Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Conta de luz

Empresa de energia não pode cobrar imposto separado da conta

Concessionária de energia não pode cobrar imposto de iluminação pública separadamente da conta de luz. O juiz federal Loraci Flores de Lima, que atuou como desembargador no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, suspendeu liminarmente, na última sexta-feira (9/3), a decisão da 1ª Vara Federal de Florianópolis. A primeira instância obrigou a Companhia Elétrica de Santa Catarina (Celesc) a cobrar separadamente da conta de luz a Contribuição para Custeio do Serviço de Iluminação Pública (Cosip). O mérito do recurso ainda será julgado pela 3ª Turma do TRF-4. Cabe recurso.

Segundo o juiz, “uma coisa é a prestadora de serviço inserir na fatura da conta de luz uma indicação clara a respeito do valor que o usuário está pagando por conta da Cosip, situação bastante diversa é que o valor da dita contribuição seja cobrado em separado”.

A decisão de primeiro grau, tomada em fevereiro, havia dado um prazo de 60 dias para que a empresa cobrasse o imposto separadamente, através de outro código de barras, ou pedisse autorização da cliente para deixar no mesmo código.

Para o juiz, “a mudança em um procedimento que é feito há anos poderá resultar na inviabilidade operacional da cobrança de tal encargo, o que, obviamente, sérios prejuízos causará a todos os entes públicos que dependem daquela contribuição para fazer frente aos gastos com iluminação pública”.

AI 2007.04.00.005932-3/TRF

Revista Consultor Jurídico, 12 de março de 2007, 18h48

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 20/03/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.