Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Censura em questão

Estudante de Hong Kong aciona governo chinês por cortes em filme

Por 

Um estudante de doutorado em direito de Hong Kong resolveu processar o governo da China por propaganda enganosa. Dong Yanbin alega que a versão do filme “Cuidado: Luxo”, do cineasta Ang Lee, teve as cenas mais sensuais cortadas pelos censores do Partido Comunista Chinês. As informações são do site Findlaw.

Dong Yanbin acusa a Administração Estadual de Rádio, Filmes e TV, de Hong Kong, de não ter inserido o filme no sistema de classificação indicativa de faixa etária. Assim, abriu caminho para que os censores chineses “passassem a faca” das cenas mais apimentadas do filme.

Ele cursa doutorado em direito na Universidade Chinesa de Ciência Política e Direito. O processo movido contra o governo chinês é baseado no Código de Defesa do Consumidor de Taiwan. O estudante de doutorado quer receber US$ 67,00 por “falsa apologia e sofrimento mental”.

O filme de Ang Lee trata da história amorosa entre uma estudante e um oficial de inteligência do Japão, em Xangai, passada na época da Segunda Guerra Mundial. O filme, apesar dos cortes, é hoje o mais assistido em toda a China e já faturou US$ 12 milhões em bilheteria, em apenas duas semanas de exibição.

 é repórter especial da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 16 de novembro de 2007, 11h51

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 24/11/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.