Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Agressão de doméstica

Julgamento de jovens acusados de espancar doméstica é suspenso

O julgamento dos cinco jovens de classe média alta do Rio de Janeiro que agrediram e roubaram a empregada doméstica Sirlei Dias de Carvalho, em 2007, foi interrompido na 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça por causa do pedido de vista do ministro Paulo Gallotti.

O julgamento foi interrompido após voto do relator, ministro Nilson Naves, que concedeu Habeas Corpus em favor de Fellipe de Macedo Nery Neto. Ele autorizou também, por ofício, que Rubens Pereira Arruda Bruno, Júlio Junqueira Ferreira, Leonardo Pereira de Andrade e Rodrigo dos Santos Bassalo da Silva aguardem o julgamento do recurso de apelação em liberdade.

Os cinco jovens foram denunciados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro pelos crimes e lesão corporal grave com concurso de pessoas. Segundo o relator, eles foram condenados pelo roubo e absolvidos pela agressão. Rodrigo e Leonardo estão cumprindo pena em regime fechado. Fellipe, Rubens e Júlio estão em regime semi-aberto.

De acordo com o processo, os jovens saíram de carro após uma festa e pararam em um ponto de ônibus, na Barra da Tijuca, onde agrediram e roubaram a bolsa da doméstica, que continha um celular e uma carteira com R$ 47 em espécie. Eles alegaram ter confundido a mulher com uma prostituta. O crime foi testemunhado por um taxista que anotou a placa do carro de um dos rapazes, levando à prisão dos agressores.

HC 89.773

Revista Consultor Jurídico, 18 de agosto de 2008, 12h32

Comentários de leitores

4 comentários

Isso é um absurdo. Deveriam passar o resto da v...

Paulo (Outros)

Isso é um absurdo. Deveriam passar o resto da vida dentro de uma cadeia do rio de janeiro..sendo sodomizados..

Se eles foram condenados por roubo, a agressão ...

Axel Figueiredo (Outros)

Se eles foram condenados por roubo, a agressão deve ter sido considerada a "violência a pessoa" do caput do artigo 157, não é? Aliás, esses fulanos só estão presos por conta do frenesi da mídia, pois se são primários e com residência fixa, o STJ sistematicamente dá liberdade para recorrer. Neste caso, ser playboy foi "prejudicial".

Complementando o comentario do TIC...

hammer eduardo (Consultor)

Complementando o comentario do TICÃO , fora os hematomas graves no rosto que inclusive ameaçaram a perda de visão no periodo inicial, houve tambem se não me engano a fratura de um antebraço. Este é mais um caso que apesar das carpideiras de plantão esbravejarem de maneira catatonica , mostra que dificilmente neste Paiszinho que moramos , "perfumados" ou filhos "de" ficam muito tempo em cana , esta aqui um exemplo pratico sem muito enfeite. Na epoca , a Imprensa caiu em cima e os caras realmente ficaram guardados por um periodo que considero ate surpreendente , mas na pratica o que ocorreu foi o de sempre, tão logo as equipes de reportagem comecem a perder o interesse , iniciaram-se as famosas "negociações auriculares" para mostrar o bizonho tipo, os caras são gente boa.....isso ai é coisa da idade etc etc etc. Lembremos do caso mais emblematico em semelhança com esse que foi aquele ocorrido em Brasilia a quase 20 anos atras em que um grupo de VAGABUNDOS e HOMICIDAS ateou fogo e matou um Indio chamado Galdino que ainda sofreu horrivelmente num hospital ate o desenlace final. Estes vermes eram filhinhos de papai togados que se viraram e deram logo um jeitinhu brasiliensis de botar os pimpolhos o mais rapidamente de volta nas ruas. VOCE SE LEMBRAVA DISSO??????????? Graças a esculhambação geral vigente , devidamente secundada pela historica falta de memoria do Brasileiro é que estas coisas insuportaveis continuam a contecer. Ate quando Brasil?

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 26/08/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.