Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Justiça Aberta

CNJ fará estatísticas sobre produção de desembargadores

A partir da próxima semana, o sistema Justiça Aberta começará a coletar informações sobre a produtividade dos desembargadores dos Tribunais de Justiça. A afirmação é do presidente eleito do Superior Tribunal de Justiça e corregedor nacional de Justiça, ministro Cesar Asfor Rocha.

O Justiça Aberta é um sistema criado na Corregedoria Nacional de Justiça para acompanhar estatisticamente a produção do Judiciário. Em junho deste ano, foram disponibilizados no site do Conselho Nacional de Justiça os dados sobre os juízes de primeira instância.

No sistema, há 13.528 cartórios cadastrados, dos quais 12.563 já preencheram todas informações dos cadastros (92,9% do total). Em março deste ano, o Justiça Aberta começou a coletar informações sobre as justiças estaduais, com o cadastramento de todas as Varas judiciais (serventias/secretarias) de primeiro grau. Estão cadastradas 8.986 serventias judiciais, das quais 7.648 (85,11%) preencheram os dados sobre a produtividade do mês de junho.

Os dados são atualizados mensalmente, com informações sobre os processos existentes na serventia, os processos distribuídos, as precatórias distribuídas, número de despachos proferidos, de decisões e de sentenças proferidas pelos juízes, entre outros dados coletados.

“Hoje, dispomos de todas dessas informações e criamos ferramentas que podem cruzar os dados das serventias/secretarias judiciais”, afirma o ministro. Ele lembrou que, no primeiro momento, houve reações contrárias. “O que pretendemos não é punir juízes, a proposta é conhecer a realidade para se poder traçar planos de gestão para o Judiciário”, diz.

Revista Consultor Jurídico, 9 de agosto de 2008, 13h39

Comentários de leitores

7 comentários

Vamos ver se esta estatística chega aos ministr...

Mauro Garcia (Advogado Autônomo)

Vamos ver se esta estatística chega aos ministros do próprio Supremo. Aí vou começar a acreditar na coisa.

Concordo com os comentaristas Henry e Luiz. Ape...

Ronaldo dos Santos Costa (Advogado Sócio de Escritório)

Concordo com os comentaristas Henry e Luiz. Apenas para exemplificar, tenho uma ação de habeas corpus conclusa desde dezembro de 2006, no STJ, e não obstante os requerimentos de preferência efetuados em todas as oportunidades que me desloco à Capital Federal, até agora não foi julgado! Somente peço que seja julgado, ainda que seja denegada a ordem, pois assim poderei "recorrer" ao STF. Com a inércia, o máximo que me cabe é impetrar novo requerimento ao Excelso para dar celeridade ao feito e causar mal estar ao Ministro que julgará o HC, o que nada me trará de útil. Assim fica difícil!

O próximo passo seria ver a produtividade dos m...

Olho clínico (Outros)

O próximo passo seria ver a produtividade dos ministros também. Deve haver muita coisa atrasada. Não há necesssidade de fazer ranking, ou competição. Basta colocar tudo na internet, os dados...outras coisas extrajudiciais deveriam contar. Plestras em escolas, audiencias públicas. Justiça não é só processo judicial.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 17/08/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.