixo em saber que esse cara é do Maranhão. Que miséria! ô Deus!

Quero concordar com o o Eduardo, só mesmo no br...

Gilvandi de Almeida Costa (Estudante de Direito)

Quero concordar com o o Eduardo, só mesmo no brasil! Por ocasião da posse desse canalha, lobão filho, comentou-se muito sobre a conduta desse indivíduo. Porém, nada foi feito para apurar os fatos relacionados á conduta desse cara, ele tomou posse no senado visando a sua impunidade palarmentar, aliás muitos políticos procuram eleger para se tornarem impunes, pois há a imunidade ou impunidade parlamentar. Isto é uma vergonha, como já dizia alguem. Mais uma vez o corporativismo vai falar mais alto. Como é que canalhas como renan calheiros, gin argel e outros podem investigar seus pares, votar pela cassação se necessãrio for?

Mas, só ele? E os outros? E o Renan? TODOS ELES...

Zerlottini (Outros)

Mas, só ele? E os outros? E o Renan? TODOS ELES, SEM EXCEÇÃO, TÊM UM OU MAIS ESQUELETOS NO ARMÁRIO!!! Na próxima eleição, vou votar no Fernandinho Beira Mar e no Marcola. Estes, pelo menos, são meliantes declarados! Os outros, são uns fingidos, que vão - a partir de hoje - pras TVs e rádios fazerem um punhado de "premessas" que estão cansados de saber que NUNCA irão cumprir e que não há quem cobre! Cada dia mais, eu me sinto envergonhado de me dizer brasileiro! Nunca, em 62 anos de vida, eu vi tanta corrupção junta num só governo! Ô RAÇA!!! Francisco Alexandre Zerlottini. BH/MG.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 26/08/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.