Consultor Jurídico

Comentários de leitores

7 comentários

Isso não é brincadeira! Há tempos esse juiz par...

Cristiane G. (Delegado de Polícia Federal)

Isso não é brincadeira! Há tempos esse juiz parece ser o único que fala com discernimento sobre essa aberração que é a lei Maria da Penha. Mais uma vez ele está certíssimo: as mulheres que parem de se casar com pudins de cachaça. Elas é que estão de brincadeira!

Tanto estudo para palhaçadas. Lugar de Palhaça...

Zito (Consultor)

Tanto estudo para palhaçadas. Lugar de Palhaçadas é no circo.

O Judiciário não é lugar para brincadeiras. Que...

Roberval Taylor (Consultor)

O Judiciário não é lugar para brincadeiras. Quem deseja brincar deve procurar o local apropriado para tal prática. Justiça é coisa séria.

Precisamos de implantar a mediaçao familiar, be...

analucia (Bacharel - Família)

Precisamos de implantar a mediaçao familiar, bem como a Justiça Restaurativa nestes casos, mas a máquina de processos judiciais náo permite outras alternativas.

Mesmo tendo ganhado dimensão que ganhou, o Juiz...

Cláudio R. (Advogado Autônomo)

Mesmo tendo ganhado dimensão que ganhou, o Juiz tem 100% razão...Falou a mais pura verdade.

Apesar do jeito folclórico, tem razão o juiz Ma...

Giorgio (Outros)

Apesar do jeito folclórico, tem razão o juiz Marcelo. Não é necessário estar no meio jurídico para saber do que acontece nesses casos. Mesmo vizinhos por anos a fio tem que socorrer mulheres que namoraram, noivaram e casaram com parceiros sabidamente pinguços e que agora volta e meia levam bifas na orelha de forma generosa. E não é a lei Maria da Penha, sabidamente tão torta quanto esses vagabundos que vai dar jeito nisso. Aliás uma lei votada por legisladores que estão sempre prontos a votar qualquer lei por mais absurda que seja desde que isso lhes garanta votos e figura de bonzinhos. Uma lei que permite denúncias genéricas, vazias, sem comprovação é feita sob medida para mulheres golpistas ou rancorosas. Porque é que lei não contempla também o homem com a mesma possibilidade de denunciar tanto quanto a mulher, qualquer violência sofrida por ele, como acontece com parceiros doentes, brutalizados por esposas que só querem deles uma coisa: o cartão de crédito e os benefícios de um auxílio doença, coisa que acontece aos montes por aí? E quem comenta e aponta esses erros é machista? Ora essa, as mulheres não fizeram uma revolução em nome da libertação feminina, não queimaram sutiãs, chamando-os de peças da opressão masculina? Mas queimar os cheques de pensão não queimaram. E não querem direitos iguais. Que tal o de pagar pensão também? Aí muda tudo, aí só vale a pose de coitadinha e da lei Maria da Penha, que no fundo tem a mesmo senso de justiça de quem gosta de andar na corda bamba e sempre que cai, acha que é certo processar o fabricante da corda. Giorgio Armanni giorgioarmanni@bol.com.br

Bom, exageros à parte, o fato é que essa lei Ma...

Hipointelectual da Silva (Outros)

Bom, exageros à parte, o fato é que essa lei Maria da Penha é uma grande bobagem para enganar as próprias mulheres. Infelizmente, mentes pequenas insistem em, cegamente, dizer que quem é contra a lei é machista e contra as mulheres, ao invés de apresentar argumentos legais que defendam a constitucionalidade dessa porcaria legislativa. A situação é semelhante a "crimes cibernéticos". Há quem defenda criação de lei nova para puni-los, quando as nossas boas leis velhas o possibilitam muito bem. É a velha história, tem gente querendo colocar vinho velho em garrafa nova e ainda possar de pai da criança. É lamentável que a imprensa não esteja dando a devida cobertura aos reflexos práticos dessa lei. Ajudou a parir o monstrinho e abandonou-o. Em quase 90% dos casos onde é aplicada essa "coisa" que se chama "lei Maria da Penha" (D. Maria, nada contra a senhora, viu?) vai parao arquivo. Não é porque a Justiça não queira punir os agressores, são as próprias vítimas que solicitam o arquivamento pois "se reconciliaram". Pasmem! Fiz esse levantamento em 1350 casos (tive a paciência de fazê-lo), portanto, posso concluir: é uma porcaria. Antes, tudo se resolvia pela Lei 9.099/95, criada justamente para liberar a Justiça para casos mais importantes, agora, a lei Maria da Penha fez o inverso: uma porcaria de lei estragou o trabalho que uma boa lei vinha fazendo!

Comentar

Comentários encerrados em 18/08/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.