Consultor Jurídico

Comentários de leitores

14 comentários

Não só o combate à corrupção, evitando os nefas...

Sandro Couto (Auditor Fiscal)

Não só o combate à corrupção, evitando os nefastos desvios de dinheiro público, como bem colocado pelo Delegado Federal e complementando pelo "Band", mas também uma maior consciência a respeito do controle dos gastos públicos pelo cidadão, com a cobrança da boa aplicação dos recursos arduamente pagos pelos contribuintes se faz necessário. Exemplo disto, poderíamos citar a falta de discussão pela sociedade e das autoridades (Ministério Público Federal principalmente, que é o guardião da legalidade) a respeito do vergonhoso pagamento de juros extorsivos pelo Brasil. Apesar de ser uma situação aparentemente "lícita", nunca é assunto de pauta da mídia e, parece, aí sim, a Nação segue a letra do hino e "dorme em berço esplêndido", pois não se discute a aberração escravizadora de estar, nas palavras de Eduardo Galeano, com suas veias abertas e sendo sorvidas pelo impetuoso setor financeiro. O país se submete, sem entender sequer a validade de tal cobrança, a qual, sem dúvida nenhuma, vale por milhares ou dezenas de milhares de casos de corrupção desvendados pela eficiência que tem demonstrado as instituições, principalmente em nível federal(Receita, Polícia e MP), mas também em alguns estados. Outro perigoso dogma que está se construindo é que a periculosidade de um criminoso do "colarinho branco" é muito maior do que daquele autor de crimes violentos. Se não deixa de ser lógico o raciocínio do Sr. Marcelo, Delegado Federal, não menos verdade é também que o delinqüente violento com muito mais razão até, imprescindivelmente deve ser segregado do convívio social. Porém, o que temos observado, principalmente no STF, é um endurecimento em relação a tais crimes da "elite", o que é louvável, mas, por outro lado, um abrandamento jurisprudencial em relação aos crimes violentos, como exemplo, poderíamos citar a recente mudança de posição do Supremo em relação à progressão de regime nos crimes hediondos (nos quais, inclusive se encontram alguns dos econômicos), que resultou até mesmo na alteração da disciplina do cumprimento de pena nestes casos pelo legislador. Portanto, para finalizar, entendo que deve existir o combate à corrupção, mas sem nos esquecermos de questão até mais significativa para o país, que é a ampla discussão e providências legais, se for o caso, em relação à impagável dívida pública. Bem como, não olvidar o combate à criminalidade violenta, pois a segregação se faz até mais necessária neste caso como uma forma de proteção social, evitando que a potencial periculosidade do agente violento possa, quando não segregado, continuar ceifando vidas. Ao passo que, em relação ao chamado criminoso do "colarinho branco", a desarticulação de eventual organização, com a apreensão e o bloqueio de bens e valores e a retirada do mesmo da posição de atuação, por si só, certamente retira sua potencial lesividade social.

Caro Delegado de Polícia Federal MARCELO FREITA...

Band (Médico)

Caro Delegado de Polícia Federal MARCELO FREITAS Não é a sociedade que deve ser efetiva. Quem deve ser efetiva é o judiciário pago para isto mas que se derrete ao julgar ao julgar os assemelhados! A sociedade só pode se indignar como faz, pois seus agentes públicos que titubeiam e esmorecem em fazer cumprir as leis!

Extremamente profícua a decisão do Tribunal de ...

MARCELO FREITAS (Delegado de Polícia Federal)

Extremamente profícua a decisão do Tribunal de Justiça. Já passou o tempo de abrirmos os olhos para aquilo que denomino de violência invisa. Parafraseando IVAN LIRA DE CARVALHO, violento não é só a ação do ladrão, do estuprador ou do himicida, que num rasgo de primarismo ceiga a vida do seu semelhante, muitas vezes por questões diminutas. Violento também é o agente inescrupuloso, que não tergiversa em lançar mãos de recursos, em regra públicos, para ornar jardins suntuosos de suas mansões, abarcando para si verbas que saciariam a fome de crianças inocentes e retirariam dos corredores infectos dos hospitais os miseráveis que têm a desgraça de cair em doença. Que a sociedade seja efetiva na punição dos criminosos de "colarinho branco" é o nosso maior desiderato.

