Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Be-a-bá

Livro de jornalistas ensina como escrever bem passo a passo

A Editora Contexto acaba de lançar um livro que promete ajudar todos aqueles que fazem da escrita sua ferramenta de trabalho — advogados e jornalistas, por exemplo. Escrever Melhor — Guia para passar os textos a limpo ensina como escrever um texto objetivo, claro e gostoso de ler.

Escrito por duas jornalistas — Dad Squarisi e Arlete Salvador —, Escrever Melhor trata o assunto escrita de maneira descontraída e didática. Passo a passo, mostra ao leitor que ele pode sim tornar o seu texto melhor. Para isso, basta seguir algumas regras e os conselhos das autoras.

O livro é dividido em três partes. A primeira ensina como passar a limpo um texto, ou seja, reescrevê-lo. Nela, são dados exemplos de textos confusos e como torná-los claros, em geral, cortando palavras e economizando na verborragia. Na segunda parte, as autoras falam de gramática. Esclarecem as principais pegadinhas da língua portuguesa. Na última parte, trazem modelos de textos reescritos de acordo com o que ensinaram no livro.

“Escrever exige 10% de inspiração e 90% de transpiração. Sim, senhor, escrever é trabalho árduo. Textos são cortados, aumentados, transformados, virados pelo avesso, amassados, condenados. O texto só brilha depois de muito apanhar”, dizem as jornalistas na orelha do livro.

Dad Squarisi é editora de Opinião do jornal Correio Braziliense, comentarista da TV Cultura e professora de edição de textos em Brasília. Ela também assina a coluna Dicas de Português, publicada em 15 jornais do país. Arlete Salvador é analista de política brasileira do Consulado Geral dos Estados Unidos em São Paulo. Trabalhou na revista Veja e nos jornais O Estado de S. Paulo e Correio Braziliense.

Para comprar o livro, clique aqui.

Revista Consultor Jurídico, 25 de abril de 2008, 18h28

Comentários de leitores

6 comentários

Caro Regis, quer dizer que o verbo "ajudar" é "...

Carlos o Chacal (Outros)

Caro Regis, quer dizer que o verbo "ajudar" é "TRANSITÓRIO indireto"? Vejo que a maioria aqui está realmente precisando do livro. Parabéns ao professor Rogério que já o comprou e o leu. Façam o mesmo.

Comentando os comentários, percebo que se conti...

Regis B. (Outros)

Comentando os comentários, percebo que se continua a pensar que se escreve bem pensando que quem lê é igualmente besta. Caso da Eliana (Civil...), que não usa crase antes de "escritoras", e que afirma necessário "dar um basta nas maus (sic) traçadas linhas". Quanto ao professor Roberto, não vê a indireta transitoriedade do verbo ajudar quando referindo a indicar. Em suma, todos acham que sabem, e é todo mundo ridicularmente, digamos, "devagar". Inclusive eu. Um beijo a todos!

Não tive o prazer de ler o livro ainda, pois to...

Eliana (Advogado Autônomo - Civil)

Não tive o prazer de ler o livro ainda, pois tomei conhecimento agora. Mas a critica amarga de "Fernanda" cabe apaenas a ela acreditar em sua tese. Parabéns as escritoras! É preciso dar um basta nas maus traçadas linhas que alguns "profissionais" entendem como "português" ou "brasileiro". Vejo petições e materias em jornais e revistas, que mais parecem letras de música amadora. Toda maneira de fazer falar e escrever bem é louvável! Sejam todos felizes!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 03/05/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.