Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Gol contra

Justiça manda bloquear parte de renda de jogos do São Paulo

A juíza Ana Lúcia Jordão Pezarini, da Justiça Federal, determinou que 20% da quantia arrecadada nas bilheterias em jogos do São Paulo Futebol Clube até o final do Campeonato Brasileiro sejam bloqueados para o pagamento de dívidas com o INSS. O clube deve R$ 4,6 milhões ao erário. A dívida tinha sido parcelada. Doze parcelas não teriam sido pagas — cerca de R$ 1,3 milhão.

O clube contesta a decisão. “Houve confusão, primeiro porque o processo estava arquivado havia dez anos, e a dívida já estava negociada. Fizemos o parcelamento desse valor, mas no processo foram incluídas outras dívidas, que também já estão sendo quitadas”, disse Kalil Rocha Abdala, diretor jurídico do São Paulo. “São dois processos diferentes, que, equivocadamente, foram somados num só.”

O clube recebeu oficial de justiça ordenando depósito de 20% da renda de São Paulo x Corinthians. Abdala informou que já entrou com Agravo de Instrumento no Tribunal Regional Federal da 3ª Região e acredita numa resposta favorável.

“Até o jogo contra o Cruzeiro (no dia 21/10), no Morumbi, tudo estará regularizado”, afirmou o dirigente. “Não haverá penhora, já fizemos o pedido para apreciação do caso por parte do juiz e também pelo pleno do Tribunal”, disse o dirigente.

Para Kalil Rocha Abdala, o caso veio à tona para desestabilizar o clube. “Nunca iríamos bobear numa coisa tão primária”, garantiu. “Mas dizer que o São Paulo tem dívida é um prato cheio para muita gente.”

Revista Consultor Jurídico, 12 de outubro de 2007, 13h35

Comentários de leitores

1 comentário

Como sampaulino, possuidor de titulo social e c...

Jose Antonio Dias (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Como sampaulino, possuidor de titulo social e cadeira cativa, lamento que o Clube, cujas finanças são sabidamente sólidas, passe por este vexame. Acho bom passarmos por uma auditoria para que outro vexame imprevisto não ocorra.

Comentários encerrados em 20/10/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.