Parabens ao Tribunal de Justiça de São Paulo po...

Paulo Chaves de Araujo (Consultor)

Parabens ao Tribunal de Justiça de São Paulo pois são justamente esses criminosos do colarinho branco que praticamente impedem o Peder Público de investir em educação, saúde, planejamento familiar e programas de moradia que poderia evitar o surgimento de favelas onde os jovens sem educação e discriminados por morarem na favela, muitos são atraídos para o crime que estamos vivendo.

Este é a maior prova do exemplo que dá ao povo ...

Tadu (Auditor Fiscal)

Este é a maior prova do exemplo que dá ao povo ignaro o governo atual. A vida nada vale. Mais vale uns míseros trocados que uma vida rica. Nunca vi nos meus 63 anos cronologicos e 189 de vida nada mais hediondo do que esta afirmativa: "Crime econômico causa mais dano que homicídio, diz TJ-SP". E note-se foi um Tribunal!!!!!! Que Deus tenha piedade do Brasil e expulse estes mercenarios a tapas, como o fez no templo ultrajado. "Se todos fazem farcatruas, por que só nóis sumus curpádos?"

Caro Procurador Neli Não posso concordar min...

Band (Médico)

Caro Procurador Neli Não posso concordar minimamente com a sua opinião contra o crime de racista! Não tem cabimento algum. Uma pessoa que leva o seu carro, ou furta a sua casa, terá a penalidade prescrita. Mas alguem que de cabeça quente disse alguma barbaridade, ficar eternamente punível por algo que até possa ter se arrependido, reparado, pedido desculpa! Ainda mais que existe enorme subjetividade no crime!

A economia (do ponto de vista institucional) é ...

Felipe Boaventura (Estagiário)

A economia (do ponto de vista institucional) é o complexo de instrumentos e condutas humanas empregadas para a obtenção e gestão de recursos escassos, atentar contra a economia pública é subverter o fluxo legítimo dos bens (fundado em premissas jurídico – democráticas), em benefício ilegal de poucos; concordo com a assertiva da Corte Bandeirante, a conduta específica dos dois condenados no caso supra, certamente potencializou a possibilidade de ocorrência de dezenas de outros crimes. Os crimes contra a economia lesam diretamente, como quase nenhum outro, todos indivíduos da coletividade.

Costuma sensibilizar mais a morte "violenta" de...

Pedro Afonso Gomes (Economista)

Costuma sensibilizar mais a morte "violenta" de uma criança do que a morte de centenas delas por falta de recursos para a saúde, por exemplo, pois a causa é menos visível. Mas quem disse que a corrupção, e suas conseqüências, não é um crime violento? Há um jargão corriqueiro entre os economistas de que, em Chicago, quem matou menos foi Al Capone. Isso porque a Escola de Economia de Chicago, liderada pelo recém falecido Milton Friedman (difícil dizer, mas foi tarde), é a principal responsável pelo monetarismo e pelo financismo em que se transformou a economia mundial, priorizando completamente o capital em relação ao ser humano, o que provocou mortes aos milhões, de inanição ou doenças que o avanço da ciência poderia curar.

O BAGULHO É DOIDO... O PROCESSO É LENTO... E A ...

