Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Judiciário em luto

Morre Sandra Maria de Souza, juíza substituta de Rondônia

Morreu, na quarta-feira (13/8), às 13h50, a juíza substituta de Rondônia Sandra Maria Nascimento de Souza. Ela estava internada em São Paulo, no Hospital Nossa Senhora de Lourdes, e teve morte cerebral na noite de segunda-feira (11/8).

Sandra Maria Nascimento de Souza era natural de Macapá. Formou-se na Universidade Federal do Pará, em 1987. Foi aprovada em 8º lugar no 5º concurso público para a magistratura de Rondônia. Tomou posse no dia 7 de março de 1990, quando foi nomeada para o cargo de juíza substituta da 6ª seção judiciária com sede na comarca de Guajará Mirim. Exerceu a magistratura nas comarcas de Presidente Médice e Cacoal. Desde o ano de 2000, era juíza titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri da comarca de Porto Velho.

O corpo da juíza chegará ao Tribunal de Justiça de Rondônia na madrugada desta sexta-feira (15/8) para ser velada. O velório acontecerá no Plenário do 1º Tribunal do Júri, do qual a juíza foi titular por dez anos. O sepultamento acontece às 17 horas de sexta, no cemitério parque Jardim da Saudade.

A presidente do Tribunal de Justiça de Rondônia, desembargadora Zelite Andrade Carneiro. O expediente forense foi suspenso, na capital, em ambas as instâncias, na sexta-feira (15/8), a partir das 13 horas, e no Fórum Criminal, o dia todo.

Leia homenagem à juíza

Réquiem para uma juíza

Acostumados à presença discreta e constante da Dra. Sandra Nascimento no ambiente conturbado e intenso do Fórum Criminal, nos julgamentos do 1° Tribunal do Júri da Capital ou secretariando as reuniões da nossa associação, repentinamente ela nos é tirada do convívio e nos damos conta que a partir de sua ausência, visto pela sua vasta obra de vida, o tamanho da perda sofrida. Magistrada de escol que dedicou 18 anos de sua vida à magistratura e à causa da Justiça que misturava grandeza com discrição, excelência de vida com humildade no trato, especialmente com os menos favorecidos e os sedentos de justiça.

Ausente a grande juíza fica o seu legado de dedicação e amor à magistratura, ao Judiciário convivendo com o desvelo e amor dedicado à pequena Maria Luiza, de apenas três anos, agora desguarnecida de sua amorosa presença. Sandra nos enche de orgulho pela robustez dos resultados que obteve em todas as atividades que se envolveu, especialmente presidindo o Tribunal do Júri, estabelecendo marcas de produção de jurisdição que serão desafios hercúleos para os seus sucessores. Nas atividades associativas era presença constante e agradável, com ponderações serenas e lúcidas e firmeza de posições.

A perda abrupta e precoce de sua presença nos lança a refletir sobre os descuidos que temos com a nossa condição pessoal e familiar no frenético atendimento aos reclamos de justiça que nos é apresentado diuturnamente e, por outro lado, para a necessidade de impingir amor e dedicação aos nossos afazeres para que em circunstâncias tais, os frutos de nosso labor bradem com a força e a grandeza exibida por essa grande magistrada. Á memória da Dra. Sandra Nascimento, o nosso reconhecimento e o nosso afeto.

Diretoria da Associação dos Magistrados do Estado de Rondônia

Revista Consultor Jurídico, 15 de agosto de 2008, 0h00

Comentários de leitores

3 comentários

Caro 'WGouveia', A expressão "juiz substitut...

Alexs (Estudante de Direito)

Caro 'WGouveia', A expressão "juiz substituto" é conferida única e exclusivamente aos magistrados que estão no estágio probatório. A denominação correta destinada ao juízes estáveis que atendem em comarca diversa da que são titulares é "juiz em substituição automática" ou mesmo "juiz plantonista". O mesmo se aplica a membros do MP.

Gilvandi, se V. Exa. estivesse presente em sua ...

WGouveia (Estagiário - Civil)

Gilvandi, se V. Exa. estivesse presente em sua aula de Introdução ao Estudo do Direito já saberia que é possível ser Juiz Substituto em uma determinada Vara e Juiz Efetivo em outra, conforme o regimento interno, que varia um pouco de um para outro Tribunal, no caso, de um Estado para outro. Desta forma, acredito que pelas informações passadas na nota, a Dra. era Substituta nas comarcas de Presidente Médice e Cacoal e Titular na 1ª Vara do Tribunal do Júri da comarca de Porto Velho.

Ela era titular ou era substituta. Como pode? e...

Gilvandi de Almeida Costa (Estudante de Direito)

Ela era titular ou era substituta. Como pode? em um momento diz-se uma coisa na sequencia, ainda falando do memo assunto, nega tudo o que foi afirmado antes...

Comentários encerrados em 23/08/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.