Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Rapto de bebês

Mantida pena de Vilma Martins no Supremo por seqüestro

Fracassou a tentativa de Vilma Martins Costa, condenada pelo seqüestro de duas crianças — entre elas Pedro Rosalino Braule Pinto, o Pedrinho — de reduzir a sua pena. Vilma queria afastar o crime de forjar parto alheio como próprio. O pedido foi negado pela 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal.

Como a defesa dela não suscitou a questão perante as instâncias anteriores ao STF, os ministros sequer analisaram a questão, para evitar a supressão de instância. Eles acolheram o parecer da Procuradoria-Geral da República sobre o caso, seguindo voto do relator do pedido de Habeas Corpus, ministro Celso de Mello.

“Eu entendo que assiste plena razão ao parecer [da PGR]”, disse o ministro. Segundo Celso de Mello, parte do pedido pretendia impor ao STF um exame aprofundado de provas, o que não é possível fazer por meio de Habeas Corpus. No parecer, a PGR afirma que a defesa pretendia obter uma “revisão [da sentença] criminal” por meio do Habeas Corpus e que a ação penal contra Vilma encontra-se “na fase de execução definitiva”.

HC 92.237

Revista Consultor Jurídico, 16 de abril de 2008, 0h01

Comentários de leitores

2 comentários

Ô D. Vilma, contrate alguém que saiba lhe defen...

Júnior Brasil (Advogado Autônomo - Consumidor)

Ô D. Vilma, contrate alguém que saiba lhe defender. Entrar com HC direto no STF? é o fim do mundo. Por acaso a senhora é Dep. Federal ou algo parecido? Que eu saiba é uma cidadã (ops, era!) comum que cometeu crimes comuns. Portanto, TJ, STJ e, por último, STF. Entendeu?

assim fica fácil praticar toda a 'sorte de crim...

futuka (Consultor)

assim fica fácil praticar toda a 'sorte de crimes'! .. é só ir pedindo reduções - revisões etc e tal ..será que alguém se recorda das monstruosidades que fez essa bandida!?

Comentários encerrados em 24/04/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.