Luiz P. Carlos (((ô''ô))) (Comerciante)

O BAGULHO É DOIDO... O PROCESSO É LENTO... E A PARADA É SÉRIA CUMPADI !!! Que os traficantes e as novas milícias são criminosos bárbaros, que cometem crimes hediondos, que nos assustam e nos trazem um clima de terror, que precisam ser contidos e trancafiados na forma da lei, não temos a menor dúvida. No entanto o que mais me aterroriza não são esses bandidos notórios, alias, também não são esses bandidos notórios que mais cometem crimes hediondos, tão pouco os que mais matam inocentes diariamente no Brasil. Na verdade... o que mais me aterroriza nesse País são os JUIZES, DESEMBARGADORES, PROMOTORES E PROCURADORES, que aterrorizam os cidadãos muito mais do que qualquer MARCOLA, FERNANDINHO BEIRA MAR, ELIAS MALUCO, CACIÓLA, MARCOS VALERIO, MENSALÕES, DOSSIÊS, ETC., até mesmo mais que os próprios PREFEITOS, GOVERNADORES, PRESIDENTE, SENADORES, DEPUTADOS E VEREADORES. Afinal uma Nação sem JUSTIÇA, ou com uma justiça conivente, omissa, cafetina da impunidade, que chafurda na hipocrisia constitucional, que chega ao extremo de relatar, definir, dirimir e por fim julgar ATOS INCONSTITUCIONAIS E CRIMINOSOS deliberando como se fosse LEGAL E CONSTITUCIONAL, ou seja, INSTITUCIONALISANDO OS CRIMES praticados pelo ESTADO. Estado esse que há muito esta literalmente dilacerado como ESTRUTURA SOCIAL DEMOCRATICA. Não tem credibilidade moral, intelectual, para propor reformas no Judiciário, medidas de segurança nacional, para decretar tolerância zero, ou apontarem supostos Terroristas. QUEM MATA MAIS INOCENTE, QUEM ATERRORIZA MAIS A POPULAÇÃO?! Essa é a resposta que procuramos a cinqüenta e sete anos, desde que no morro do juramento foi feito à primeira promessa do crime organizado aos moradores, onde Tião Medonho ao discursar para a plebe, prometeu; Todo dinheiro dos assaltos e do crime reverterão em parte para suprir as necessidades da comunidade. Porem, muito antes deles os políticos já faziam tal prometimento, e ai esta a estrutura do Estado mais que corrompida, e matando inocentes diariamente aos montes de todas as formas cruéis e Hediondas. Os poderes judiciários, em cima do muro fazendo pose de sisudo e rogado, assistiam passivamente e reagiam tímida e modestamente aos acontecimentos. Melhor, bem melhor do que hoje que já desceram do muro e estão atuantes na sua grande maioria aliados ao *ESTADO PARALELO. E não adianta esse papo de reforma do judiciário, que o caminho não é esse, essa historia de facção criminosa comandos organizados isso só existe de fato e de DIREITO junto aos poderes públicos constituídos, EXECUTIVO, LEGISLATIVO e JUDICIARIO que se organizam para furtar e se locupletar à custa do povo, o resto é conversa fiada pra iludir a cidadania, que por sua vez finge que acredita e aposta no terror e no caos urbano como solução. Não tem essa de morador da favela ter medo de Bandido nem de Milícia. O entendimento é que existe uma guerra entre pobres e ricos, poderosos e humilhados, achacadores e achacados e eles sabem perfeitamente que na guerra morrem inocentes. Um milhão de moradores numa determinada comunidade de pobres ou ricos, onde todos amam e preservam suas famílias, se entenderem que o traficante ou qualquer um estiver excedendo o pacto é literalmente esmagado pelo povo. Esse papo de dizer que o bandido é um monstro, não é mentira, mas que os moleques tem algum ideal naquela mente torpe que caminha e trilha por linhas tortas objetivando algo maior. Isso é fato notório e de difícil analise. O que esta acontecendo na pobre sociedade Brasileira, é um grupo de revoltados analfabetos, conseqüentemente primatas e despreparados, desempregados, famintos, desassistido pelo poder publico, marginalizados, que não tem acesso as suas reivindicações que usam do expediente cabível em sua mente, de traficar para expor com crueldade suas revoltas, arrumar grana para combater e se fortalecer diante do irresponsável desprezo das classes mais abastadas, em tempo que destrói através do vicio os seus inimigos na esmagadora maioria desta classe média e alta, que é sem duvida o seu alvo. Tudo indica que os motivos não são meramente torpes como aparenta ser do tipo querer enriquecer ou ficar famoso, ter muitas mulheres e ser o dono do poder, etc. Caso esse fosse o interesse se contradita com o curtíssimo tempo de vida que os mesmos têm, sabem e estão vendo que seus colegas morrem assassinados, mal caem por terra, de imediato aparece um novo líder para desafiar. Quem quer grana, poder, mulher e fama querem tempo para curtir tudo isso; coisa que bandido jamais terá no front com a nossa gloriosa PMRJ. Portanto cidadãos Brasileiros, muita calma e muita atenção nessa hora. Estamos colhendo o que plantamos. O momento é irreversível e nem sempre o que se parece ou se enxerga representa o caminho da verdade. Luiz Pereira Carlos. RJ, sábado, 13 de janeiro de 2007. *Federação (Teoria do Estado) – Gênero de união de Estados de que são espécies: a Confederação e o Estado Federal. A diferença entre ambos é que na Confederação os Estados preservam sua soberania, podendo se retirar a qualquer momento, ao passo que no Estado Federal os Estados perdem sua soberania ao se unirem, submetendo-se todos a uma constituição que lhes da mera autonomia, em face do Poder Discricionário. Qualquer tentativa de legislar em separado ou propor pacotes de segurança, só é possível com respaldo na Constituição Federal.

