Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Invasão do Incra

Procuradoria pede retirada de agricultores do prédio do Incra

A Procuradoria Regional da União (PRU) entrou, na manhã desta segunda-feira (26/11), com uma ação para reaver a posse do prédio do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), em Brasília (DF). O local foi invadido e ocupado por integrantes da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Minas Gerais (Fetaemg). A ação com pedido de liminar aguarda decisão na 14ª Vara do Distrito Federal.

Durante o dia, os trabalhadores rurais impediram a entrada e saída de funcionários no edifício, onde também funciona a Escola da Advocacia Geral da União (AGU) e unidades do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), da Procuradoria-Geral Federal (PGF) e da Corregedoria-Geral da União (CGAU).

Representantes da Fetaemg, da PFE, da PRU e do Incra estão reunidos para tentar negociar a retirada dos agricultores, que reivindicam a liberação de recursos pelo Incra para habitação e infra-estrutura dos assentamentos.

Na ação de reintegração de posse, a PFE e a PRU sustentam que a ocupação prejudica os serviços prestados pelos órgãos públicos e pode trazer prejuízos aos cofres da União.

Revista Consultor Jurídico, 26 de novembro de 2007, 19h45

Comentários de leitores

1 comentário

Não tenho nada absolutamente contra o Produtor ...

futuka (Consultor)

Não tenho nada absolutamente contra o Produtor Rural, tampouco contra AGRICULTORES que são a base da nossa sociedade. O que me assusta é que essas chamadas "invasões" por parte de agricultores deveria ser INVESTIGADAS com critério de seriedade e justiça. Devemos saber com quem lidamos, a sociedade clama por justiça e CADEIA para os quadrilheiros e ou"bandos" que trabalham na direção de demandas pessoais de interese ou a GRUPOS mal-intencionados ou anti-patrióticos.

Comentários encerrados em 04/12/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.