Uma vida é uma vida! Mas pelo que li,o TJSP te...

Neli (Procurador do Município)

Uma vida é uma vida! Mas pelo que li,o TJSP tem toda razão: os crimes de corrupção,colarinho branco,etc causam mais danos do que os homicídios,uma vez que os danos decorrentes desses crimes atingem a sociedade como um todo,deixando milhares de crianças morrerem em tenra idade por fome,velhice ao abandono,a sociedade sem hospitais,escolas e principalmente segurança. Penso que os crimes de colarinho branco,corrupação(ativa/passiva), concussão,peculato,etc deveriam ,por causar danos à sociedade,serem apenados com maior reprimenda. Um latrocida causa dano a uma família,determinados crimes causam danos a milhares de família. Mas o Direito à Vida,tal qual o racismo,deveria ser imprescritível!

Agara entendem porque querem acabar com o contr...

MPE (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

Agara entendem porque querem acabar com o controle externo da polícia pelo MP, principalmetne, acabar com a investigação criminal pelo MP?

Como operador do direito, prefiro acreditar que...

TONY BERNARDES (Advogado Autônomo - Empresarial)

Como operador do direito, prefiro acreditar que o pricípio da dignidade da pessoa humana e o direito a vida prevaleça sobre os demais crimes, e é sempre bom lembrar que a impunidade dos parlamentares e das CPI's não coadunam com o pensamento externado pelos nossos tribunais. Há no mínimo um contra-senso.

A idéia de que crimes econômicos causam mais da...

ANTONIO RAYOL (Delegado de Polícia Federal)

A idéia de que crimes econômicos causam mais danos do que os homicídios é muito interessante, só acho que deveriam perguntar a opinião dos familiares daqueles que foram assassinados! Acho que eles prefeririam ter sido vítimas de um crime econômico!

É, deve ser por isto que o judiciário e o legis...

Band (Médico)

É, deve ser por isto que o judiciário e o legislativo protegem tanto os assassinos! No entanto, para o clamor público, nunca houve dívida do dever de punir este crime. Apenas o judiciário que nunca entendeu assim. A sociedade sempre pediu isto, mas até hoje mensaleiros e sanguesugas estão por ai a infestar a cena pública, pedindo até para anular as punições e o STF pensando em uma grande pizza porque ia dar muito trabalho! Esta é boa, a sociedade que deve despertar!

Comentar

Comentários encerrados em 20/03/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.